sexta-feira, 25 de março de 2011

Instinto Materno: Não Trabalhamos



Nem todas as mulheres desenvolveram seu instinto materno e não acho que seja errado não desejar ter filhos. Algumas de nós simplesmente não nasceram para a coisa.

Não consigo me ver cuidando de criança, buscando na escola e levando para as aulinhas de natação. E depois que crescem? Aí tem que acordar o menino para ir para a aula que ele tenta matar todos os dias. Tem que acordar de madrugada para buscar o filho adolescente bêbado na festa de 15 anos da amiga de escola. Tem que dar dinheiro pro filho adolescente ficar bêbado nas festas normais e se você nega, ele te chama de chata, de autoritária, de vaca, fala que a mãe do João é muito mais legal que você e que te odeia. Negativo, essa imagem não me pertence.

Pode ser sim que eu esteja vendo apenas o lado ruim da coisa e que daqui a alguns anos eu mude de ideia, e que fique claro que não faço nenhuma objeção quanto a isso, mas atualmente, filhos não estão inclusos nos meus planos. E o homem que por ventura vir a ser meu marido terá de aceitar isso, caso esta decisão permaneça.

Não vou negar que às vezes a ideia de ter filhos bate à porta, que o medo de envelhecer sozinha assombra e que acho sim crianças bonitinhas e fofinhas, mas as dos outros.

A verdade é que nunca me dei muito bem com a criançada, nunca soube como interagir com elas e tampouco tenho muita paciência para os assuntos e brincadeiras delas. Simplesmente não me vejo sendo mãe. E sei que posso abrir mão de coisas especiais e únicas de quando se tem um filho, mas minha vida tem sido uma sucessão de fatos especiais e únicos que não sinto a necessidade disso. Gosto de viver minha vida intensamente e até a última gota, afinal, só se vive uma vez e eu quero aproveitar ao máximo. Um filho me prenderia na comodidade da segurança e estabilidade. Que graça que tem isso? E não digo isso só porque tenho 23 anos e estou na fase de curtição. Não é bem isso. Gosto sim de sair, de ficar até de manhã na rua e de me acabar de tanto dançar. Mas também viso minha carreira, minha estabilidade, minha independência financeira e minha evolução pessoal. Não, podem me chamar de egoísta, mas esta vida é minha, e pelo menos por enquanto não quero partilhá-la com ninguém.

Meus pais não gostam muito da ideia, já que a única esperança de terem netos venha do meu irmão, que também não manifesta o desejo. O sonho do meu pai é ensinar palavrões aos netos, coisa que meu avô, pai dele, fazia comigo e com meu irmão quando éramos pequenos, e que o avô dele fazia com ele como era criança. Coisa de tradição familiar, saca? Acho que tanto ele quanto minha mãe sentem que o ciclo da vida ficaria incompleto sem os netos, mas já garanti que terei um cachorro e que podem ensinar quantos palavrões quiserem à ele. Já é alguma coisa, não?


Para ler minhas maluquices, follow me: @claris_simao
Para me chamar de maluca: claris@corporativismofeminino.com

;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Claris Simão às 08:00

24 comentários:

Dama de Cinzas on 25 de março de 2011 08:23 disse...

Esse texto poderia ter sido escrito por mim... rs

Beijocas

Sarita on 25 de março de 2011 09:53 disse...

Não nasci para ser mãe, mas sou. O mesmo fato deve assombrar bilhões de mulheres.

Detesto criança também, acho um saco aquele nhem-nhem e a voluntariedade inerente delas. Mas amo meu filho, mesmo que ele seja uma criança (quase adolescente agora).

Sei lá, se todo mundo fosse parar pra pensar mesmo se tem instintos maternos, acho que 80% diria que não. É uma vida meio de escravidão que no século atual parece inadequada e fora de contexto.

GiovanaBaptista disse...

Eu pensava exatamente a mesma coisa...falava que jamais casaria e teria filhos. Pois é...caiu na testa já que nem boneca eu gostava de ganhar de presente. Nunca treinei meu instinto materno com bonecas ou primos ou irmãos mais novos.
Quando meu filho nasceu (depois de mais de 10 anos de insistência do marido) o pessoal vive me elogiando falando que sou excelente mãe (e é o tipo de coisa, que mesmo as mais seguras sempre irão duvidar). Mas, pelo visto, estou me saindo bem e o instinto materno é algo que realmente nasce com a mulher...mas confesso que os primeiros anos não foram agradáveis, já que não suporto a ideia de alguém extremamente dependende...e quando ele começou a ficar um mais inpedendente (comer sozinho, ir ao banheiro, ligar e desligar os desenhos preferidos, saber do que quer brincar) tudo ficou mais fácil e alegre.
O importante é passar por todas as fases da vida...balada, pegação, e quem sabe, ser mãe também.

Rafael R on 25 de março de 2011 11:31 disse...

De repente, tudo tenha seu tempo. Ou não né. Eu sempre ouvi que não dá pra dizer o que é ter um filho até o dia que você tem um. Então é complexo, mas está dentro do teu direito escolher não tê-los e ninguém tem nada com isso. :P

Núbia Souza on 25 de março de 2011 11:47 disse...

Sempre fiquei em cima do muro sobre esse assunto, afinal já vi várias amigas falarem que não se viam com filhos e depois que a maternidade bateu a porta delas, dizem agora que não vivem sem eles.
Talvez após ter um filho essas questões como levar o filho na escola, levar nas festinhas, e o por ai vai passam a ser coisas gratificantes da mesma forma como hoje sem filhos a gente ache legal ir para uma balada, deve em algum lugar ter uma mãe que acha legal levar o filho na balada.
Bom essas questões maternas somente a vivência de uma maternidade vão poder dar uma opinião clara sobre o assunto.

Ninguém envolvente on 25 de março de 2011 13:18 disse...

Filho é um investimento duplo: tem que investir pra criá-los ... mas esse investimento será tido de volta qdo vc ficar velho e tera quem cuidar de vc! (nem sempre funciona)

júh disse...

Eu adoraria ser mãe, apesar de ter apenas 18 anos, já penso na idéia sim, de casar e ter uma filha um dia...sempre quis ter uma menininha, imagino que deva ser a maior realização na vida de uma mulher, de uma Mulher!(isso inclui vida profissional e sentimental formada). Cada coisa a seu tempo é claro, mas sem essa dizer que eu nunca teria. Até por que "nunca" é muito tempo!

Shadowcat disse...

Quando digo que não quero ter filhos e que alias já os tenho, meus gatos, as pessoas me olham que se eu fosse um extraterrestre e somente dizem "você diz isso agora, mas depois vai mudar". Eu com certeza não irei mudar, tenho esse pensamento desde que eu era criança. Não acho nem crianças dos outros bonitinhas, o que me faz de certa forma me sentir desconfortável quando alguma amiga diz "olha que bebê lindo" e olha pra mim esperando que eu confirme. Seria tão bom se todos aceitassem que nem todo mundo quer ter filhos e gosta de criança.
Ótimo texto Claris!

Olivia Gomes on 25 de março de 2011 14:54 disse...

Primeiro vou dizer q xonei pela foto... Foi muito bem escolhida!
Assim, não digo que desejamos nunca ter filho, porque filho é uma dádiva de Deus ,entendo bem seu lado eu tenho 20 anos,não tenho muita paciência e muito menos instinto materno,apesar de ter três afilhados(coitados). Até pouco tempo pensava igual mesma a você, mais hoje em dia posso dizer que já estou um pouco madura e mesmo assim não tiro sua razão.
Filho requer muito amor, carinho, paciência e dedicação. Filho requer uma família estável,precisa de pai e mãe.Não é só fazer e jogar no mundo.Somos jovens e estamos em fase de aproveitar a vida, pensar em estudar, em seguir uma carreira profissional, em viajar, namorar muito e beijar na boca.
Como já me disseram,quando se engravida,levamos uma injeção de mãezol,espero que seja verdade por que não sei nem trocar uma fralda. Mais nada disso me tira o desejo de casar e construir a família... Mais tudo em seu tempo.

Pense nisso!!!

Eu... on 25 de março de 2011 17:58 disse...

Nossa, concordo com tudo!

Onde assina?!

Mto bom, Claris!!

=)

CNS disse...

Ah, assino embaixo totalmente e não pretendo mudar de idéia. Até pq, nem casar eu quero.

Eu gosto do meu cantinho, calmo e silencioso. Detesto gente no meu pé!

Eu quero viajar pra Europa e pra Àsia [ok... vou esperar as nuvens de radiação dissiparem... mas não pra entender a idéia].

Quero conhecer outras culturas, cuidar de animais [de muitos], estudar mais [sim, sou viciada]... enfim... quero ser plenamente livre. E sinto que a vida é curta demais pra tudo que quero fazer... logo... homem irritante + criança birrenta não encaixam nesses planos. Mas quero sim, um monte de sobrinhos pra paparicar, já que todos os meus primos [não tenho irmãos] resolveram casar ao mesmo tempo!

Meu pai tá p*&$ da vida, pois sou filha única. Bem, não é culpa minha! Vou fazer o quê... disperdiçar minha vida em função dos outros é que não vai ser...

E - vão me detestar por dizer isso, mas... - na boa, pra quem diz que virou mãe porque "não teve opção", duas palavrinhas: camisinha e anticoncepcional.

Angel on 25 de março de 2011 20:33 disse...

Parecia que eu estava falando, palavra por palavra hahaha, me identifiquei completamente.
Com uma diferença: eu já tenho 30 anos e continuo mantendo minha opinião! hehe

Bel on 25 de março de 2011 20:52 disse...

Acho que um cachorro não, mas talvez um papagaio supra a necessidade do seu pai! huahauahua

Cá disse...

Sempre leio o blog, acho muito bom!! Parabéns! :]

E um double parabéns pelo texto e a coragem de postá-lo.

Manja a velhinha q vive numa casinha com 50 gatos? Este é meu futuro! kkkkkk!

Não sou chegada em crianças, não tenho muita paciência e sou muito mais amiga dos bichinhos. Tenho sobrinhos, gosto deles, mas não nasci pra ser mãe.

E a Bel tirou as palavras dos meus dedos... kkkkkkk! Dê um papagaio para seu pai! Fica a dica! ;D

Bjssssss

Amanda Lemos on 26 de março de 2011 14:01 disse...

Mãe é mãe, fato !

Muito interessante o blog !
Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...;

www.bolgdoano.blogspot.com

Muito Obrigada, desde já !

J@de on 26 de março de 2011 21:17 disse...

Eu nunca pensei muito em ser ou não ser mãe, só sei que quando casei a coisa aconteceu naturalmente...
O que e sei é que não sou uma mãe convencional... cuidei, levei na escola, nos eventos e tal, mas não padeço no paraíso... ah isso não!!
Eu me separei porque meu marido era mais filho que o filho, e aí eu desencanei bastante e acho até que crio meu filho de uma forma legal.
Uma coisa que fiz questão quando me separei eram os dias de visita, quando eu podia ser solteira, badalar, virar noites e tal, então não me senti muito presa...
Meu filho já vai fazer 18 anos, e eu continuo solteira, não me arrependo de ter tido o filho, mas casar... nunca mais!! hehehe!!
Não acho nada condenável quem não quer ser mãe, acho que cada um tem o direito de fazer o que quer vc tá certa!!
Além do mais nada é escrito em pedra, como vc disse!!
Ótimo post!!
Beijos!!

Aquariana disse...

Poderia ter sido escrito por mim.
Não sou maternal, não gosto de crianças sujinhas, chatas e barulhentas (só das quietinhas, limpas e cheirosas - dos outros).
Antes que me xinguem de insensível, me contento em ajudar uma creche que cuida de 40 delas, e isto por si só, já me faz muito feliz.

Ana disse...

só uma coisa:
AMÉM!

ONDE EU ASSINO???

Carol disse...

Nuss...acho q leu meus pensamentos. Só q eu já to com 26 e nos preparativos pro casamento, daqui uns 2 ou 3 anos, já deixei claro q não quero filhos e q a chance de mudar de idéia é minima! Mas só muda de idéia quem tem uma, certo? Quem sabe qdo eu tiver com 35 eu perceba meu talento pra ser mãe!!!

leticiapf on 29 de março de 2011 21:34 disse...

"já garanti que terei um cachorro e que podem ensinar quantos palavrões quiserem à ele. Já é alguma coisa, não?"

Hauehuaheuaheua adorei!
Parece até que fui eu quem escreveu esse texto!

byebyesofa on 31 de março de 2011 02:07 disse...

Concordo com a Sarita. Acho que quase ninguém hoje em dia tem vocação pra ser mãe, mas acontece!

Eu quero ter uma filha, as vezes até tenho vontade de engravidar mesmo, sentir como é, essa conexão, essa emoção. Mas... minha namorada não quer.
Ok, temos 24 anos, nenhuma das vontades é definitivamente definitiva (a dela parece ser mais que a minha), mas é complicado.
Do outro lado, tenho minha mãe que é super frustrada pq acha que nunca vou casar (não do jeito que ela gostaria, e nem se fosse HT!), que ela nunca vai ter netos... Ela não pressiona, mas vejo isso quando meu pai está com os netos deles (do filho do primeiro casamento).

Enfim, um passo de cada vez. Quem sabe em alguns anos, descobrimos essa história de instintos maternos. Ou não.
Do cachorro, eu não abro mão!

Anônimo disse...

Por favor instinto materno nasce com qualquer animal, sim racionalismo a parte é isso que somos, classe dos mamiferos para quem desconhece.
Me junto ao grupo das que não desejam filhos e dizer isso em alguns meios é quase como jogar uma bomba. A maioria ainda acredita no esteriotipo mulher tem que ser mae etc etc. Enfim a humanidade tem muito que evoluir ainda, até lá me recuso a por uma alma nesse mundo...

andrea chi sakai on 4 de maio de 2012 13:44 disse...

Q bom descobrir pessoas que pensem igual a gente!! Tb sinto que não nasci para isso, apesar de fazer tudo pelo meu bebê.

Anônimo disse...

Tenho uma filha de 03 anos, mas a cada dia sinto que não nasci para ser mãe. Minha paciência é muita curta. Quando ela birra ou teima comigo, digo e faço besteira, depois me arrependo, mas continuo fazendo. Não sei o que faço para me tornar uma mãe melhor. Será que isso é possível, ou vou ter que largar ess papel e deixar isso a cargo do pai dela? Gosto mesmo é de viver minha vida sem ninguém para pegar no meu pé!

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino