quinta-feira, 24 de junho de 2010

Alcoolismo feminino em ascensão!

Até bem pouco tempo atrás havia 1 mulher para 5 homens alcoólatras no Brasil. Hoje esse índice é igualitário, ou seja, o sexo não mais distingue o percentual dos dependentes alcoólicos. A mulher e sua ascensão social aos longos das décadas ganharam o mérito e o desmérito das atitudes masculinas. Temos uma vida social, nosso próprio carro, um emprego. Podemos nos separar quando quisermos, votamos e somos votadas, temos a liberdade de escolher como gastar nosso dinheiro e que lazeres ou drogas farão nossa cabeça.

Numa roda de amigos diga que não bebe uma gota de álcool, nem socialmente! Se você for homem, algumas das mulheres duvidarão da sua sexualidade, o acharão banana ou certinho. Outras acharão incrível e peculiar, traço de um homem centrado. Mas temo em dizer que o primeiro pensamento é o mais acolhido. Culturalmente, o álcool faz parte da diversão. Já me peguei falando "Não vou sair, pois não posso beber e eu não vou conseguir enfrentar uma noitada 'de cara'."

O orgulho de algumas mulheres que bebem é conseguir virar mais copos que os homens que estão na sua mesa. A frase "Se não guenta, bebe leite" é o slogan mais bem difundido dos nossos tempos. Consegue beber 1 garrafa de vodka sozinha? Você é muito corajosa. Já disse isso no twitter e reafirmo: Estamos com valores deturpados. Onde o fraco é apontado como forte! O último episódio que exemplifica isso foi a expulsão do Kaká, jogador da Seleção Brasileira. Ele disse um sonoro PORRA, depois "pareceu" acotovelar o jogador adversário e alguns deram o veredicto: "Quando o Kaká resolve virar homem, ele é expulso!".

As mulheres adotaram a postura de beber, sem pudor, afinal essa é uma prática humana - E não meramente masculina. São inúmeros percalços que nos levam a buscar o álcool que é lícito, divertido e aceitável. Não que a lista que farei a seguir sejam justificativas ou reais motivos para que as mulheres busquem o álcool, mas são algumas das maneiras em que a bebida balança o seu manto vermelho para um touro furioso. E, sem perceber, você está bebendo.

Como diria uma música, as pessoas são gentis com a beleza. Se você já foi esteticamente bonita ou feia, deve saber bem como é a gentileza ou a rejeição por sua aparência. Algumas mulheres não lidam bem com o "envelhecer". Certa vez, fui à casa de um amigo, onde as paredes estavam adornadas com retratos de uma mulher jovem e sua faixa de "miss" no peito. A jovem era a mãe do meu amigo que hoje é uma senhora amargurada. E, sim, entregou-se ao alcoolismo assim que começou a menopausa e dizia, daquele jeito arrastado e mole dos bebuns: Eu já fui muito bonita, veja! (Usando a régua: Sei que usar feiúra como sinônimo de velhice é politicamente incorreto. Mas, sim, a beleza estética é dissolvida com o envelhecer - Rosnando você ou não. Por isso a cabeça deve ser bem cuidada, assim como a bunda.)


Quando você entra numa faculdade precisa se relacionar, criar laços. (Usando a régua: Agora se serão verdadeiros ou não, é outra história). E onde eles verdadeiramente se firmam? Em mesas de bar - Você pode até não concordar com essa afirmação, mas ela é real.



A mulher ainda precisa ser a caça e o homem, o caçador. Também acho podre isso, mas é assim que funciona para zilhões de cabecinhas pequeninas. Não adianta. Então, se quer tomar A Iniciativa, use o álcool. Deu para quem não devia? Culpe o álcool! Falou todas aquelas coisas que não diria sóbria? Culpe o álcool!




Posso falar do tópico com propriedade porque vivi isso. É beber para melhorar as coisas, quer dizer, o relacionamento. Sabe quando você compra lingeries novas e inventa viagens com o seu parceiro para que as coisas mudem e você consiga salvar a relação? Pronto. Eu bebia todo fim de semana para conseguir fazer um sexo mais desenvolto e ter vontade para isso. Sei que mais alguns anos naquilo teria me feito ficar doente.


É certo que algumas mulheres ao casarem ou terem filhos descobrem, absortas, que não era isso que queriam. E o que fazem para acalmar os sentidos? Alguns aditivos. Tenho uma amiga que teve uma criança deficiente, depois de ter perdido outras, e ela só consegue dormir depois de algumas boas doses de vodka. Ela tinha marido e se sentia obrigada pelo tradicionalismo da família a parir. O escape para acalmar a têmporas, segundo ela, é beber.


Não que as situações supracitadas vão necessariamente desenvolver uma alcoólatra. Mas é a maneira em que o álcool parece o porto-seguro e fica à mão. Independente do sexo, o álcool deve ser usado com responsabilidade. Às mulheres há o agravante (a mais, além das DST’s) da gravidez, já que "cu de bêbado não tem dono". Por isso, acho que nós devemos ficar mais atentas. A boa desse imbróglio todo é que, segundo estatísticas, as mulheres são as mais dedicadas à recuperação.

E você quanto anda bebendo?


As observações de sempre:
* Detesto MEDIR PALAVRAS. Mas como todos os meus textos dão vazão a críticas, estou praticando o MEDIR DE PALAVRAS. Obrigada aos emprestadores de régua. Melhor isso que desistir do blog.
* Não vou escrever que a TERRA É REDONDA. Para isso, leiam a wikipedia ou evitem os textos assinados por mim - Há 6 meninas nesse blog que poderão ter pensamentos mais lúcidos ou aceitáveis.
* UPDATE: Gostaria que pudéssemos não medir palavras, pois os assuntos dos blogs que escrevemos não permitem isso - Sabiamente escrito pela Dai.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Sarita às 00:04

53 comentários:

Cris Soleitão on 24 de junho de 2010 01:03 disse...

É por isso que sou abstênia, no máximo tomo um drink fraco do meu gosto e olhe lá...

Sério, até meus pais já tentaram me fazer a beber, mas não dá... Não vai, não desce.

Não é só pq não gosto [de algumas destiladas até gosto], há outros motivos também, que inclui todos os citados por vc nesse post.

Não quero mesmo chegar a esse ponto!
Claro que se faço merda, tenho que conviver com a minha consciência sem desculpas esfarrapadas... mas vivo mais feliz consciente!!!

Verdade que se vc não bebe e não faz td tipo de merda é bem mais difícil se enturmar na faculdade. A coisa é bem pior em faculs públicas, onde tem repúblicas e tals... Passei por isso.
Como boa nerd q sou dizia em alto e bom som: "vim aqui pra estudar, não pra zoar! Não gosta do meu jeito, mantenha distância!"
Pode parecer radical, mas tem muita gente sem noção nesse mundo... e eu detesto quem force a barra comigo.
Na facul paga é mais tranquilo... muita gente tem que suar, assim como eu, pra terminar o curso. Claro que a galera gosta de se divertir, mas são menos irresponsáveis...

Certa vez saí com algumas amigas e 1 delas ficou bêbada até literalmente se estabacar no chão! Morri de vergonha... minha vontade foi de ir embora na hora...
Não, não gosto e não aturo bêbado e meus amigos sabem disso. Se vai pra se embebedar, não me convide... obrigada!
Beber socialmente é diferente de ficar trêbado!!!

Seja homem ou mulher, desenvolvi asco de bêbados e mantenho distância mesmo!!! É degradante demais ficar nesse estado, bem como ver alguém assim...

Deja disse...

Minha vó é alcoólatra, esteve limpa por 2 décadas, mas um ano após o falecimento do meu avô, ela voltou a beber.

Enquanto algumas fazem bolinho de chuva, ela está bêbada com whisky.

Em 86 ela deu um grande vexame porque o Brasil perdeu a Copa, em 88 porque uma filha faleceu... nesse caso, muito mais sério, precisando ficar internada em uma clínica psiquiátrica.

Eu nem falo nada, há anos atrás eu bebia escondido no banheiro do trabalho...



Bem, ótimo texto Zíngara... Sabe, no barzinho perto da faculdade, as mulheres bebiam mais que os homens e, destilados... "bebidas quentes".

Gostei principalmente do comentário... "Estamos com valores deturpados. Onde o fraco é apontado como forte! "

Concordo plenamente.

Dai on 24 de junho de 2010 08:55 disse...

Não acho que seus pensamentos não sejam lucidos ou sejam inaceitáveis. Gosto muito dos seus posts e gostaria que pudéssemos não medir palavras, pois os assuntos dos blogs que escrevemos não permitem isso.

Gostei muito do post...Realmente o alcoolismo em nosso meio feminino tem dados e fatos alarmantes. Acho que, assim como as outras drogas, o álcool funciona pra nós, absolutamente como escape ou incentivo. A dependência provém exclusivamente daí.

Não nego que tenho tempos que penso em beber pra esquecer, mas penso que no outro dia posso ter mais um problema a enfrentar, ou dois, contando a ressaca.

Parabéns pelo post e pelos temas que você escolhe.

Beijinhos.

Zingara on 24 de junho de 2010 09:07 disse...

Isso vai para os rodapés do meus textos agora: "gostaria que pudéssemos não medir palavras, pois os assuntos dos blogs que escrevemos não permitem isso". Perfeito!

Jaque disse...

Agora a senhora dona da verdade que não admite nenhum tipo de crítica resolveu apagar os comentários!!?!?!?

Fulana, você precisa se tratar!!!
Você é doente!

thainara gouveia on 24 de junho de 2010 11:14 disse...

É eu bebo! Se eu tô feliz eu bebo, se eu to triste eu bebo, se eu tô sozinha eu bebo e acompanhada eu bebo mais. Não por padrões, eu gosto de beber e Cerveja, rs*
E lanço um proteste já contra Medir palavras.
Boa crítica Zin.
;*

Thiara Ney on 24 de junho de 2010 11:15 disse...

Ah Zingara, o que é um blog senão um espaço unilateral para externarmos nossas opiniões? O blog é teu, não é? E ninguém tem nada a ver com isso. Se querem criticar, critiquem, se querem ser grosseiros como a moça acima, que sejam. Sinal que vc tá abafando, tá incomodando, tá fazendo a pulguinha dela (e de outros) se mexer. Se a gente quisesse discutir abertamente faria um debate, e não um blog. O blog é assim: vc escreve e quem gosta lê. Quem não gosta, sai fora. Ou comenta e corre o risco de ser "deletado", oras.

Sobre a bebida, eu bebo, e às vezes bebo que nem menino, rs. Acho divertido. Não bebo para afoguar mágoas, nem pela feiúra, nem pela velhice, nem pela frustração. Eu bebo porque acho divertidíssimo estar na mesa de bar com os amigos e amigas e ir ficando altinha, dando ainda mais risada e discutindo qualquer bobeira. Aí a gente tira foto e depois se reúne num churrasco para ver as fotos, zoar quem ficou mais bêbado e beber um pouco mais.
Não, eu não sou alcoólatra, mas já bebi até cair algumas vezes, e não vejo nenhum mal nisso. Não faço mal a ninguém nos dias que resolvo enfiar o pé na jaca. Eu não dirijo depois de beber, eu não brigo bêbada, eu pago a minha parte na conta do bar e não ofendo ninguém. Tá bom, não tá?!
Tem tanta gente sóbria fazendo burrice, ficando grávida 'sem querer', roubando, sendo egoísta, sem amor no coração. Sou do tipo que pensa que 'um pilequinho de vez em quando nào faz mal a ninguém'!
=D

Zingara on 24 de junho de 2010 11:26 disse...

Gosto muito de beber, infelizmente. E sei que tenho pré-disposição. Sou filha e neta de alcoólatras.

Zingara on 24 de junho de 2010 11:29 disse...

Ah, né incrível que anônimos sejam corajosos?

E agora o comentário da Carol ou Jaque ou Anônimo ficará aí. Digno de muita coragem e saúde mental.

Jaque disse...

Se o blog é unilateral, que não tenha uma caixinha de comentários.

Abafando? WHAT!?!?!
Queria entender porque, principalmente as mulheres tem mania de entender críticas (sobre qualquer coisa) como expressão de inveja ou qualquer coisa parecida.

Thiara querida, eu não disse que não gostei do texto, a minha crítica foi ao medo que ela tem de receber críticas, sobre o texto em si, não comentei nada!

Eu gosto dos textos que as meninas publicam, o que é chato é uma pessoa que acha que posta apenas verdades universais incriticáveis!

Abraço

Renata on 24 de junho de 2010 11:48 disse...

Zingara, vc é sensacional!!
acho que vai gostar (se é q já ñ leu) da coluna do Ivan Martins, da revista Época, sobre o mesmo tema.

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI147974-15230,00-GAROTAS+QUE+BEBEM.html

bjocas!

Zingara on 24 de junho de 2010 11:49 disse...

Li sim, postei até lá no twitter!!!

Ana disse...

"Ah, né incrível que anônimos sejam corajosos?"

Ah tah, agora tem que postar incluindo nome completo, RG, CPF e endereço?

No seu perfil não vi nada disso, o que qualifica você como anônima também!

Besos

Anônimo disse...

"Ah, né incrível que anônimos sejam corajosos?"

Ah tah, agora tem que postar incluindo nome, RG, CPF e comprovante de residência?

Por sinal, não vi nada disso por aqui, o que qualifica você como anônima também!

Jullyane on 24 de junho de 2010 12:07 disse...

Geeeente, esse povo que não se situa é o que há! Se a pessoa não concorda, não gosta, não aceita, o que ela tá fazendo aqui? A porta da rua é a serventia da casa!

Isso acontece cmg seeeempre, não entendo mesmo. Se eu não gosto do que alguém escreve, simplesmente não ligo, não volto no blog... Pra que, né? Pra ficar com crítica negativa, de #mimimi, tentando denegrir a imagem da outra? O que não me acrescenta não me faz falta.

Sobre o texto, brilhante como sempre, Zin. Infelizmente o álcool e as drogas estão funcionando cada vez mais como válvula de escape para as pessoas. É triste isso.

Detalhe: tô cuidando naquele texto, viu?

Beijão


*DUVIDO que o nome da pessoa seja JAQUE.

Andréia Freire on 24 de junho de 2010 12:19 disse...

Gente, o que acham de moderar os comentários?

É complicado porque a sociedade de diversas formas incentiva o consumo de álcool. Daí quando alguém bebe além da conta e acaba virando alcólatra esta pessoa é muitas vezes tratada como "lixo humano".

Eu não bebo, nem meu namorado e acho bem melhor assim.

Raquel Andrade on 24 de junho de 2010 12:20 disse...

Eu adorei o texto, super informativo.

EU AMO beber, serio, e eu adquiri isso pra fugir da realidade, o q é muito ruim, as vzs fazendo nada me da vontade de beber e sempre arrasto alguem comigo, tenho evitado o excesso pq sei das consequencias.

Acho q muitas pessoas vao levando isso como um costume saudavel pq eh numa roda com os amigos q nos divertimos e achamos q o alcool tem q estar junto, mandei o link pra todas as minhas amigas pq as vzs nem percebemos as possiveis consequencias.

Parabens pelo texto!

Jaque disse...

Jaque, Juliana, Ana, Maria, Joana... faz alguma diferença?

Ai, pessoas que não sabem ler me entendiam...
Eu não disse que não gostei do texto, mas da postura DELA de não aceitar críticas. E volto porque gosto dos textos...

Zingara on 24 de junho de 2010 12:21 disse...

Andréia, obrigada pela sugestão. Mas o blog não é só meu. Tentei moderar os comentários recebidos no MEU post: deletando. Mas acabei batendo palmas para maluco dançar. Deixa assim mesmo.

Jaque disse...

Deve ser divertido bater palmas enquanto dança...

Deja disse...

Acho que o autor não deve se importar muito com criticas negativas, mesmo que a pessoa que a tenha feito, possua problemas ao interpretar textos.

O espaço é aberto para comentários, então sempre vão defecar por aqui.

Estresse faz mal pra pele e causa rugas.




(Eu também não aguento desáforos.)

Balzaks on 24 de junho de 2010 12:24 disse...

Muito bom o texto.principalmente pra dar um toque nessas bebuns (serei eu?). Muito bom tb o comentário sobre os dois problemas no dia seguinte. É algo que merece reflexão.

Cris Soleitão on 24 de junho de 2010 12:27 disse...

"Pra que, né? Pra ficar com crítica negativa, de #mimimi, tentando denegrir a imagem da outra? O que não me acrescenta não me faz falta."

Mas nem todas as críticas são negativas...
Na boa, isso é paranóia!

Não vejo nada de mal em alguém discordar da opinião do texto SE ESCREVER EDUCADAMENTE!

Como alguém disse em outro post, as meninas que escrevem no CF dão seu ponto de vista sobre o assunto... quem comenta também quer deixar seu ponto de vista, sua opinião sobre o assunto.

Não entendi agora qual é o problema disso!!! o_O

Jaque disse...

Pois é Cris, é exatamente este o meu ponto!

E comentei exclusivamente sobre esta frase:
"Detesto MEDIR PALAVRAS. Mas como todos os meus textos dão vazão a críticas, estou praticando o MEDIR DE PALAVRAS. Obrigada aos emprestadores de régua. *Melhor isso que desistir do blog."*

Meu primeiro comentário não foi mal educado nem debochado, mas a autora do texto em questão se mostrou paranóica com críticas.

Desistir de um blog por causa de críticas que podem ser recebidas, me parece mais maluco do que qualquer outra coisa exposta pelos meus comentários.

Zingara on 24 de junho de 2010 12:46 disse...

Você não criticou O TEXTO.

Criticou O AUTOR.

E eu deletei porque embora o blog não seja meu, o post é MEU e a pessoa atacada sou EU.

Sério, não vou responder pra alguém que usa argumentos tão sofríveis como os últimos: Sobre RG e CPF ou sobre eu bater palmas e dançar ao mesmo tempo. Uma criança teria uma resposta mais inteligente.

Os próximos comentários do anônimo serão deletados.

Jaque disse...

Ok, você pode deletar, mas vai acabar lendo antes. =D

Sim, critiquei você!! ;)
Mas era uma crítica construtiva, não se deve ter medo de receber críticas.

Primeiro, você disse que era incrível o fato de um anônimo ser corajoso. Ser corajoso para você é dizer o que tem vontade? (pra mim não). E anônima, você também é. Nada me garante que as informações que você põe no seu perfil são verdadeiras, minha personalidade não muda se eu colocar um perfil com uma foto minha. Ainda sou a mesma.

Uma criança também sabe lidar melhor com críticas.
Ou.. elas também podem simplesmente chorar e espernear, mas.. opa! é isso mesmo que você está fazendo...

Jaque disse...

"Sério, não vou responder pra alguém que usa argumentos tão sofríveis como os últimos..."

Você já respondeu! =D

Deja disse...

Jaque, agressiva você.

Gostei.


Beijomeadicionanomsn.

Jaque disse...

Ai meninas, que honra! Virei assunto até no twitter!!

Ah! a vaidade feminina...

Deja, agressiva eu? =( Nem so!

Cris Soleitão on 24 de junho de 2010 13:46 disse...

ah, esqueci de comentar uma coisa [sobre o texto].
Se um cara, numa roda que eu estiver, disser que não bebe a última coisa que vai me passar pela cabeça vai ser duvidar da sexualidade do moço.
Ao contrário, vou achar excelente!
Já terá ganho pontos comigo... [por todos os motivos q listei no 1º comment]

P.S.: EU SEI que a MAIORIA não pensa / age como eu [melhor deixar claro!]

Deja disse...

Ah Jaque,gostei... vi sua agressividade de uma forma positiva e sexy.

E eu também desenvolvo uma paixão ortográfica facilmente.


Vemnimim.

Anônimo disse...

Eu já achei essa Jaque muito grosseira com a Zin, se você não gostou da posição dela, fica quieta! Sua opinião não importa aqui!
Zin admiro muito seus textos, e acho que não deveria medir as palavras, afinal você escreve sobre o seu ponto de vista... não está ditando o certo ou errado!
Foraaaaaaaaaaaaaaaa Jaque!

beijoo

Anônimo disse...

Oiii meninas e meninos, ótimo texto Zin, realmente o número de mulheres que bebem mais que os homens têm aumentado muito.
A maioria das minhas amigas bebem muito, e pelo incrivel que pareça os mes amigos não.

Acho que não deveria medir palavras, você sempre escreve com o coração. E você Jaque é muito mal educada, sua mãe não te ensinou nada???

bjo

Jaque disse...

Obrigada Deja, talvez já tenhamos nos esbarrado por aí...

"Sua opinião não importa aqui!"
A sua também Não!
Foooora Anônimo!!

gisela disse...

oi Zíngara,

gosto muito dos seus posts: leio todos (e este está ótimo).
quanto a críticas, quem está na chuva acaba se molhando, mas desconsidere as agressivas e sem fundamento.

bjs

ps: espero q a ideia de desistir do blog tenha sido descartada! hehe

Deja disse...

Jaque, entendi.


Pensei em você hoje...

Zingara on 24 de junho de 2010 14:14 disse...

Por que eu acho que esses elogios são a Jegue que estão fazendo também? Sério, negócio virou um circo.

Anônimo disse...

Epic troll xD

Quero rir mais *-*
Continuem =D
Vou ali pegar a pipoca =p

Jaque disse...

Ok, pense como quiser.

Deja disse...

Jaque, se você for quem eu penso, entendo minha excitação. (6)

E se eu estiver certo, apareça novamente no Gtalk qualquer dia.




Bem, gosto das postagens da Zíngara,da pessoa (mesmo não conhecendo bem), por isso aconselho novamente que ela ignore, não se estresse e relaxe. :)

Jaque disse...

;)

Pri disse...

"Você não criticou O TEXTO.

Criticou O AUTOR.

E eu deletei porque embora o blog não seja meu, o post é MEU e a pessoa atacada sou EU."

pessoa atacada??Realmente vc é muito paranoica.
A garota só falou que vc nao sabe receber criticas (e não sabe mesmo) e vc já vai logo ofendendo,como se fosse a pessoa mais certa desse mundo.Na boa,se não sabe receber criticas devia mesmo desistir do blog.

Tata disse...

Gostei do texto, bem escrito, e verdadeiro. Não concordo que ser velho é feio, cada fase da vida tem uma beleza. O problema é que nossa sociedade da enfase em tudo que é novo e bonito, e despreza tudo que é velho e "inutil", isso reflete em nossa concepção de velhice, engraçado que estudei isso esses dias na faculdade, então a crise da meia idade que todos (homens e mulheres) passam em menor ou maior grau, acaba gerando problemas maiores, e o uso de alcool aumenta muito, nessa fase muitos se tornam alcolatras. (isso foi só um adendo)
Mas enfim ótimo texto.
Só fazendo outra observação, adoro a maioria dos seus post Zin, mas concordo que você não lida bem com criticas negativas.
Se a critica fosse ofensiva eu concordaria com explicações e nervosismos, mas dizer que você não lida bem com criticas não é nada ofensivo, e seus comentarios mostram isso.
Do mais admiro seus textos, e admiro como fala dos seu filho nos poucos posts que fala dele.
Beijos

Ana disse...

Dessa vez não vou comentar sobre os posts em si... você com essas observações finais toda na defensiva em todos os posts é meio bobo.. se garanta pelas idéias do posts e deixa as críticas q não valem nada no lugar delas (ou seja, sem repercussão nenhuma). Sério, você lê o texto e daí esses tópicos à lá "eu sou super sincera, revoltada e não vou mudar por sua causa" são desnecessários.

thainara gouveia on 24 de junho de 2010 18:53 disse...

Zin, só queria dizer que se quiser vir pro meu, está convidada, hahaha!

Zingara on 25 de junho de 2010 02:53 disse...

Preciso dar a minha explicação, mesmo duvidando que os últimos comentários sejam de outros usuários que não da Jegue:

- Aceito críticas. Já concordei com muitas até. Não sou orgulhosa. Detesto radicalismos. Mudo de opinião sempre. Basta ver alguns posts antigos meus, talvez vocês encontrem grandes contradições.
- O que não aceito são críticas infundadas. Como em alguns episódios que a pessoa leu um trecho e interpretou da forma como quis. Onde eu disse: Banana é uma fruta. A pessoa foi lá e comentou: Mas mamão também é uma fruta, ou ainda: Não é bem assim, banana é uma fruta. E ainda teve algo como: Não diga que banana é uma verdura porque não é.
- Comecei com as observações no fim do texto justamente porque já era previsivel as interpretações erroneas que se fariam dos posts. Eu já sabia que se falei que a banana era uma fruta teria alguém para dizer: Mas você esqueceu que o mamão também é.
- Sempre faço uma pergunta ao final dos meus posts, mas dificilmente as pessoas respondem. Por que não falam o que pensam? Ao invés de falar o que pensam do que o autor pensa? E ok, fale sobre o que eu penso e diga que é errado ou ridículo, mas não INVENTE coisas que não foram ditas.
- Seria mais simples escrever que lingeries dão um up na relação ou que fazer compras desestressa. Poderia falar que cabelo no sabonete é detestável, mas todos sabem disso, não é? Gosto de introduzir um assunto com outra cara, a minha cara, e se você quer dar sua opinião: Dê. Mas sem deturpar a MINHA.
- Toda vez que me aborreci nesse blog ou dei chilique foi porque reinventaram minhas palavras. O mais jocoso dessa história é que a pessoa afirma "Você não aceita críticas" ou "Precisa de tratamento, é louca por não aceitar críticas" depois vem dizer que EU estou esperneando. Ah tá.
- E só para fechar, aquilo que eu disse mesmo: Acha inaceitável o que eu digo? Acha que sou louca e não aceito críticas? Vá nos posts das minhas amigas de blog e comente por lá sobre o que elas escrevem. E simplesmente me ignore.


Estou explicando a coisa, mesmo sabendo que metade dos comentários nesse post são de uma única pessoa. E também como resposta à Cris Soleitão que é nossa nova companheira de blog. EEE \o/

* Gente, meu Mercado Livre tá gongado. Hoje nem vou dormir por causa dele. ;P

Tati disse...

Sou filha, neta e sobrinha de AA. Bebia todos os fds durante 17 anos, a 2 meses estou livre, até da inocente cervejinha. Mas bebia por tudo e todos motivos.

Anônimo disse...

Teu texto está perfeito e acho q é muito útil pra conscientizar tds essas adolescentes que lêem o CF, e, até mesmo, alguns adultos (e adultas) q tenham o vício ou a dependência do alcoolismo - a procurarem ajuda. Apenas algumas informações a acrescentar:

1. Esse dado de q as mulheres são as mais dedicadas na rehab não procede: as mulheres são as que mais recaem e menos abandonam o alcoolismo (dados médicos, estudos científicos)

2. As mulheres desenvolvem cirrose hepática (no fígado) com doses diárias inferiores às doses necessárias para o adoecimento no sexo masculino, em virtude da deficiência da enzima lactato desidrogenase gástrica, escassa no sexo feminino.

3. Cirrose é fator de risco para carcinoma hepatocelular (vulgo 'câncer de fígado'), logo, a questão vai além de 'cu de bêbado não tem dono', podendo passar por algo pior do q uma gravidez, ao longo dos anos: CÂNCER.

Sem mais, acho q vc traduziu muito bem um sentimento compartilhado por tantas pessoas, frente aos alarmantes dados do alcoolismo em nossa sociedade. O vício aceito, estimulado, reforçado!

Ana Vicente on 26 de junho de 2010 13:37 disse...

Oi Zingara. Tudo bem?
Gosto dos seus posts.
Amei o Texto, está bem escrito!
Acho que não precisa pedir opinião no final. O número de seguidores do blog fala por si só.
E sobre a crítica: "picadas de mosquito não poderão deter um cavalo em sua fogosa corrida...' Beethoven
O trabalho de um blog, exige amor, pesquisa, dedicação, boa escrita, cultura e segurança.
Isso você tem!
Um beijo.
http://coisasaleatoriasdaminhacabeca.blogspot.com

Inaví on 26 de junho de 2010 16:15 disse...

Eu já passei por algumas fases, primeiro não bebia por nada do mundo, não me apetecia. Aí por um dos motivos postados (me enturmar) há uns 4 anos atrás eu bebia direto, acontece que eu descobri que tenho intolerancia a bebida alcoolica, me faz mto mal e vou parar no hospital, não importa se é uma taça de vinho ou um copo de cerveja eu passo muito mal, então faz algum tempo que não bebo, muito raramente eu tomo uma taça de vinho, pois eu amo vinho. Não acho legal mesmo quem bebe d+, mas confesso que eu me divertia horrores com minhas amigas, só que tava d+ e dei um ponto final. Hoje eu voltei a ser a caretinha de antes e consigo me divertir sem precisar beber, minhas amigas continuam bebendo horrores e cada dia mais, uma inclusive teve um problema grave no figado, com 25 anos quase morreu de tanto beber, melhorou e voltou a ativa, ela é mais emocionalmente dependente do que quimicamente, a bebida pra ela é uma fuga, minha "fuga" é minha familia muito bem estruturada.
Tudo em exagero não é legal.

Lu Dantas on 26 de junho de 2010 18:09 disse...

Eu adoro seus posts e costumo concordar com seu jeito de pensar porque pensamos de forma parecida. Pensei sobre o assunto há pouco tempo. Ultimamente e cada vez mais, tenho me deparado nas festas, na noite, com mulheres que se excederam no álcol, completamente bêbadas, caindo do salto, sem o mínimo de noção..confesso que fico deprimida por ver coisas deste tipo. É lamentável!

Bjs, Zin

ines on 15 de outubro de 2011 09:41 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ines on 15 de outubro de 2011 09:45 disse...

Estou abstemia da bebida há 15 dias, freqüento um grupo de pessoas que tem problemas com drogas, "ÁLCOOL É DROGA", isso não sou eu quem está dizendo, mas já foi constatado pela OMS. Vejo casos de pessoas se perderem no álcool e conseqüentemente partir pra as drogas ilegais, e aí amiguinhas, é só rezar ou admitir que álcool sem freio seja doença.
Então a minha sugestão pra essa juventude de hoje é se você bebe quase todos os dias, já faltou o trabalho por causa da bebida, esquece o que fez no dia em que bebeu, bebe por alegria, por tristeza, bebe para adormecer seus problemas, PARE AGORA ou PROCURE AJUDA, pois o caso é sério.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino