terça-feira, 25 de maio de 2010

Minha vida em agendas (ou diários)

Não lembro bem quando escrevi em um diário pela primeira vez. Tenho uns micro textos espalhados em alguns caderninhos meus, falando coisas como "minha melhor amiga é a não-sei-quem". Mas comecei a escrever quase diariamente mesmo em 1997. Curiosamente, foi um ano cheio de emoção. Primeira menstruação, namorinho com o melhor amigo, quando ganhei minha cachorrinha (forte e linda com seus 13 anos, hoje em dia!)... Tá tudo lá.

Desde aquela época tenho quase todos os dias que vivi documentados com precisão até 2007. Em alguns anos, chegava a anexar folhas de caderno em alguns dias e lotava de pensamentos e emoções. Daí em diante, a escrita em folhas de papel perdeu a graça... Continuei comprando a agenda do ano para eventuais acontecimentos, mas passei a me dedicar mais ao meu blog pessoal, que já existia desde 2003.

Minhas agendas, de 1997 até 2009. Minha vida em algumas milhares de páginas ;)

Nunca abandonei esse meu vício e hoje agradeço por isso. Às vezes os livros não me bastam, e eu preciso recorrer às minhas memórias espalhadas em diários e blogs para aprender um pouco mais sobre mim e sobre a vida. Afinal, quem disse que relembrar não é aprender? Aprender com os erros, perceber como você cresceu, quantas coisas boas você viveu, como aprendeu a lidar com situações que antes pareciam bichos de sete cabeças? Você passa a dar mais valor a quem merece e à sua vida e às suas experiências!

É bizarro ler certas passagens da sua vida. Você se pergunta: porque raios eu desperdicei sentimentos com essa pessoa? Porque eu briguei com fulano? Jura que cicrano gostava de mim? Então foi assim que eu me senti depois de tomar um fora de beltrano? Por que eu era tão extremista e intolerante? Foi assim que me senti no primeiro show grande que fui? É engraçado. A gente se sente velha. Velha mesmo. Certeza que todo mundo quando criança imaginava que aos 20 e poucos anos estaria velha, casada e os carros voariam. Que nada! Tâmo aí, na correria do dia-a-dia, batalhando pelo direito de ser feliz solteira ou tentando equilibrar relacionamentos com a vida profissional, cuidando de filhos até. Mas sem carros voadores nem dezenas de filhas com os nomes que davamos às nossas bonecas - as minhas eram Isabella, Beatriz, Giovana, Natasha e Daniela. Hahaha.

Ao mesmo tempo, é fantástico parar e pensar que você viveu momentos maravilhosos perto de amigos que você nem sabe mais da existência. E avaliar a sua forma de escrita, então? Aos 14 anos eu tinha um vocabulário pobre, lotado de gírias da época. Hoje escrever é minha profissão.

E o meu comportamento? Eu era tímida, tinha um grupo de amigos restrito. Tinha mil segredos que me atormentavam. Era alvo de bullying na escola. O ambiente caseiro era tenso e nebuloso. Algumas dessas coisas desapareceram com o tempo. Outras foram se adequando, afinal, o homem tem uma capacidade incrível de se adaptar. E outras, ainda, descobri um novo modo de agir.

Se um dia eu tiver filhos, vou incentivá-los a escrever em diários. Além da importância que tem para quem escreve, que acaba tendo um maravilhoso confessionário e aperfeiçoando a escrita e a forma de pensar, ainda é, acreditem ou não, um documento histórico. Tentem lembrar de grandes acontecimentos que marcaram o Brasil e o mundo entre 1997 e 2007: tá tudo lá, nas minhas agendas. O 11 de setembro, Bush, FHC, Lula, tsunami... O choque, a felicidade, a raiva, o assombro diante de alguns desses acontecimentos, tão lá. No futuro, dá até pra saber como alguns grupos etários/sociais encararam tais momentos marcantes.

E vocês, tinham agendas/diários? O que escreviam nele? O que sentem ao reler, hoje em dia?

Beijo!

anamyself
anamyself@corporativismofeminino.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Anamyself às 00:01

9 comentários:

leticiapf on 25 de maio de 2010 01:12 disse...

A 5ª agenda da foto, eu tive uma idêntica!

Não tenho muitas agendas, eu escrevia só na adolescência mesmo, e confesso que sinto vergonha de mim mesma quando releio hahaha. Eu era muito patética. Já pensei em jogar tudo no lixo, mas negar o passado pra quê? Às vezes eu leio essas coisas velhas e nem me reconheço, parece que era outra pessoa ali, e isso é bom porque me mostra o quanto eu cresci. E o quanto eu ainda tenho pra crescer.

Não costumo escrever mais. De vez em quando me vem uma idéia à cabeça e eu digito num arquivinho de word que tem aqui no meu pc, haha. Tem bastante coisa patética ainda hoje, mas sei que se um dia eu reler vai ser legal, então eu vou deixando algumas coisinhas registradas.

;*

Bel on 25 de maio de 2010 10:04 disse...

Não tive agenda todos os anos, lembro especificamente de duas, que eu raramente escrevia, sempre coisas muito muito bestas.

Confesso que sinto vergonha de mim mesma quando releio [2]

(Mas não releio mais, pq joguei fora...haha)..

Mas de blogs sempre gostei, mas não consigo retratar minha vida a fio, escrevo bem esporadicamente...

Tenho saudade de um blog que eu tinha em 2002, no qual eu postava com mais frequencia, só que era do webblogger e deixou de existir, queria muito poder reler seus arquivos..

Zingara on 25 de maio de 2010 10:11 disse...

Tenho saudade de um blog que eu tinha em 2002, no qual eu postava com mais frequencia, só que era do webblogger e deixou de existir, queria muito poder reler seus arquivos [2]

Caraca, a mesma coisa! hahah Só que eu o tinha desde 2000. O weblogger não me avisou que o excluiria!


Mudando de assunto, essa metodologia de escrever diários é aplicada para alunos com problemas de redação. Meu irmão que sofre de deficiência de aprendizado por um bom tempo escreveu diários.


Eu acabei jogando todos os meus diários porque nunca morei num lugar só - Vida cigana. Mas quando os lia sentia muita raiva do meu pai. Na verdade, diferente das pessoas, não gosto do passado.

monizia on 25 de maio de 2010 10:28 disse...

olá gostei muito da parte da adolescencia. È ainda tenho 13 anos entã vou testar a parte do diario rsrsrsrs
vlw bjão

Anônimo disse...

Eu não tinha agenda, eu tinha diário. Cadernos e fichários. Dos 12 até os 18 anos eu os mantinha diariamente (tenho uma mala cheia deles). Escrevia contos (até eróticos haha) e poesias. Releio e vejo tudo com outros olhos..percebo a grandiosidade que são os diários e vou mante-los para sempre.
júlia
www.catherinedejupiter.wordpress.com

Linda Carioca on 25 de maio de 2010 14:44 disse...

Eu comecei em diários e passei para agendas. Tenho um monte e elas ocupam tanto espaço no meu armário que volta e meia penso em dar um fim nelas. Tipo, fazer uma fogueira, sei lá. Depois, a vontade passa mas o problema com o espaço continua.

Não tenho vontade de reler... sei lá...

E tu, o que pensa em fazer com as suas ?

Crazy on 25 de maio de 2010 17:08 disse...

Nunca mantive diários pq sempre tive um pouco de receio de alguém ler. E eu sou uma pessoa muito, muito fechada, detestaria a possibilidade de alguém ler algo pessoal, e tb fiquei traumatizada quando, lá pelos 13 anos, colegas de classe leram uma coisa q escrevi na agenda e ficaram rindo de mim (nem lembro o que era, na verdade, mas lembro do trauma)
Da mesma forma, em blogs, não consigo escrever coisas pessoais, o máximo que consigo expor são minhas opiniões acerca das coisas, agora, sentimentos, de jeito algum. Pior que eu até tenho vontade de por certas coisas no papel, e muitas vezes eu escrevi num caderno (ou mais recentemente num bloco de notas) só para tirar algo da garganta e rasguei o papel (ou deletei o arquivo) logo depois. Mas, recentemente, encontrei uma página num caderno q eu escrevi em 2002 e esqueci de jogar fora. Foi uma grata surpresa, gostei de ler, fiquei feliz pq vi q resolvi alguns problemas q me incomodavam naquela época. Fiquei com vontade de ter guardado outros escritos para poder ler agora, porém, mesmo esse q encontrei, fiz questão de jogar fora depois de ler haha deve ser algum bloqueio que eu tenho em expressar sentimentos, só pode

Anamyself on 26 de maio de 2010 13:58 disse...

Nossa, Bel, que insensível! Jogar todas as agendas fora! hahahahaha

Letícia: ah, as agendas da Capricho! Percebe-se que eu era fã, né? é que rolavam aqueles famosos testes a la "você é ciumenta?" "você tem confiança em si mesma?" "ele quer ficar com você?" hahaha

Linda Carioca: quando era pequena, queria publicar tudo. Hoje acho idiota. Fora a vergonha [3] hahaha

Sei lá, acho que elas continuarão no meu armário, para eu ler sempre que quiser... Mas só eu, mesmo.

Lusinha on 31 de maio de 2010 14:01 disse...

Sou a favor de agendas e diários exatamente por esse motivo: relembrar o que aconteceu. Sempre que releio dou risada.
Bjitos!

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino