segunda-feira, 28 de março de 2011

Gente grudenta, quem curte?


Não é raro ser um chiclete em inícios de namoro - É até comum, eu diria. Mas à medida que os dias vão passando e você gruda, gruda tanto que deixa de ver seus amigos ou esquece um pouco dos seus deveres profissionais, a coisa começa a desandar. Aí me vem a cabeça um apanhado de ditados (que transcrevo agora no meu linguajar): Não molhe tanto a plantinha que ela morre ou Deixe a gaiola aberta para que o passarinho possa voltar ou, ainda, quem nunca comeu melado quando come se lambuza. Por que algumas vezes age-se de forma tão grudenta, sufocando o outro?

Passei recentemente por uma situação difícil que deixou de ser um chiclete para se tornar um caso de vampiro emocional no seu melhor sabor sangue. Fui atormentada dia e noite por uma vizinha que, porque a tratei com atenção e estava participando de uma mesma irmandade, decidiu que devia me procurar (me importunar) 24 horas por dia. Isso ia de entradas sorrateiras no meu apartamento (sem tocar a campainha) até abrir a porta do meu quarto sem bater ou me acordar num sábado às 7h. Aí você me pergunta: Por que você não gritou com ela e mandou cair fora? O problema é exatamente esse, O Grudento é sempre uma pessoa que você quer ENXOTAR da sua vida, mas não pode por questões sociais e até EMOCIONAIS. Morro de pena da Grudenta em questão - Eu disse, uma questão de vampirismo emocional. O Grudento é sempre aquela pessoa que você não encontra um jeito de se livrar, é aquela pessoa que no MSN você não bloqueia, mas passa dias sem usá-lo só para não ter que ser sugada emocionalmente por caracteres carentes.

É aí que eu quero chegar, o grudento é necessariamente alguém carente? E quem vai confessar que é grudento e carente? Ninguém! Eis a questão. Todo mundo diz que não é carente, muito menos grudento. Qual é o problema de ficar sozinha consigo mesma? - Pleonasmo mesmo para ficar compreensível. Há amigos que passo anos sem vê-los e quando nos reencontramos está tudo exatamente como foi deixado. Nossa cumplicidade e companheirismo ficam intactos. Enquanto mastigando a coisa da amizade, dia a após dia, mês após mês, o chiclete perde a textura e eu começo a sentir gosto de merda. Não que eu não veja meus amigos amados com frequência, mas a convivência excessiva, a presença exigida vira chiclete sabor veneno fácil - Sim, vou usar de todos os trocadilhos permitidos, obrigada.

Quero dizer a todas as pessoas grudentas do mundo (dramático isso!) que: As pessoas não deixam de lhe amar porque não querem falar com você em determinado momento. As pessoas não precisam querer sua companhia o tempo todo, mesmo quando amam você. E, mais, você tem que se bastar nem que seja um pouco.


Livrando-se do Grudento (se isso é possível):


Não adianta colocar vassoura atrás da porta ou dar nó em pano de prato, o que funciona é dizer que está ocupada e ficar indisponível. O que para mim não adiantou muito no começo. Pois assim que eu dispensava a minha vizinha, ela estava interfonando novamente para fazer uma pergunta desnecessária. Já fingi até que tinha viajado (morando no mesmo prédio), não usava o elevador e saia pelas escadas pé-ante-pé. Passei a trancar a porta do quarto de chave. Ou a não atender o interfone quando notava que era ela. E, ainda, não estacionava o carro na minha vaga da garagem para ela não perceber que eu estava em casa. Sim, muita chateação! Mas o que funcionou definitivamente foi a avalanche de nãos e coisas como "Eu adoro privacidade" ou "Realmente tenho sido interrompida nos trabalhos que estou fazendo" ou "Cada um deve ficar na sua casa, não tenho o hábito de me meter na vida dos outros". É isso mesmo, você joga as indiretas, mas não diz na cara. Caso, claro, você se importe em ferir os sentimentos da pessoa que já feriu os seus sem dó ou piedade. O meu caso foi tão desgastante que quando minha mãe passou um tempo fora, a vizinha em questão se alojou na minha casa como um carrapato num pêlo canino. Quando minha mãe retornou, eu a abracei e comecei a chorar copiosamente. Depois que parei com o chororô contei que há tempos não tinha privacidade, nem tranquilidade na minha própria casa. Pode parecer exagero ou algo do tipo. Mas eu ADORO MINHA PRIVACIDADE. Por exemplo, eu amo meu filho, mas quando o deixo na escola sinto uma paz incrível e quando o busco, a paz também está lá. A vida é feita disso, de deixar o outro respirar. De se deixar respirar.


Quando o GRUDE é bom (se isso é possível):


A coisa é boa em início de namoro. Fatão. Mas um bom tempero para o chiclete é ter os intervalos de trabalho e de outras atividades. Porque eu passei por uma experiência com o pai do meu filho que exemplifica bem isso aqui. A gente era bem jovem quando começou a namorar. E no pouco tempo que namoramos, dormíamos, tomávamos café, almoçávamos, íamos para casa, pra festa, pro quer que fosse juntos. Era tudo-ao-mesmo-tempo-agora. Sempre juntos. Numa exaustão ininterrupta. Na época um queria o grude do outro. Eu tentava me desvencilhar pra dar espaço, mas o grude era de comum acordo. Eu ia, ele puxava o chiclete. Ele ia, eu repuxava. Resultado? Uma separação precoce que fez da música do Kid Abelha a nossa música.



Onde você já apresentou mais o seu lado chiclete?

CHICLETE NA FAMÍLIA. Mães que grudam nos seus filhos. Deixam de viver e grudam. A vida é o filho. O filho é a vida.
CHICLETE ONLINE. É aquela pessoa que nem tem assunto com você, mas TODO SANTO dia fala com você. E fala as mesmas coisas. E não adianta se você falou com ela há 4 minutos atrás e nada mudou, a pessoa quer falar com você. E fim. Gruda.
CHICLETE EM NAMOROS. Natural no início. Depois vira psicose e geralmente é aquela pessoa que no término vai dizer "Fiquei sem chão".
CHICLETE EM AMIZADES. É aquela pessoa que liga e liga. E procura, procura. E enche, enche. E é um forte candidato a inimigo.

Responda a enquete:



Onde você já apresentou mais o seu lado chiclete?

Nos relacionamentos amorosos

Na família

Nas amizades

Na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê-ê-ê

Não sou grudento(a)
















E vocês já foram vítimas de um chiclete? Já foram chicletes? Como se livraram da sua felícia?


Até a próxima,
sarita@corporativismofeminino.com
@A_Sarita



P.S.: Se um grudento (que nunca dirá que é grudento) ler o meu post com a mente aberta e repensar suas ações ficarei feliz em ter feito esse post. Porque afinal VOCÊ pode ser o vampiro de alguém (e não sabe), O GRUDENTO nunca sabe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Sarita às 00:00

15 comentários:

Dama de Cinzas on 25 de março de 2011 07:28 disse...

E se você fechasse a porta do seu apartamento e fingisse que não está em casa. Porque posso estar enganada, mas parece que a porta do seu ap fica aberta.

Do jeito que amo minha individualidade. Na primeira que ela fizesse eu já dava um corte. Mas sei que depois de estabelecida essa situação é difícil sair fora.


Beijocas

Sarita on 25 de março de 2011 09:39 disse...

Fiz isso, Dama. Olha lá em "Livrando-se do grudento". Tenho crianças em casa que entram e saem o tempo todo, tive que mudar minha rotina por causa disso.

Deja disse...

Eu sempre odiei grude... Exceto quando eu passava o dia todo conversando com minha ex, mas eu a amava.

Agora com uma pessoa que estou conhecendo, não ando suportando tanta atenção que ela me dá, me sufoca.

A intensidade do que sinto determina o quanto de grude eu vou curtir.

.Intense. on 28 de março de 2011 10:43 disse...

Então pode ser considerar feliz. Pra mim, ele chegou no dizer certo - sinto dizer, mas sou a grudenta em questão.

;)

Bel on 28 de março de 2011 20:21 disse...

Eu não me acho nada grudenta, mas SOFRO com uns grudes do tipo Chiclete on-line: Exatamente como você descreve, a pessoa não tem o que falar e vem todo dia com o mesmo assunto. AFFF

Um desses eu desbloqueei do msn recentemente (depois de mais de 1 ano no block), e já me arrependi. Outro eu bloqueio, fico com pena e desbloqueio, não aguento e bloqueio.....eterna luta sem fim. Ai. Pior que é isso mesmo, chicletes não se tocam nunca!

Clarisse Simão on 28 de março de 2011 21:40 disse...

Eu saia com um cara mega bacana. Super apresentável, saca? Tava até pensando em investir de fato no cara, mas ai ele vira no segundo encontro e fala que tava morrendo de saudade de mim. Isso pq do primeiro para o segundo encontro teve um tempo de 3 dias. 3 DIAS!

Mas isso nem foi o pior. O pior msm foi no terceiro encontro q ele falou que gostava de mim. Quase perguntei se ele tinha 12 anos! Mas me controlei.

Não sou nenhum pouco grudenta. Sou carinhosa, mas chiclete já é demais. Não gosto de demonstrações excessivas (e públicas) de afetos e ODEIO dormir d conchinha. Preciso ter meu espaço e me sentir a vontade. Acho que tenho meu próprio ritmo, principalmente com relacionamentos. Na verdade, acho que tenho sérios problemas de relacionamento...mas deixa pra lá.

Otimo texto Zin!

Beijos.

Terapia Floral on 28 de março de 2011 21:49 disse...

Tem florais para trabalhar o tipo grudento: heather (bach),chicory (bach)...dentre outros.

www.floraisonline.net

MorenA on 29 de março de 2011 21:30 disse...

Detesto gente grudenta, mas quando se conhece alguém não dá pra dizer de cara que a pessoa é assim. Pois bem tenho uma amiga que se encaixa bem nessa descrição, a minha sorte é que ela mora em outra cidade, mas mesmo assim, de vez em quando ela dava umas surtadas 'on line' pq eu tava diferente....

Acontece que eu não curto ouvir "eu te amo" todo dia. Nem "to morrendo de saudade de vc" pq eu realmente não morro de saudades... Meus amigos são aquelas pessoas que eu n vejo todo dia, mas que quando vejo a conversa flui como sempre, e que eu sei que posso contar.

Não gosto de tititi no telefone, nem de declarações de amor o tempo todo. (e não sou frígida)hehe! Apenas não gosto de grude!

•SunSamadhi• on 30 de março de 2011 01:16 disse...

Eu sou mega grudenta com meu marido (apenas)... estamos há 10 anos juntos e MORRO de saudades quando ele está fora de casa em compensação, se sinto que outras pessoas estnão grudando em mim já vai me dando um negócio, uma agonia que eu falo logo na cara, "porra, tem casa não é?" no telefone, se passar mais de 10 minutos eu falo que minha orelha tá pegando fogo não aguento mais, câmbio e desligo. Vai entender!

bjs Ju

Espero que a grudenta leia o post mas não fique chateada! :)

•SunSamadhi• on 30 de março de 2011 01:17 disse...

putz, meu texto de semi analfabeta, foi mal tá!

carlota on 30 de março de 2011 12:16 disse...

adorei este post e vou voltar para ler com mais calma. Posso dar uma sugestão? fale tb sobre gente grossa? Adoro seu modo de ver a vida e - acredite!- aprendo muito com vc e olha que devo ter idade pra ser sua mãe!!! hauehuahauahauahau (49 anos) beijos e valeu!!!

Anônimo disse...

amo gente grudenta, rezo para um dia aparecer na minha vida uma pessoa que não consiga mais respirar sem mim

Bianca disse...

Adorei o Post!!

A pessoa grudenta sempre acha que não invade sua privacidade ou que acha que você que é muito seca. Estou com esse problema a um tempo com uma amiga, ja não estudamos mais juntas, viajei por um tempo mas ela sempre volta e quer ficar horas no telefone.

Tem vezes que eu quero viajar com a minha familia a sós e ela pergunta: A o que vai fazer? a blzz então vou com vc! Tipo não chamei para ir comigo. O pior é que ela fez isso com uma amiga, a amiga ficou sem graça e falou que ligava, no final a amiga se mandou e não chamou ela e ela ainda achou ruim!! Mas detalhe a Amiga não tinha convidado..ela se convidou!

O pior é que pessoas assim não são grudentas no começo ai vc não percebe, são legais em alguns momentos mas grudam tanto que faz vc ficar com aversão a ela, e vc simplismente não consegue ser grossa e enxotar a pessoa da sua vida.

Tentei algumas alternativas tipo:

Quando ela não quer desgrudar do telefone: To trabalhando muito não da para falar agora.

Quando ela se convida para dormir na sua casa: To trabalhando final de semana nem da para voce dormir.

Quando ela se convida para viajar: A passagem é muito cara custa 300,00 quer ir mesmo assim?

Quando se convida para ir na balada: Pode ir la vai ta o Zé a Carla a Patricia e a Márcia vc não conhece mas lá vc se enturma (pessoas assim carentes não gostam de outras pessoas tomando a sua antenção ela sempre acaba dizendo não)

As vezes nada disso funciona, ai vc tem que dar um perdido e começar a ser seca, falar que ela não pode depender de você para fazer as coisas, ela vai falar que vc mudou não da mais atenção e é grossa. Paciência pelo menos ela se toca.

Mariane on 18 de agosto de 2012 21:17 disse...

Sofri bastante com isso em 2008, quando estava terminando o ensino médio.

Tinha uma menina que era um verdadeiro grude, sempre queria fazer trabalhos e provas em duplas comigo e sentar ao meu lado na sala de aula. Também se auto convidava para ir a minha casa ou simplesmente me acompanha sem eu ter chamado. Resumindo, a menina era uma mala sem alça, um verdadeiro carrapato. Nunca tive coragem de dizer isso a ela, mas fiquei bastante feliz quando aquele ano terminou.

Quando vejo que está on no msn simplesmente fico off ou não respondo, não passo meu telefone, exclui das redes sociais... kkkkkkkkkkkkk

É maldade? Maldade é você não ter mais liberdade. rsrs

Mariane on 18 de agosto de 2012 21:33 disse...

*Acompanhava

Acho que pessoas grudentas devem ter algum problema, como baixa auto estima, sei lá... mesmo assim, enchem o saco!

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino