sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Diário de uma Traição


Olá, meninas! Só assim para eu aparecer, não é? Vim trazer o texto da Heleninha, já que a nossa querida boneca inflável está com o computador quebrado. Sentem, lá vem história (e das boas!)

Acho que vou receber pedradas por este texto (ok, tamo aí pra isso, primeiro pedrada porque eu posto demais a minha cara, pedrada por causa de um texto vai ser fichinha, hohohoho), mas tudo bem, vamos ver se alguém se identifica desta vez. Vou contar uma história que ando observando de perto, sem citar os nomes verdadeiros de ninguém, porque, como eu disse em textos anteriores, dar minha cara a tapa, beleza! Prejudicar pessoas que eu conheço, jamais. O que vou escrever é o que me contaram, em detalhes, com alguns comentários meus, hehe.

Era uma vez um cara com trinta anos recém feitos, nem feio nem bonito, charmoso, sedutor, talvez. Junto da mesma pessoa desde os dezessete anos, a vida era uma rotina perfeita, e ele achava que nada de novo aconteceria. E nada de novo estava acontecendo mesmo. Nem mesmo quando Angélica sentou-se ao seu lado com os pés tortos, toda escabelada, pedindo algumas informações, alterava sua rotina. Eles só se conheciam de vista, trabalhavam em coisas totalmente opostas, nunca sequer tinham se falado. Era aniversário dele, e conhecendo Angélica como eu conheço, tenho certeza que ela ficou aquela meia hora ao lado dele refletindo se lhe dizia parabéns ou não. Aposto que não disse, ela não tem tato como pessoas "espíritos de luz" teriam.

Alguns dias depois ela me disse que tinha sonhado com o cara, veja só que absurdo, sonhou que ele tinha lhe dado um selinho ahahahah. Nós rimos aquele dia. Pense, eles tinham se visto pouco mais de seis vezes naquele mês, se cruzado duas ou três vezes no almoço e só. E pelo amor de Deus! Ele usava uma aliança tão grande que chegava a andar torto. Ela era uma garota comum que usava tênis sujos. Nada demais. E então, de repente, tudo mudou. Um dia todos se sentaram na mesma mesinha pela manhã com a garrafa térmica, e ela sentou-se na frente dele, eu do lado, e ela não lhe disse bom dia. Eis que ele disse: Angélica, você fez sexo comigo esta manhã? Porque não me deu bom dia? E eu a vi desmanchar mesa abaixo, tímida. Ele levou uma bronca minha pela ousadia: Você nem mesmo conhece ela! Que absurdo! Envergonhou a menina! Ele riu, disse que estava só brincando, e que ela parecia simpática, mas que pediria desculpas. Pediu no outro dia pela manhã. E então, nunca mais se desgrudaram. Amizade instantânea. Sinceramente? Achei lindo. Não é cinematográfico?

As pessoas notavam como os olhos dele brilhavam quando ela chegava com os tênis encardidos, ou quando ela se lamentava que tinha feito alguma cagada no trabalho. Sempre dizia isso a ela: você não vê? Ele olha para todo mundo, mas fixa na sua direção se te vê. Ela dizia que não era nada, afinal ele era casado. Eram amigos, só isso, ela aceitava - ou pelo menos era o que ela gostava de vomitar para o mundo - que tudo fosse assim. E então eles se sentavam juntos no intervalo e ele tocava de leve suas panturrilhas. Angélica era uma garota forte, eu não resistiria, mas ela, ela era brava! Gostavam de ver os mesmo vídeos na internet, e um dia ela precisou de outra informação e lhe mandou um e-mail que recebu a seguinte resposta: Só assim pra você escrever para mim. Ele espalhava por aí que ela era a melhor amiga que ele jamais teve, já que estudou com só com homens por toda a vida e nunca teve uma amiga de fato. Era uma amizade madura. Não havia sexo, nada. Angélica se sentia muito bem. Se passou muito tempo, algumas pessoas começaram a fofocar que "ali tinha". Mas não tinha. Eu era testemunha de que não tinha mesmo.

Um dia ela precisou realmente de ajuda para um trabalho. Não sabia por onde começar e ele prometeu lhe ajudar no intervalo. E então ele pegou a lapiseira e começou a escrever no bloco de folhas. E ela esqueceu de olhar para o que ele estava fazendo no papel, começou a olhar pra ele. E ele disse: pára de olhar pra mim, por favor. E então ela perguntou o porque, e ele respondeu: você está me provocando. Ela segurou na palma da mão dele e ficaram se olhando por alguns minutos e foi isso.

É claro que o Universo conspira, eu acredito nisso. No outro dia "ó vamos beber, vocês - Angélica e ele - seus anti-sociais tratem de ir também, vai ser legal!". Foram. Beberam. Ela precisava ir pra casa, ele levou ela de mãos dadas. E então se beijaram. No outro dia ele sentou ela numa cadeira, disse que aquilo nunca mais aconteceria de novo. Ela riu, divertida, e levantou. "Porque você não gosta de conversar?" "Não tem nada pra conversar, deixa rolar!". E então obviamente aconteceram outras e outras e outras vezes, toda vez ele jurando que seria a última porque ele amava muito a pessoa que tinha em casa. Brigavam, ela ficava uma semana sem falar com ele, ele pedia desculpas e tudo voltava. E então um dia ele disse que não aconteceria nunca mais, que ele estava falando sério. Ela começou a chorar. Viu a verdade nos olhos dele daquela vez. Se perguntou porque aquilo estava acontecendo com ela. Ele resolveu dizer a verdade, ou que eu considero "verdade em partes".

Arrumada, Angélica era de fato alguém com muito potencial. Ele estava preso a uma mulher com um bebê pequeno em casa. É notório que, quando uma mulher vira mãe, ela deixa de ser mulher e vira só mãe por algum tempo. (Ai gente, vamos ser realistas? É a verdade ok, todo mundo sabe disso, cadê o Deja pra me defender?) Angélica contava que uma vez o fez chorar - do jeito que ele é meio mané acredito que de fato tenha chorado - porque dizia na cara dele que ele não honrava as calças que vestia, era um bundão, um monte de merda. Ele disse a ela, que nunca foi tão escrachado em toda sua vida e que nunca contestava, porque ela tinha razão. Ele estava em sua zona de conforto. Preferia ter o que tinha em casa a perder as duas - os namoros da Angélica nunca duraram mais de dois anos, eis uma pessoa que promove o desapego - e pior, perder o crescimento do gurizinho. Não era que ele não gostasse dela. Ele gostava, só não sabia o que fazer com aquilo, e morreu de medo quando descobriu que era recíproco. Ela ficou sem entender nada e se afastou. Tinha pavor de gente indecisa. Ele sentia falta dela, ela não respondia nem mesmo seu bom dia pela manhã. Mas quando íamos pra casa ela se debulhava em lágrimas. Ela havia mudado a rotina dele, bagunçado os papéis, e ele não sabia por onde começar a recolher a bagunça. Se sentia culpado. Enfim, uma grande maricona, ah pelo amor de Deus, PRONTO FALAY. e então ele completou: "Estar com você vai contra tudo que me ensinaram a vida toda. Eu não sei como lidar com isso."

Nunca soube o que lhe aconselhar.

Tudo que sei é que eles voltaram a ser amigos. Ele ainda brilha quando olha pra ela, embora ela não corresponda mais, pelo menos não na frente do mundo. Só na sua bolha particular.

Não dou dois meses pra Angélica fazer o que sabe melhor: desaparecer.

Mas gostaria de dizer algo legal pra ela. Vocês podiam dar uma força aí nos comentários, que tal?

Heleninha

heleninha@corporativismofeminino.com
twitter: jules_at_play

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Anália às 00:01

51 comentários:

Andréia Freire on 6 de agosto de 2010 04:03 disse...

Desculpa se for meio agressivo, mas é que traição é um assunto que não consigo pensar no traidor, mas apenos no traído.

Difícil. Na minha opinião ela deveria esquecê-lo e procurar um cara livre.

Me desculpem, mas eu só consigo pensar na esposa do cara. Ela está sendo enganda e isso eu acho muito escroto. Muito.

E não é porque a mulher quando vira mãe é só mãe durante um tempo que o cara pode trair. Na hora que a mulher mais precisa do cara, ele fazer isso. É uma puta de uma grande sacanagem. Sei que é fácil julgar, mas num caso desses, não dá pra mim. Me coloco no lugar da mulher traída e no de mais ninguém.

Andréia Freire on 6 de agosto de 2010 04:09 disse...

No mais, o quê que ela queria? Que ele largasse esposa e filho? É super normal o cara não querer perder o certo por causa do duvidoso, por uma aventura, um romance que ele nem sabe se dará certo. As pessoas que se envolvem com pessoas comprometidas se iludem muito fácil, mas na maioria das vezes a troca não acontece.

Agora, acho que ele está acomodado nesse relacionamento. Porque, EU, não acredito no amor de uma pessoa que deixa se levar, assim, tão fácil.

Sou radicalmente contra traições, por isso posso estar sendo radical.

Andréia Freire on 6 de agosto de 2010 04:13 disse...

Não quero julgar sua amiga, o erro é muito mais dele do que dela. Ele começou algo que não era pra ter começado. E magoou sua amiga. Podia ter sido evitado. Mas o acho covarde, pela história do post. Se não ia largar a esposa por ela, não devia nem ter começado nada. Esquece-se. Todos sabem o que é se apaixonar. É difícil sim, mas dá pra se controlar! Ainda mais se você está com alguém que diz amar. Acho inadmissível o que ele fez.

Deja disse...

Viram? Só traímos porque existem as tentações como a "Angélica", haha.

Ri do "cadê o Deja para me defender" hahaha, como assim? que imagem eu tenho passado, hein?

Acho que não é regra, mas quando uma mulher vira mãe, realmente o marido passa para segundo plano, em alguns casos o marido se apaixona pela criança tanto quanto a mãe (sim, é possível!) e daí tudo corre bem. Mas na maioria, não. Enquanto as "mães" consideram nossas necessidades infantis e egoístas, iremos buscar prazer fora de casa. Não adianta lutar contra isso, sentir nojo, asco, odiar todos os homens...

Tenho diversos colegas que passaram por isso, boa parte reclamavam de como estava sendo insuportável o casamento, diziam "Eu não sonhei com isso", "Minha vida é medíocre, sem graça", "Minha mulher nunca tem tempo para fazer sexo comigo", "Ela nem se cuida mais".

Mas não é regra, como nada na vida.

Sobre sua amiga, ela vacilou, poucos homens largariam tudo por outra... ficaria tudo igual até ele enjoar dela.

(Para se sentirem seguros na vida, eles precisam seguir o padrão: esposa + filhos. Não arriscariam o certo pelo duvidoso, é o mesmo que trocar um bom emprego por outro. É o padrão comportamental.)

Mas também não é impossível, eu era casado ainda quando estava namorando uma louca surtada, mas em casa não existia casamento,contato, afinidade... o fato de eu ter casado jovem (23 anos), me fazia pensar que estava perdendo meus melhores anos de vida... apenas não finalizei tudo porque descobri que lidava com uma louca, ufa! E comecei a comparar com o que eu tinha em casa. Mas eu hoje estou bem, estamos bem.

(mas eu sou uma pessoinha complicada e problemática, com probleminhas na cachola e que está se tratando e melhorando, sou o desvião padrão)

Anônimo disse...

Complicado... acho lindo o amor, mas não tenho muita paciencia com pessoas indecisas, apesar disso me vi envolvida numa situação parecida; era gamadíssima no cara e fiquei de molho, esperando ele esquecer a ex. Enquanto isso a bobona aqui foi se deixando levar -amar é f*-,quando saíamos ele se comportava como um amigo, não pegava nem em minha mão; lembro uma vez que ao me despedir dele, na calçada em frente de casa, ousei beijá-lo. Nossa, até hoje lembro a cara dele olhando p/ os lados, com receio de algum conhecido ter visto. Depois que juntei minha auto-estima do chão (alguns dias depois) terminei tudo e por incrível que pareça ele ainda chorou pedindo p/ eu não terminar. Doeu sim, mas por mais piegas que pareça, eu me amei mais e o mandei pastar em longinquos campos verdejantes. Desculpa o desabafo, o único conselho que posso dar é que ela se ame, se valorize e mande esse bundão pastar. (pronto, falei!)rsrs

Carla on 6 de agosto de 2010 09:55 disse...

Dizer uma coisa legal para a Angélica? Não sou muito boa para isso, mas... Eu aconselharia ela a sumir mesmo. Não para fugir, mas para seguir adiante, para esquecer esse sujeito indeciso e partir para outra. Mesmo que essa "outra" seja ela mesma.
Porque ela é nova, tem uma vida inteira pela frente, e não vale a pena ficar desperdiçando seu tempo precioso dando valor a um sujeito que não a valoriza como ela merece.
Não estou considerando o lado dele. Ali, são outros 500. Mas para ela, para a Angélica, eu aconselho erguer a cabeça e seguir adiante.

Giordana Azzi on 6 de agosto de 2010 10:42 disse...

Adorei o post. Conheço uma história semelhante, muito semelhante.... E também não sei o que dizer...
Mas acredito sempre que essas coisas não acontecem por acaso nas nossas vidas, ainda mais quando são envoltas em sentimentos.

rayssa gon on 6 de agosto de 2010 10:45 disse...

a blogosfera serve pra mostrar que até naquilo que vc pensar ser uma senhora-perversão vc é apenas mais um(a). e que, como todo mundo, vai conseguir superar. ou quase. :S

paula on 6 de agosto de 2010 13:20 disse...

ahn... acho que a Angélica está mais do que decidida, não? no que me pareceu pelo seu texto, por mais que ela até goste do tal banana em questão, ela sabe que ele é do tipo mais típico dos traidores: o que se faz de vítima.
é aquele que fala sempre que a mulher não dá atenção para ele e wiskas sachê até conquistar o coração tolo da amante. aí fica na história do "não posso me separar porque ela é louca" ou "não posso me separar por causa dos nossos filhos problemáticos" e enrola a coitada apaixonada por anos, até que, com o coração e a auto-estima em frangalhos, ela pega o que restou dela do chão e tenta recomeçar a vida... em outro país se possível.
e ele? procura a próxima vítima enquanto a mulher está grávida do terceiro filho.

Angélica, corre.
=)

Anônimo disse...

Heleninha, me perdoe, mais essa "Angélica" ou estava muito carante, ou foi muito otária! Gente, toda mulher com mais de 25 anos sabe que homem casado que vem atrás de carne fresca (e se faz de inoscente, "ohh estou apaixonado e não resisti")quer dar uma (com o perdão da baixaria) trepada e daí vem com esse papinho magro pra manter a pata disponível por mais um tempo! Fala pra tua "amiga" que ela caiu na pegadinha mais antiga do mundo! De onde ela acha que vem aquele papo "não se envolva com homem casado" ou "homem casado nunca larga a esposa pra ficar com a amante (salvo rarissimas exeções)".

Me desculpe a sinceridade, mas é por isso que o mundo ainda é dominado pelos homens!

Dani disse...

Minha opinião é parecida com a da Andréia Freire, com um adendo:

Supomos que ele largasse mulher e filho para ficar com ela. Eles namorariam, casariam, teriam filhos, ele encontraria outra mulher, trairia Angélica... opa!! Isso é um círculo vicioso!! Uma vez que ele traiu, enganou e escondeu de uma mulher, fará igualzinho com qualquer outra, pois ele não tem caráter, e nao se sente mal enganando!

Pronto, falei!!

Red Forman on 6 de agosto de 2010 14:45 disse...

"o tempo vai dizer
lento o que virá"

o tempo é pai de tudo. todos sabem, mas ouvir isso não ajuda em porra nenhuma.

boa sorte.

=*

RED.

Tata disse...

Nesses casos eu nunca consigo pensar em mais ninguem a não ser na pessoa traida.
O que aconselho pra Angélica é o que já disseram, ter amor próprio e seguir em frente, outra coisa que eu penso é que a grande maioria dos homens que trai uma vez, trai sempre, logo supondo que ele terminasse o casamento dele e ficasse com ela, quanto tempo iria durar até ele arrumar uma outra "por fora"? Garanto que não muito.
Alem dos problemas aparentes, nós mulheres sempre temos tendencia a pensar que conosco vai ser diferente, mas a verdade é que não vai (na grande maioria dos casos).
Quem sabe dizendo isso pra ela não é mais um motivo pra ela tentar esquecer essa história toda?

No mais, um bom texto.

Boa Tarde!

Elaine dos Anjos on 6 de agosto de 2010 16:11 disse...

Carência, falta de atenção da mulher, o que seja não é justificativa, pois o que deve prevalecer num relacionamento é a lealdade e respeito, acima de tudo, mesmo que o sentimento tenha afrouxado, ou acabado e isso ele não teve mesmo ao se permitir esse tipo de coisa. Prá mim homem que trai a mulher numa situação dessas, realmente é um canalha.Homem também tem que aprender a dizer NÃO aos seus impulsos.É o que penso, e é isso. Bjuxx
http://garotavaidosa.blogspot.com

GMD on 6 de agosto de 2010 20:30 disse...

Desculpa mesmo, mas eu nao consigo dizer nada de legal pra sua amiga. Ela se envolveu com um homem casado. queria o que?
O cara, COM CERTEZA, foi o errado.
Por bem ou por mal, sua amiga nao tinha compromisso nenhum, ELE TINHA.
O melhor pra ela foi ter ficado sem ele. Se ele é capaz de trair a mão do filho dele, porque nao trairia sua amiga?
Concordo que tem uma época que mulher é só mae, mas isso não é desculpa pra trair.
Eu tento ser uma pessoa de mente aberta. Mas trair é e sempre vai ser uma coisa nojenta e baixa. Eu nunca consegui ficar com homens comprometidos, pke sempre me colocava no lugar de mulher deles.
Toda sorte pra sua amiga. Mesmo que doa, ela REALMENTE está melhor sem ele.
beijos!

Desdhemona on 6 de agosto de 2010 20:44 disse...

O homem é um bundão imaturo. O melhor que a "Angélica" pode fazer é esquecê-lo e entrar de cabeça em relacionamentos menos confusos.

E cá entre nós, mesmo que ele largasse a esposa por ela, ela confiaria nele até quando?
Digo, que garantia a Angélica iria ter de que o cafajeste não deixaria ela por outra, depois?

Quem mais é prejudicada na história é a esposa do infeliz. Se ela soubesse, é claro.

Zingara on 6 de agosto de 2010 22:27 disse...

Isso tudo dói muito em mim.

Mari disse...

Né por nada não, mas esse papo que o homem tem necessidades e que a mulher fica negando depois que tem filho é balela.
Depois que, por mais que ela esteja feliz, ela tá gorda, não tem tempo de se cuidar (porque pra certas pessoas, a mulher deixa de se cuidar porque ela quer...meu deus, quem quer se feia!?)
Aí o cara ao invés de pensar com a cabeça de cima, fica inventando desculpa pra poder usar a de baixo.

Desculpa aí, tua amiga é apenas mais uma aventura de um cara que acha que tem a vida monótona.

Cris Soleitão on 7 de agosto de 2010 11:39 disse...

Isso tudo dói muito em mim. [2]

Ontem eu tentei comentar e nem consegui.
Eu passei por situação semelhante anos atrás, porém diferente [algumas graves agravantes]. A parte boa é que ele não era casado... mas nem por isso o problema foi menor.
Também tive a sorte de ter segurado meus impulsos e não ter ficado com ele [nem beijo]. GRAÇAS A DIO!!!
Ou seja esse post me mostrou tudo o que poderia ter acontecido comigo. Eu sempre tive certeza que - por mais que a minha história fosse louca - se tivesse contato físico teria sido um bilhão de vezes pior... Afff...

Infelizmente, não tenho nada de positivo a dizer a sua amiga!!! =/

A única coisa que ela pode fazer por si mesma é, de fato, SUMIR!
Mas SUMIR mesmo. [isso inclui não frequentar mais os mesmos lugares e evitar amigos em comum].

O problema disso tudo é pior do que deixar a auto-estima em frangalhos> Pq a auto-estima você recupera... O problema é conseguir re-aprender a confiar em alguém!!! Isso é praticamente impossível!!!

É bem como disse a Dani: se ele traiu a namorada/noiva/mulher/esposa certamente a trairia também.
E quando nos envolvemos com alguém assim começamos a ver todos os outros homens sob a mesma ótica.
Podem me tacar pedra!!! Mas é mais forte, vai além do simplesmente 'querer' confiar... NÃO CONSEGUIMOS mais e ponto.

Acho que vou virar lésbica =P

ANABIALOPS on 7 de agosto de 2010 11:53 disse...

è assim mesmo, np início é doloroso mas só o tempo cura, mas o tempo utilizado com algum afazeres, ele puro dói mais ainda!!E, nas horas vagas ou não o melhor AMIGO, são os livros seja de auto-ajuda, religioso, são eles q daráo o fortalecimento necessário tanto para 1 como para o outro!!

Ana Vicente on 7 de agosto de 2010 12:15 disse...

Triste... passei por algo semelhante certa vez. Mas foi ele quem desapareceu, e nem sei o porque. De vez em quando sinto saudade, mas queria saber o que foi que fiz.

Inaví on 7 de agosto de 2010 14:16 disse...

A coisa mais legal pra dizer pra Angelica é: "faça o que você melhor sabe fazer" "desapareça"!!!
Imagina que legal se todos os homens no mundo fossem tão podres como esse cara é... e toda vez que uma mulher ganhasse bebê ela também ganhasse um belo par de um chifre. Poxa vida no auge dos meus 30 anos eu jamais deixei um homem casade se aproximar de mim. Tem tanto homem no mundo. Ele é um porco e sua amiga de santa não tem nada. Ela sabia que a mulher tava com um filho em casa e mesmo assim se deixou envolver, de forte e brava ela não tem é nada... ah tenha santa paciência... eu só tenho pena é da coitada que ta em casa limpando bumbum de criança.

Anônimo disse...

Desculpe o excesso de sinceridade, mas tua amiga realmente não tem nada de santa, como disse a Inaví...
Poxa, não tem nada mais SUJO do que se envolver com alguém comprometido. Na boa... Isso só mostra o quanto a pessoa é insegura e não tem a menor consideração por ninguém.
Quanto ao cara, sem comentários... Um escroto. Como todo traidor.

Talvez esse comentário pareça tremendamente moralista... Mas acho que ver tanta filha da putagem não permite que eu me manifeste de outra forma. Sinto muito, mas é verdade.

Kaique on 7 de agosto de 2010 22:02 disse...

Diz pra sua amiga que ela acabou com uma família, e que por causa dela uma criança pode ser criada sem pai — assim como eu fui.

Anônimo disse...

É a Heleninha com preguiça de logar.

Kaique (e outra pessoa que postou chamando minha amiga de safada, enfim, preciso reler), nada contra sua opinião, mas eu acho, MELHOR, tenho CERTEZA do seguinte: é mt fácil colocar a culpa na mulher. Todas as mulheres são mesmo umas cachorras devassas destruidoras de lares e todos os homens casados são pobres vítimas dessas mulheres vagabundas mundanas não é mesmo? Acredito claramente na teoria do filme Closer: existe uma linha tênue entre se deixar levar por uma atração física/paixão ou respirar fundo e seguir em frente sem fazer nada. E essa linha só é ultrapassada por duas pessoas. O cara tb não é nenhum santo inocente. Eu acho até pior a atitude dele. Se a pessoa é solteira ela pode dar em cima de quem ela quiser, se não existe nada que a prenda. Se a outra pessoa é comprometida, so sorry, a obrigação de cortar é todinha dela. Já senti muita atração física/paixonite por um cara quando estava namorando e foi meu namoro mais sério. Cortei antes que desse merda e eu magoasse a pessoa que eu amava, MEU NAMORADO. Não atravessei a linha, e o outro cara abaixou o rabinho e foi embora. Se vc foi criado só pela sua mãe Kaíke, não ache que foi porque uma vagabunda levou o seu pai de casa obrigado pelos cabelos. Com certeza ele juntou suas coisinhas usando os dois braços e saiu de casa porque quis. Desculpa mundo, não existem inocentes numa história como essa.

*amarga, mode on.

Anônimo disse...

Heleninha, concordo que não existem inocentes... E concordo também que o maior culpado é o homem, já que ele é comprometido. Mas por outro lado... que homem trairia se não houvesse mulheres topando ficar com ele mesmo ele já tendo uma pessoa... entende?
Não digo que as mulheres causem alguma coisa, o cara é um filho da puta, lógico, mas isso não justifica o fato de se engraçar pra cima de um cara comprometido não ser indicativo de que a menina em questão não tem o mínimo de respeito por ninguém, e nem por si mesma.
E isso é muito triste. Num blog chamado "corporativismo feminino", acho que essa é a maior prova de uma ausência deste... triste, mas verdade.

M. disse...

Assim como muitos comentarios acima, e acredito eu que tambem de mulheres, nao cnosigo sentir a MENOR pena da sua amiga.(atentem para o detalhe de que nao estou entrando no merito da canalhice do cara)
Ela simplesmente colheu o que plantou, tendo um semi relacionamento com um cara CASADO, ainda mais sabendo que a mulher tinha acabado de ter um filho. Eu nao consigo ver isso de outra perspectiva alem da mulher traida, ate porque eu sei muito bem como eh esse sentimento. e a culpa eh da sua amiga tambem SIM!
NINGUEM MANDOU. porra, o cara eh um canalha que consegue trair a mulher que acabooooooooooou de ter um filho, pelamordedeos. E ela deve ter achado mto divertido flertar e receber tanta atencao assim de, imagino eu, um cara mais velho. entao, querida...agora so lhe resta colocar o rabinho entre as pernas e aprender a nao se envolver com pessoas comprometidas. afinal, voce ja viu na merda que isso da, e no sofrimento se a terceira parte envolvida descobre a canalhice DE AMBOS.
=)

Anônimo disse...

Acho que ser a mulher com quem o homem trai a esposa só é "perdoável" em um caso: quando você não sabe da situação. Qualquer outra opção te transforma numa pessoa inescrupulosa. É falta de caratér, sim. A culpa, deveras, não é SÓ da sua amiga, mas ela devia ter considerado se é isso que ela gostaria que acontecesse com ela quando/se um dia ela estiver na situação da esposa traída. Paixão te deixa meio louco, é verdade, mas não é desculpa pra cometer esse tipo de erro. Nós somos chamados "animais racionais" por um motivo: não somos guiados só por instintos. Essa imbecilidade cabe a gente imatura e só.

E na história existem inocentes sim: toda a família do imprestável, que não merecia ter que passar por isso - mesmo sem saber.


"Num blog chamado "Corporativismo Feminino", acho que essa é a maior prova de uma ausência deste... triste, mas verdade." (2)

Anônimo disse...

Sou homem e fico pasmo com a hipocrisia que aparece nesses comentários. Se o homem trai, é um filho da puta, e a mulher com quem ele sai é uma vadia. Se é a mulher que trai, coitada, o marido dela deve ser um imprestável pra ela precisar procurar outro homem na rua! Perdi a conta de quantas vezes vi casos assim. A sociedade perdoa a traição da mulher, afinal, se ela está traindo, alguma coisa muito errada está acontecendo na casa dela, ela não é uma safada em potencial que quer sexo pelo sexo na rua. Se o homem trai, ele quer novas aventuras. O casamento dele sempre é 100% flores, mas mesmo assim ele é um canalha que tem que pôr o pau em outras b%&*$#@, porque é instinto.
E depois dizem que não existe coporativismo feminino...

Lucas

Anônimo disse...

Lucas, eu que postei o primeiro comentário que termina falando sobre a ausência de corporativismo feminino. Li o teu e quis vir responder...
Olha só... eu concordo com você, MUITAS vezes a mulher, quando trai, é vista ainda assim como o vítima, já o homem é um vilão... ok, concordo que não dá pra ter uma visão tão maniqueísta da coisa, mas isso não muda o fato de que uma pessoa comprometida sair se pegando com outra é uma puta duma sacanagem. É sacanagem se homem fizer, se mulher fizer... Não é uma discussão tão sexista assim.
Talvez o relacionamento do cara com a mulher esteja uma merda, e por isso ele procurou alguém fora de casa? Certo, ok. Mas por que ele simplesmente não foi honesto, falou na CARA DELA que o casamento tava uma merda, ao invés de fazer tudo pelas costas? Puta atitude covarde e mesquinha!

Todo relacionamento passa por momentos ruins... o que diz a respeito do caráter é como uma pessoa lida com isso. E sério... ser tão desonesto com uma pessoa com quem você decidiu se casar só mostra que o homem dessa história é um escroto.
Na boa.

Grazi disse...

Apenas um conselho para a sua amiga:

"Não faça para os outros o que não quer que façam para você!"

Ela gostaria de ser a mulher traída que ve o seu marido sair todo dia pra trabalhar, e pra sacanear ela?

Ok, o comprometido da história é ele, agora como diria a minha avó: "Onde um não quer, dois não fazem!"

Um pouco de amor próprio e bom senso para a sua amiga vai bem né!?

Deja disse...

Acabei de reler o seu texto e tenho algumas observações:

1)"Ele estava *preso* a uma mulher com um bebê pequeno em casa."

Como assim Heleninha!?!? Tenho certeza de que ele se casou por livre e espontanea vontade! E não se separa por que não quer! Não tem nada de preso aí!!

2)"dizia na cara dele que ele não honrava as calças que vestia, era um bundão, um monte de merda"

E quando nessa história ela honrou as calcinhas que usa? Quando ela foi menos bundona?

3)"Preferia ter o que tinha em casa a perder as duas"

ÓBVIO!! Que homem vai querer ficar com uma, quando tem 2 facinho facinho!? Alguém pode me responder?
Quack Quack, caiu que nem uma patinha nesse papinho furado!!

4) "Estar com você vai contra tudo que me ensinaram a vida toda. Eu não sei como lidar com isso."

Quack Quack [2]. Esse cara é um baita esperto isso sim. Psicologia reversa, tá ligada!?

E outra, relendo o seu texto percebi como vc romantizou a história, descreveu como se ele estivesse completamente apaixonado por ela, o que não me parece ser o caso.

Ah, faltou uma observação:

5)"Angélica era uma garota forte, eu não resistiria, mas ela, ela era brava!"
Bravura foi o principal adjetivo que não identifiquei na sua amiga ;)

Anônimo disse...

sou eu Heleninha de novo hahaha

mel dels esse texto deu pano pra manga haahhahahaha, trinta comentários e bolinhas...

Claro que romantizei, quis deixar fofinho, sou mulherzinha ok?

Acho que me colquei mal mesmo no "preso", relendo, admito que ficou esquisito. Enfim, maneira de dizer né. Lógico que ninguém ali foi obrigado a casar com ninguém, que fique bem claro.

Tb quero deixar claro que nenhum dos dois é inocente nesse lance aí. Como eu disse em outro comment, existe sim a linha tênue entre sair fora antes que dê merda ou se jogar de corpo e alma em algo que HELLO NÃO VAI DAR CERTO, ou pelo menos aparentemente não vai dar certo. Os dois atravessaram a linha. E claro que puxei o tapete pra minha amiga ok, sou uma pessoa normal ahahahhaha, nunca disse que era imparcial.

O que me deixou braba nos comentários foi uma ou outra só botar a culpa em uma pessoa só. Sei lá nessas hora seu sou bem justa. Já fui corna, e sei que tive minha parcela de culpa pra ter levado chifre. Lógico, preferia que o cidadão tivesse se aberto comigo, na hora queria cortar o pinto dele fora, mas hoje 5 anos depois, repensando, não vou dizer que MERECI (não né, Jesus, me chicoteia), mas tive sim minha parcelinha de culpa no chifre que levei, assim como o cara tb teve, assim como a outra tb teve.

Enfim traição é um tema tão amplo, vou pensar em outro post sobre o tema mais pra frente, gostei da repercussão.

Deja disse...

Vai se foder quem usou o nick de Deja! Se for para usá-lo, que escreva como homem!

Porra.


*Recuse Imitações, o verdadeiro Deja tem um made in china na bunda*

Deja disse...

Graziele! Use seus próprios pseudônimos!

Clara R. disse...

Bem verdade que é errado trair e ninguém quer estar no lugar do traído, mas acho que as pessoas falam com tanta paixão que é errado e que os dois são canalhas...fica até difícil entender como existem tantos corações partidos por aí.
É como a história do lixo na rua. Numa pesquisa, quem admite jogar um papelzinno de bala em uma via pública? Ninguém. Mas as ruas não estão sempre impecáveis, não é mesmo?

Parabéns, Heleninha, pelo SACO de receber todas essas críticas e por não ficar "etiquetando" seus textos, achando que assim deixará de receber comentários negativos. É uma atitude de quem sabe lidar com o público.

Rita Rosa on 9 de agosto de 2010 17:16 disse...

Oi querida tudo bem? Passe no meu blog to precisando de uma opinião sobre um caso! Bjus.

Anônimo disse...

Trair...ser traido.. Acho que sofreriamos menos se tivessemos menos expectativas em relação as pessoas... não posso julgar ninguém, também não sei como me sentira se descobrisse que fui traida, por que o fato de não saber não quer dizer que não fui, a final homens são homens, mulheres são mulheres...e somos todos feitos de carne e osso...as vezes traímos a nós mesmos, quem dirá aos outros(sempre desconfio daqueles que dizem que nunca traiu, nunca mentiu, etc)... Espero realmente que se sua amiga esteja sofrendo que consiga superar isso, assim como o cara que quem se relacionou, assim como a esposa... afinal temos todos o mesmo objetivo a felicidade... só não sabemos o que somos capazes de fazer para obtê-la...
Adorei o post..
Tereza

SomeOne on 9 de agosto de 2010 19:04 disse...

Lendo os comentários, eu fico pasma! Como é fácil rotular todo mundo, né? Ele, ela... uns "safados" e "sem caráter", "traição é a coisa mais baixa" e blablablá. Quantas coisas mais baixas não existem por aí, não? Quanta dor a gente não pode causar, de formas piores, de maneiras mais doloridas que uma traição? Sim, ambos erraram pelo conceito de "caráter" que a sociedade nos ensinou, ao longo dos tempos, mas eu me pergunto: o pior é erro é ser INFELIZ ou ser "moralmente errado"? Olha, a Angélica não matou ninguém. E ela era livre! Ele? Talvez tenha estilhaçado o coração da esposa, se ela soube (e sou da opinião de que casamento é coisa séria, o grande erro foi casar sem ESTAR PRONTO pra abrir mão de tantas tentações que a vida nos apresenta) do fato... ou talvez tenha ocultado dela. Que os homens não largam a oficial pela "amante"? Concordo, em 99% dos casos. Mas, pelo menos do jeito romanceado que a Heleninha colocou (e que não sei se era a realidade, mas parto do pressuposto que sim!), a grande pergunta que não quer calar em mim é: SE ele estava apaixonado, o que o impediu de agir como adulto, assumir uma posição, ir atrás da felicidade DELE e da Angélica? O que o manteve enganando a esposa, "cozinhando" a Angélica? E NÃO ME DIGAM que EU sou a sem caráter por pensar assim, e que foi o "pingo de caráter dele" que o fez PERMANECER com a esposa que, né, "coitadinha", tinha um bebê! SE ELE realmente tivesse isso que a sociedade convencionou chamar de caráter, jamais teria provocado e se relacionado com a Angélica como se relacionou! E se ele se importasse com a opinião alheia, jamais teria começado tudo com a Angélica da forma piadista como começou! Meu conselho pra Angélica é que ela talvez tenha caído na lábia de um babaca, mas ela acreditou nele! Ela era solteira, NADA a impedia de ser feliz, de querer ser feliz com quem ela amava! Se ele foi babaca ou simplesmente frouxo, não sei, e não faz a menor diferença, pq MEU GRANDE CONSELHO É que ela busque ser feliz, porque a gente nasceu para ser feliz, pra demonstrar nossos sentimentos, e não pra viver com um coração despedaçado, andando pelos cantos. Se ela acha que precisa fugir dele, evaporar, para esquecer, que o faça. Não pela esposa, nem por ele, nem pelo bebê, mas POR ELA MESMA, porque, quando alguém não nos faz sentir especiais, não nos faz encarar o mundo com mais amor e a nós mesmas com mais leveza e condescendência, esse alguém não serve pra gente! E eu já espero PEDRAS no meu comentário, porque todo mundo é bonzinho e santo da porta pra fora! EU SÓ QUERIA VER quantos são SAMARITANOS da porta pra dentro, quantos têm esse grande coração incapaz de errar, de fazer mal, de fazer sofrer! Tão fácil a gente falar dos outros sem estar na situação dos outros, né? TUDO é mais imundo quando é o outro quem faz. Todas escolhas são mais fáceis de se fazer, quando não somos nós que as fazemos!

Cris Soleitão on 9 de agosto de 2010 23:03 disse...

Olha, discussão bem parecida já tinha explodido umas semanas atrás lá no PdH e eu já estava planejando escrever algo pro CF a partir do comentário que eu fiz lá [e foi + bem recebido do que eu esperava].

À "SomeOne" aqui em cima, por hora só digo isso: o meu direito acaba onde termina o do próximo. Assim sendo, eu não tenho o direito de ser feliz às custas do sofrimento alheio. Aliás, eu nem conseguiria ser sabendo que tem alguém na lama por culpa minha.
Não acredito nessa desculpinha esfarrapada de "ela é solteira, é livre, faz o que quiser".
Então, por acaso, ser solteiro virou sinônimo de irresponsável?

E a obrigação dele era a de ser HONESTO com a esposa: ISSO é caráter.
Com ou sem bebê, chegasse e conversasse. "Estamos mal e estou interessado por outra pessoa. Quero o divórcio, mas não vou te desamparar". PONTO.
Não é simples, mas é melhor do que trair a CONFIANÇA de alguém que está, de certa forma, sob seus cuidados.

É muito mais fácil fazer esse discurso de "todos que são fiéis são hipocritas" do que admitir que se você fosse traído ia ficar muito mais *&¨%$%*&* da vida que qualquer outra pessoa.

Não, eu nunca traí e não me importo se alguém acredita ou não porque EU sei a verdade e a minha consciência está limpa quanto a isso.

E não faço aos outros o que não gostaria que fizessem comigo.

Mas entendo o lado da Angélica sim. Como disse lá em cima, já me interessei por homem comprometido e por isso sei como ela se sente. E é uma MERDA, principalmente quando se trata de um babaca e bundão!!!
Me desculpem, mas acho que ela foi fraca... Porém, o mal que fez a si mesma foi imensamente maior do que o que fez à esposa do cara. Só lhe resta agora se afastar e cuidar das feridas ou continuar ali, se ferrando, até não sobrar mais nem um caquinho de si mesma.

Nih Holtz on 10 de agosto de 2010 01:24 disse...

oláá floor
nesse caso minha opinião é q pensem na pessoa traída também..se coloquem no lugar dela..Angelica tbm deveria se colocar no lugar da traída...e pensar en uma outra pessoa q a honre e não a trate como uma segunda opção!


ahh se puder passa no meu bloguinho de dicas femininas e deixa um coment dizendo se gostou ou não: http://pinklifeofnih.blogspot.com

bjoo

Jaki on 10 de agosto de 2010 12:00 disse...

ah! Também concordo com o pessoal ai em cima...
Primeiro que o errado na história foi ele: Ele que tem uma aliança no dedo, ele que tem um compromisso. Faz foi sacanagem ter deixado "rolar", enquanto sabia que não iria largar a esposa e o filho. Sacanagem tb o que ele fez com a esposa traída. se exist traição, não existe amor, isso é fato.
Mas infelizmente tds homens são iguais (experiencia propria): dizem que o relacionamento conjugal não esta bom, estão qse se separando, que estao juntos por comnvivencia, que tem imenso carinho pela esposa mas nao a ama, etc e tal.
Resta saber da garota se ela vai cair no conto da caroxinha ou não. Ou se ela vai querer ingressar num relacionamento desse tipo, sendo "a outra", já sabendo que nao existe a menor possibilidade de ele separar mesmo.
E outra: como disse alguém ai em cima, ele largaria a esposa, casaria com a angelica, teria filhos e a trairia...

Angélica minha filha! Pula fora! vc é solteira, saia, divirta-se, use e abuse de sua liberdade, conheça homens novos!

PS adorei o blog!

Inaví on 10 de agosto de 2010 13:11 disse...

"Num blog chamado "Corporativismo Feminino", acho que essa é a maior prova de uma ausência deste... triste, mas verdade." (3)

Eu de novo. Tenho um amigo que sempre diz: "Ina ainda bem que as mulheres são burras e querem destruir umas as outras, se não estavamos fudidos, se as mulheres fossem inteligentes dominariam o mundo". Pois é, enquanto os homens são unidos umazinhas aí ficam tentando roubar o marido das outras e ainda falam em amor. Isso me revolta e nem sou casada, mas tenho familia e prezo por ela mais que qualquer coisa no mundo. Essa menina é uma aventurazinho pro cara, nada mais. O cara é um porco, e as mulheres deveriam se unir e deixar esse tipo de canalha a ver navios. Quem esta se dando bem com essa história? Só o sacana. E se essa guria tivesse força de carater e dignidade, nunca, jamais teria sido tão leviana. Cade o corporativismo feminino dela? Espero que ela aprenda com o erro e bote uma mulher de verdade no corpo dela.

.Intense. on 10 de agosto de 2010 16:51 disse...

Meu reino pela explicação do comentário da Zin.

SomeOne on 12 de agosto de 2010 17:59 disse...

P/ CRIS

Você definitivamente não entendeu o que eu quis dizer. Não defendi a relação-dupla deles. Pelo contrário. Critiquei ele ser frouxo a ponto de não abrir o jogo (sob o ponto-de-vista da Heleninha, em que ele parecia apaixonado) e me referi ao fato de TODO MUNDO ficar JULGANDO. E, sim, ela era LIVRE. E, sim, ele tinha direito de ficar com ela se quisesse, apenas precisava tomar uma posição. Critiquei ele ser incapaz disso. O q tb não é da minha conta, q cada um faz o q bem entende.

Ingrid disse...

Nunca passei por uma situação parecida e certamente não gostaria de estar na pele da mulher traída, mas li os comentários e também achei uma "puta falta de sacanagem" a visão da Angélica como a destruidora de lares. Inocente ela não é também, ok, admitamos. Entretanto, muito fácil apontar o dedo e não pensar no que ela sentia também (ou no que ele sentia). Pelo que entendi, aconteceu, simples assim, nada foi planejado. O demérito no caso é conjunto, da Angélica e do casado.
Ah, e não posso acreditar no que li quanto ao nome do blog... Abram as mentes, olhem pelo lado de fora, pelo lado da terceira apaxionada, por mais que provoque dor.

C. Mantovani on 18 de agosto de 2010 13:45 disse...

Ah...de boa....cada um sabe o seu...n adianta ficar aqui imaginando e nem dando liçao de moral, até pq, imaginar e pré supor que se passa dentro de cada um , é nd mais ,,,nd menos do que Utopia! Cada um sabe de sia dor, de seu amor...de sua necessidade...é dificil imaginar cada lado, os 3 no caso....ninguem se apaixona pq escolheu, mas acontece...e tbem, somos instintivos...ele esta acomodado?sim, mas quem faria diferente?enfim...cada um tem qeu seguir aquilo que se sente melhor, a sua maneira, tentando ir com cuidado e sempre pensando em n ferrar com o proximo...mas por vezes, isso é praticamente inpossivel...mas creia..."nada é por acaso"...dx rolar...a vida cuida!

segue meu blog, simples, humilde...?
www.falarfrancamente.blogspot.com

Caroll. on 7 de janeiro de 2011 13:47 disse...

haha a Angel deu o que falar aqui eim? Mas enfim, sinceramente...romantizado ou não, essa história foi complicada, e ninguém saiu feliz dela. Nem o cara casado, nem a mulher dele, nem a Angel.

Não dá pra dizer que alguém foi inocente ou culpado. É fácil dizer que o cara foi filho da puta, assim como é fácil dizer que o cara foi muito idiota de casar com a primeira namorada e é lógico que um dia sentiria falta, ou que ele é um coitado que não soube da vida? Poxa, é muito fácil colocar ele em 3 posições diferentes. Assim com a sua mulher, assim como a Angel..e sinceramente, nenhuma das versões vai ser a correta, vão ser apenas especulações de quem não estava lá e não sabe como agiria realmente na mesma situação.

O que dá pra constatar é que foi um caso infeliz. O cara e a Angel se curtiram e ficaram, mas o cara tinha um impecilho chamado casamento e não devia ter dado corda, assim como você Heleninha, não deu aquela vez pro bofe (e por sinal, era um bofão haha).

Assim como a Angel devia ter pulado fora assim que viu o sinal de proibido com caveira no dedo dele hahaha..

Mas ambos seguiram os instintos, ou coração ou o que quer que queiram chamar. Ok, fizeram merda, e agora? Jogar pedra? Não rola né.

O que eu tinha pra dizer pra Angel eu já disse. Mas meu conselho não mudou de lá pra cá. Sinceramente, todo e qualquer relacionamento serve pra alguma coisa, nem que seja pra tirar uma lição. E acredito que ela tirou uma grande lição nessa, e ninguém tem o direito de julgá-la por isso.

Agora, é cabeça erguida e bola pra frente, que com certeza ela vai ter alguém bacana, legal e descompromissado. E o cara bundão, ué, deixe ele lá dentro da redoma. Ambos ganharam algo e perderam algo com isso, não vale a pena ficar cutucando lembranças...pra isso, por sinal, vale o seu post sobre levar um pé na bunda com classe, lembra? Por sinal, ótima idéia, mandar aquele post pra Angel..é o melhor que ela pode fazer! haha...

Beijos=*

Caroll. on 7 de janeiro de 2011 13:48 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Bem,vou contar um pouquinho da minha história
Tudo começou quando um antigo amigo (que eu já havia ficado uma vez) apareceu depois de alguns anos.Eu já namorava a um tempo e como ele sabia,eu não imaginei que tinha segundas intenções.Começamos a conversar e nos vimos algumas vezes,até que um dia,ele resolveu me roubar um beijo,de alguma forma que eu não sei explicar não consegui evitar.Depois disso,um sentimento de culpa tomou conta de mim, mas mesmo assim,eu não conseguia não pensar nele.Os dias foram se passando,eu fugindo daquilo que eu não queria sentir,eu não sabia se ele estava sentindo o mesmo que eu mas foi uma coisa inexplicável,uma atração forte demais pra resistir.Trocávamos mensagens quase todos os dias,mesmo quando eu resistia,ele não deixava de mandar um BOM DIA ou aquelas frases bobas que me deixavam mais boba ainda...esse sentimento foi crescendo silencioso dentro de mim,nos víamos escondidos,por alguns minutos muitas vezes,mas aqueles momentos pareciam eternos.Ele,desde o primeiro dia,dizia que não tinha ninguém,eu sabia que ele havia tido um relacionamento com uma menina por alguns anos,mesmo eu tendo outra pessoa,eu questionava ele sobre essa menina e ele insistia em dizer que estava tudo acabado entre eles,mesmo com um pé atrás eu acreditava porque pensava:"ele sabe que tenho um namorado,ele não teria motivos pra me esconder isso ..." mas eu estava enganada.Um certo dia,a verdade veio a tona,meu mundo desabou,eu estava ciente que estava gostando dele,eu sabia que já estava envolvida,só não sabia o quanto.Essa noticia foi um divisor de águas porque mesmo sabendo que havia algum sentimento entre a gente,nos dois resistíamos e tentávamos levar na esportiva aquela história,mas aquele dia,tudo veio a tona,o sentimento que eu guardava dentro de mim falou mais alto e eu só sabia chorar,chorar e chorar...como eu havia descoberto através das redes sociais,conversamos por mensagens e eu mau conseguia responder as mensagens dele,eu chorava e tremia,ao mesmo tempo eu estava me achando uma idiota e pensava:porque isso esta acontecendo?eu tbm tenho outra pessoa,porque não consigo me controlar? enquanto isso ele não parava de ligar,eu ate queria atender mas não conseguia,chorava tanto que eu não ia conseguir falar com ele e mesmo que conseguisse,eu não queria que ele percebesse que eu estava chorando,eu que sempre me fiz de durona estava me desmanchando em lágrimas naquele momento,ate que me acalmei,tomei fôlego e atendi,ele falou que estava no lugar de sempre me esperando pra gente conversar e esclarecer tudo pra mim.Tomei uma dose de coragem e fui,quando a gente se olhou,de cara um percebeu a tristeza no olhar do outro,não dissemos uma unica palavra,apenas nos abraçamos e ficamos por alguns longos minutos assim,depois ele começou a falar o porque precisou esconder isso,ele falou que sempre quis ficar de novo comigo,que quando ficamos eramos muito jovens, se ele falasse de cara que tinha alguém,eu jamais ia aceitar uma aproximação dele,ele só queria um beijo,só queria curtir...mas como eu disse lá no começo,nossa atração foi algo forte demais e ele falou o que estava sentindo...falou que depois daquele "segundo primeiro beijo" ele percebeu que já era tarde demais pra se afastar de mim,e que se falasse a verdade,ele ia me perder...eu não sabia o que fazer,mesmo tendo outra pessoa,eu não queria dividir ele (pensamento egoísta) mas por gostar demais eu aceitei aquilo da mesma forma que ele aceitou,e aquele sentimento que já era grande o suficiente,só aumentou...bem,vou parar por aqui porque essa história é muito longa e obviamente não acaba aqui...

Anônimo disse...

continuação : É muito difícil pra quem é traído,eu já presenciei muitos casos e vejo que é uma coisa bem dolorosa,sempre fui uma pessoa que criticava e achava um absurdo,achava que essas pessoas traidoras não tinham coração,julgava e sempre achei ridículo isso,ate acontecer comigo,ate eu viver isso e a partir dai,começar a entender o que realmente é isso,pra quem esta do outro lado,igual eu estou,não é um mar de rosas,dói muito,dói enganar alguém,dói lutar por um sentimento descontrolável,mesmo você sabendo que é errado,mesmo sofrendo,você não sabe como resolver,você se vê sem saída,acreditem ou não,sofro muito com isso...sempre vai haver criticas,eu entendo que muitos não concordam com isso assim como eu tbm não concordava,mas hoje,vivendo isso,eu consigo entender.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino