quarta-feira, 28 de julho de 2010

As fases da vida contadas em festas

Há algum tempo, uma amiga me ensinou que a vida pode ser contada em festas.

Calma, não estou falando da sua amiga que fica bêbada e acaba contando tooooooda a vida pra você. Não, não.

Estou falando da linha do tempo dividida entre as festas que fazem parte da nossa evolução humana.

Explico: Durante toda a nossa vida, haverá uma época para cada tipo de festa. Por exemplo, tudo começa na sua festa de 1 ano de idade. Você não se lembra de absolutamente nada, mas há inúmeras fotos e vídeos que registram a ocasião. Este festa é sua só no nome, pois vão apenas os amigos dos seus pais, os filhos dos amigos dos seus pais e os parentes dos seus pais. A única coisa sua é a foto do convite. E os presentes.


Logo depois vêm as festinhas na escolinha, êêêêê! \o/ Dessa vez você tem algumas lembranças: salgadinhos, brigadeiros, refrigerante, chapeuzinho, professora e coleguinhas reunidos em volta das carteiras que foram juntadas para formar uma mesa só.

Ainda na fase da escola, também existe as festas na casa dos amiguinhos. É lá que provavelmente você irá aprender a avacalhar na hora do parabéns, brincar de verdade ou conseqüência, sendo a “verdade” ter que dizer o nome do (a) menino (a) que você gosta e a “conseqüência” ser “pagar um mico”. Mais tarde essas brincadeiras vão evoluir para Salada Mista e 7 Minutos no Paraíso.


Passada essa fase, começa a temporada das festas de 15 anos. São nelas que você vai saber se é popular ou não pelo número de convites que recebe. São nelas também que você toma seu primeiro porre e acha que “15 anos” também é micareta. Descobre também que all star com terno é original. Nessa fase você também aprende a entrar de penetra nas festas em que não foi convidado. E no dia seguinte, você sabe o que é ter ressaca e como esconder dos seus pais que você bebeu (muito) na noite anterior.

Depois vêm as formaturas do 3º ano. Aí você já está “mais velho” e sabe que algo muito bom está por vir: a faculdade. Aí você se joga na pista. Nessa fase, alguns já descobrem que all star com terno é mais comum que gergelim em pão de hambúrguer. Outros, ou ainda acham que é “alternativo”, ou sinônimo de estilo. Tsc tsc.

Nas formaturas de 3º ano você também descobre o whisky com energético e o que é acordar com gosto de guarda-chuva na boca. Os belo-horizontinos descobrem também o pós-festa no Mercado Central.


Passado o 3º ano, agora você está na faculdade e é a vez das festas universitárias. É agora que você descobre o bar do outro lado da rua e que pode sair no meio da aula para ir pra lá. Descobre também que dá pra sair durante a semana e ir direto pra aula depois da festa. Sem contar as calouradas onde 90% dos presentes não são calouros, mas veteranos atrás de calouros para “dá uns pega” e que encontro de estudantes e congressos não são apenas para estudar e aprender novas técnicas do curso, mas que renderão boas histórias e risadas. E que festas universitárias são as mais baratas e divertidas de todos os tempos.


Como tudo que é bom dura pouco, a faculdade um dia chega ao fim e é hora de virar gente grande de verdade. E começa pela festa de formatura! É lá que você relembra todas as festas memoráveis, as pérolas que soltaram na sala de aula, os professores que passaram, mesmo que você não se lembre muito bem deles, e que descobre que os amigos feitos durante os 4 anos (em média) são os mais verdadeiros.

Lá você descobre que se você já não estiver empregado, você tá f*&$#@o e que se estiver, você terá responsabilidades muito maiores (ou seja, também estará f*&$#@o).

Descobre também que não haverá mais a desculpa “sou universitário e posso cometer erros” e que um erro seu pode te colocar no meio da rua.

E claro, descobre que terno com all star é ridículo.


Recapitulando: aniversário de um ano, festinhas na escolinha, festas de 15 anos, festas de formatura do 3º ano, festas universitárias, formatura da faculdade... Pela ordem da evolução humana, o próximo estágio seriam as Festas de Casamento. Esta sim é uma fase complexa.

Porque, ora bolas? Eu sou casada (o) e não me arrependo!

Calma, sua besta desesperada! Eu não estou falando que casamento é ruim e que a vida de solteiro é melhor. Falo ainda da linha temporal.

Vejam bem: agora você de fato é um adulto e deve arcar com as conseqüências da vida adulta. Você terá que zelar pelo seu bem-estar e pelo bem-estar do seu cônjuge, terá que pensar um zilhão de vezes antes de fazer algo que possa afetar alguém que não seja você, e claro, qual é o próximo passo, hein hein? Não que isso seja ruim, só uma transformação de vida mais séria. Não que eu tenha de fato alguma experiência no assunto, mas foi assim que meus pais me ensinaram.

Para escrever esta parte, utilizei meus (poucos) conhecimentos sobre o assunto e precisei pedir ajuda azamiga já casadas.

Nas festas de Casamento, você descobre que Trouxinha e Quirche são a mesma coisa que coxinha e empadinha, só que com nome mais elegantes. Descobre também que não importa quão eficaz seja o sistema de segurança, sempre haverá um penetra. E que boa parte dos seus convidados você não faz a menor idéia de quem seja, só chamou por que sua mãe fez questão ou por educação.

Verá também qual dos seus amigos será o próximo a subir no altar, qual deles ainda parou nas festas universitárias e quais serão os solteirões. As mulheres que ainda não casaram, ficarão com uma pontinha de inveja da noiva, e os homens, solteiros ou comprometidos, ficarão receosos quanto ao dia que serão eles a casar e quais idéias a sua acompanhante está tendo a partir daquilo. E se você for madrinha/padrinho, descobre que terá um belo furo na conta bancária por causa do presente de casamento e, no caso da mulheres, do vestido (mas que mesmo assim, será uma honra).


Nascer, crescer e...reproduzir!

É mano, você tá ficando velho... ainda ontem você estava na escolhinha cantando parabéns pra você e com quem será com seus amiguinhos e hoje você está comemorando o aniversário de um ano do seu filho! Parabéns!


As próximos etapas você já conhece, basta acrescentar "DO SEU FILHO" em cada tópico apresentado.

Claro que há pessoas que não seguem essa ordem cronológica e acabam não formando, reproduzindo, comemorando o aniversário de um ano do filho, casando, entrando na faculdade, formando na faculdades e reproduzindo de novo, mas qual o problema?





(Parafraseando a @bbel)

Para me chamar de maluca: claris@corporativismofeminino.com
Para ler minhas maluquices: @claris_simao

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Claris Simão às 00:45

12 comentários:

ellen fraga on 28 de julho de 2010 01:58 disse...

"Claro que há pessoas que não seguem essa ordem e acabam não formando, reproduzindo, comemorando o aniversário de um ano do filho, casando, entrando na faculdade, formando na faculdades e reproduzindo de novo, mas qual o problema?"

Ainda bem que você lembrou de mim.
ótimo post
beijos

Dani Antunes on 28 de julho de 2010 09:46 disse...

Sempre tem aqueles que se esquecem de crescer, seja no Ensino Médio, na faculdade ou no doutorado.
Sempre tem aqueles com complexo de Peter Pan. Pior é quando o Complexo é de Cristiane F. Aí, sim, dá merda.

Ótimo post!

Beijo

Laís on 28 de julho de 2010 10:08 disse...

kkkkkkkk!


Adorei!


"E claro, descobre que terno com all star é ridículo."


E ainda tem gente que se casa assim... tsctsc!

Lara disse...

"e que descobre que os amigos feitos durante os 4 anos (em média) são os mais verdadeiros."

não sou sua amiga de faculda de sou verdadeiraaa boba!!

fora isso muito bom amiga... fiquei nostalgica das festas que já passaram... ai ai !!

Carol Fonseca on 28 de julho de 2010 13:17 disse...

adoreeeei isso!

elaine dos anjos on 28 de julho de 2010 14:04 disse...

uma ou outra fase a gente vive aproveita mais, pula umas, ou troca a sequência...rs

Elaine
http://garotavaidosa@blogspot.com

Morena on 28 de julho de 2010 14:22 disse...

AI que post ÓTIMOOOOOOOOOOOOO
Nada melhor q festas para marcar as nossas vidas, estou eu aqui as voltas da minha de 24 anos a última na faculdade...
Beijos saltitantes

Zingara on 28 de julho de 2010 16:22 disse...

Atropelei as comemorações. Mas, sim, a vida dá para ser contada em festas. No meu caso, o batismo do filho veio antes da formatura. Minha vida é desgrenhada mesmo. ;P

Ótimo post! ;]

Bel on 28 de julho de 2010 19:02 disse...

Atropelei várias fases hahaha
A de 15 anos não fiz, formatura do ensino médio não fiz, na minha faculdade era tudo desanimado, nada de festas universitárias também, formatura da faculdade também não fiz.....enfim ¬¬

Caarii on 28 de julho de 2010 20:27 disse...

Ok.. vamos lá
Não tive festa de 15 anos, não me arrependo, Fui num monte de festas e calouradas de universidades antes de de entrar em uma, e foi ate melhor pq minha turma era o desanimo total pra qq festa. Troquei meu baile de formatura por um jantar com as amigas mais chegadas e soube que o baile foi o mais sem graça do mundo. Mas minha esperança vai ser minha festa de casamento ano que vem, que vai culminar em festa de 15 anos, formatura e casório pra compensar, já que eu vou mudar de país! Cruzando os dedos pra ser a melhor de todas.

Fairy on 9 de agosto de 2010 15:52 disse...

Fiquei nostálgica... Ai ai...
Muito bom ler isso...

Anônimo disse...

Pior que a moça bebum da foto conheço, só dou uma dica é de Rio Grande - RS.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino