segunda-feira, 22 de março de 2010

Viver é só isso? Então alguém clica em EXIT porque já enjoei!


Estou numa vibe deprê, fato. O problema é que me sinto nos bastidores. Sinto como se rolasse uma mega estréia e minha função fosse somente abrir as cortinas. Não me dessem chance de subir no palco.

Essa mesmice me faz questionar o caminho que escolhi seguir. Ter uma vida programada me deixou menos eu. Faltam horas nos meus dias. Minhas paixões são colocadas de lado. Eu costumava gostar de música mais do que de respirar, no entanto, mal consigo me lembrar da última vez que pude ouvir um álbum inteiro. E os livros eram minha válvula de escape, mas hoje aprendi que se quero seguir nesse caminho eu devo direcionar minha leitura para livros jurídicos, e então adeus tardes de domingo na companhia de Asimov e Saramago. Sem falar nos idiomas! Eu costumava passar noites acordada estudando outra língua, outra cultura; hoje, se perco horas de sono com isso, me arrependo amargamente no dia seguinte.

Eu queria fazer tanta coisa, mas me sinto presa. Quando, finalmente, eu vou fazer minha viagem de mochila pela África? Quando eu vou treinar golfinhos no Sea World (estou desiludida com as orcas, okay)? Quando eu vou liderar uma expedição arqueológica? (Eu sei, eu sei, são realidades diferentes, mas os desejos são meus, então dá licença!)

Tem coisas que simplesmente não cabem na minha vida. Ou eu não sei onde encaixá-las. Ando tão ocupada sendo o que escolhi ser (e parece tarde demais para voltar atrás) e tentando corresponder às expectativas daqueles que confiam em mim, que não sei quando farei um moicano, por exemplo. Eu nunca quis um moicano, mas eu gostaria de ter opção de fazê-lo.

Mas sabem o que é o pior? Eu, que sempre gritei para o mundo o quanto achava triste ser comum, já me acostumei com os bastidores e não tenho mais voz para gritar ao mundo “Ei, eu sou interessante! Espera só até eu subir no palco!”

Queria jogar tudo pro alto e viver de paz e amor. Eu sou muito nova e não tenho que provar nada para ninguém (né?), mas a idéia de frustrar as expectativas de pessoas próximas não me agrada. Prefiro ser covarde e não viver. Prefiro gastar tempo desejando e não realizando. Prefiro ser figurante na minha própria vida.

E assim... A rotina me sufoca. O cotidiano é meu algoz. E tudo que eu poderia ser um dia, morre aos poucos. Mas eu vou continuar aqui achando que mereço o papel principal e de dedos cruzados torcendo para que tudo seja só uma fase.

***
Oiii, eu disse que apareceria aqui quando pudesse! Então cá estou :)
Desculpem por estar meio emo, mas alguns acontecimentos recentes me colocaram pra baixo. E eu não seria a Drama Queen se retornasse com um texto todo UP, né?
Enfim, brigadão a todos que sentiram minha falta. A vida está corrida, mas prometo que apareço de vez em quando.
Quem se identifica comentaê! =*

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Yasmin às 00:01

35 comentários:

Manu disse...

Eu me sinto do mesmo jeito, parece que fui eu que escrevi o texto. A minha fase tá demorando de passar.

(te sigo no twitter ^^)

Fran... on 22 de março de 2010 09:31 disse...

A drama queen voltou! \o/

As vezes me sinto da mesma forma... Queria largar essas pré-regras do mundo e sair por aí sem compromisso conhecendo o mundo! Viver pra trabalhar e depois ter que usar o dinheiro pra pagar as contas?! As vezes acho que a gente paga pra viver...

Ps. Exclui meu twitter e agora me dedico ao http://fran-insightfashion.blogspot.com/

Beijos

Debbie on 22 de março de 2010 10:23 disse...

Sei muito bem como é isso... eu muitas vezes me sinto assim.. na verdade... acredito q estou numa dessas fases.. um pouco mais amena.. talvez pq ainda não tenha parado para refletir sobre o assunto... mas talvez seja melhor assim...
Não consegue tirar umas fériazinhas??
bjiiinhos

Anônimo disse...

Me identifico e muito!!!!

Estou sob pressão familiar. Todos os meus passos são contados para decepcioná-los. Vamos fugir?

Anônimo disse...

*para NÃO decepcioná-los

Christine Cecchetti on 22 de março de 2010 11:00 disse...

Menina, menina!!
deve estar louca de querer dar satisfação aos outros, como por outro lado, esse sonho deve ser seu tb. (duvido que uma moça inteligente como vc esteja fazendo uma facul que não gosta)
vc sabia que todos os dias são um primeiro dia em potencial?
e vc sabia que as mudanças de casa, estado civil, emprego e profissão??
Olha menina, mesmo tendo nick de drama queen, vc mabndou mal. Não vejo, aqui nos meus 35 anos de idade, motivo para estudar tanto para ser juiza, ou promotora (deve ser, né) se o sonho não é seu.
nossa! eu estou triste. triste por vc, pela sua tristeza. E triste com vc, por não se julgar capaz de construir a vida que quer ter.
espero um dia saber que vc estava apenas de tpm, e que adora estudar muito para ter uma bela carreira jurídica, ou mesmo que mandou tudo isso catar coquinho e foi ser arqueóloga.

Anônimo disse...

Tive uma briga com meu namorado no sabado justamente por me sentir assim... as pessoas nao entendem nossos conflitos internos.. o que tende a intensifica-los ainda mais... =/

Tenho 26 anos.. estou formada ja.. e ainda esperando ser a estrela do espetáculo... =(((

Zingara on 22 de março de 2010 11:38 disse...

Em alguns momentos da vida a gente dá um duro danado para uma futura recompensa. E sem querer ser pessimista, às vezes o duro não tem retorno.

Deixei de brincar na hora do recreio para hoje não ter o emprego dos meus sonhos. Enfim, a vida é só isso mesmo. E estou sendo o mais otimista possível.

vitória on 22 de março de 2010 14:05 disse...

me identifico muito.

Than on 22 de março de 2010 14:18 disse...

AMEI...o post e o blog todo!
Um dos blogs mais inteligentes q eu ja vi!

Bjos

Anônimo disse...

Eu tb me sentia a assim, e não adianta explicar pra ninguém, pq só quem está passando por isso entende. De repente um psiquiatra pode ser um caminho pra te dar forças pra subir no palco...

Daniela on 22 de março de 2010 16:57 disse...

Gostei e compartilhei.
A vida é um tédio, ainda bem que tem os momentos que fazem tudo mais especial e dão força pra continuar em frente, e fazer valer a pena.

AL. on 22 de março de 2010 17:05 disse...

eu te entendo perfeitamente.
sigo uma rotina profissional sufocante também.
e quando não estou trabalhando, estou pensando em como melhorar.
não tenho tempo para namoros e nem saco pra aguentar a encheção deles. (ok, tudo tem lado bom, I know!!)
só consigo enxergar minha ascendente carreira profissional.
o resto... bem, o resto eu penso depois. Se der.

besosss

Anônimo disse...

Tive uma fase assim e hoje tento viver um dia de cada vez e aproveitar o melhor do que TENHO. Não é a vida perfeita, mas é melhor do que ficar depressiva.

Eu te entendo.

Bel on 22 de março de 2010 18:23 disse...

Ai DQ, te entendo TANTO. Você deve lembrar de quando eu estava fazendo meu TCC, de como eu estava assim.

E depois que acabei fiquei meio perdida na vida, sabe? Trabalhar me entendia. Odeio rotina...aí, nem vou discorrer muito sobre isso pq é um assunto mais deprê que seu post, haha.

A única coisa que eu te digo é: Nunca abra mão de todo seu lazer, pois quando fazemos isso parece que a vida perde totalmente o sentido. Reserve um tempinho pra você, mesmo que seja pouco, não deixe de fazer isso.

Beijo! Espero que você venha mais vezes =*

.Intense. on 22 de março de 2010 19:26 disse...

Lembrei de uma conversa com uma amiga esses dias. A gente tá solteira, o povo pergunta qdo a gente vai arranjar um namorado. A gente arranja um namorado, pergunta qdo vai casar. Qdo casa, pergunta qdo vai ter filhos. E então, e daí? acabou a vida, é só isso?

Aném.
Eu deprimo. E deprimo mais ainda de ver a vida afunilando, e as opções mais 'arriscadas' irem ficando pra fora do tubo...
=~

Priscila C. Souza on 22 de março de 2010 20:47 disse...

As vezes nos sentimo assim, mas para essa fase passar, só depende de você. Claro que ficamos prisioneiros da rotina, já que escolhemos um caminho a seguir, mas dê um pausa para si mesma. Mesmo que seja de 1 hora... aos poucos você vai sabendo lidar com essa "dupla personalidade"

re disse...

"Ando tão ocupada sendo o que escolhi ser (e parece tarde demais para voltar atrás) e tentando corresponder às expectativas daqueles que confiam em mim"

Eu me sinto da mesma maneira, parece que foi escrito por mim esse texto!
Hj eu entendo quando as pessoas dizem que um adolescente saído do ensino médio não tem cabeça suficiente p/ escolher uma profissão pro resto da vida. Estou presa a uma faculdade que odeio e ouvindo toda semana 'pra qndo é a formatura?' pq sei q o maior sonho dos meus pais é me ver formada. É um inferno.
Tenho um monte de planos que não tenho tempo p/ correr atrás. Talvez eles nem sejam meus sonhos mesmo e ,sim, uma válvula de escape p/ eu me sentir tão culpada por ter feito a pior escolha da minha vida.

tataaesv on 22 de março de 2010 22:40 disse...

ótimo texto,me identifico com ele e com outros que voce escrevia.
Me sinto hoje,um pouco parecida,pensando que talvez isso,talvez aquilo..Acho deprimente.

Mirna disse...

Acho que muita gente se identifica com vc pq deve ser parte da vida esse sentimento de desilusão. Talvez todo mundo tenha essa fase, a não ser que vc nasça rico e não passe por pressão de ninguém.

Susu on 23 de março de 2010 06:42 disse...

Quando eu tinha 18 e tinha que escolher uma facul pra cursar, me sentia assim, pressionada, angustiada... Resolvi deixar tudo de lado e vir para o Japão, a despeito das expectativas e anseios dos meus pais...
Vivo aqui, numa vida pseudo-feliz se é que isso existe... Sempre penso que deveria voltar pro Brasil fazer uma facul, ou aproveitar melhor a vida... Enfim... Qualquer escolha que a gente faça sempre vai dar em merda, afinal a grama do vizinho sempre é mais verde e a não ser que você seja uma multimilionária com possibilidades infinitas, tudo se torna uma rotina chata, obrigatória e enfadonha...
No fundo eu acho que até os multimilionários são frustrados, porque se eu descobrir que na verdade é o oposto, a tendência é eu me jogar na frente do primeiro trem-bala que eu ver... kkkkkkkkkkkk

Anamyself on 23 de março de 2010 11:47 disse...

êêê volte sempre, Drama Queen :D

Eu me sinto igual. Desmotivada para tudo.
Mas acho que tudo é culpa da fase adulta. Oi, rimou.

Simone Casimiro on 23 de março de 2010 14:58 disse...

Todas nós passamos por isso. Não é fácil não. To te seguindo no Blog.
Amei o texto. Simone

Aninha disse...

Que bom que vc voltou!!! Adoro seus textos!!! ^^

Eu ainda vou passar por isso pq estou tomando as grandes decisões da minha vida agora. Se me arrepender vai ser daqui uns quatro anos. Espero que exista uma pequena minoria que seja feliz com a vida que leva e eu faça parte dela.

Maria Carolina Medeiros on 23 de março de 2010 23:19 disse...

Parece que eu escrevi... isso é bom pra vc ver que não é só vc que se sente assim... e quando essa vontade de subir no palco for mais forte do que tudo, vc vai acabar deixando as cortinas de lado... e conseguindo priorizar mais coisas que te dêem prazer! Boa sorte!

Bruxa on 24 de março de 2010 13:20 disse...

A gente passa por isso as vezes, mas, sobre decepcionar as pessoas, é complicado. Pode parecer cruel mas eu prefiro decepcionar os outros do que a mim mesma. As pessoas só se decepcionam quando esperam mais de alguém do que esse alguém pode oferecer, e se você não tá feliz com a vida que tá vivendo, dá um jeito, sei la, tranca a facu, não sei. A gente tem q tomar cuidado, pq vida a gente só tem uma! Sim eu sei, fui cliche e "auto-ajuda" demais né?
Espero que consiga resolver isso! :*

Aquariana disse...

querida!!!!!!!!!!! saudades!!
mandei um mail pra vc no dramaqueen@corporativismofeminino.com espero que vc ainda o acesse!!!
volte sempre!

Hello on 25 de março de 2010 01:53 disse...

Olá!Me formo esse ano e tb vou seguir a carreira juridica...entendo um pouco como vc se sente! Eu gosto do curso q "escolhi" (a escolha foi influenciada por mtas pessoas,ok...mas eu não me arrependo,tenho certeza q escolhi a melhor faculdade pra mim,considerando a qualidade e as possibilidades q o curso me oferece), só q tenho mtas dúvidas em relação à carreira...escolhi prestar concursos, massss....qual concurso???Com qual cargo eu me identificaria mais??Tô numa fase de empolgar c os concursos q saem, fazer a inscrição,imprimir o boleto e dps pensar:"não é isso q quero", aí eu desisto de fazer a prova!Meus dilemas:ser membro do ministério público ou magistrada (lado positivo:prestígio, ótimo salário,estabilidade e autonomia/lado negativo:grande responsabilidade, segurança em risco)ou escolher carreiras mais "lights" tipo analista processual (lado positivo:serei uma simples servidora, sem grandes responsabilidades e posso ter um salário razoável/lado negativo:ter chefe(argh!!), não ter autonomia e correr o risco de me sentir frustrada por não seguir uma carreira melhor).

Espero que o tempo me ajude a determinar o que me fará masi feliz!!

Bjos!!

Vanessa disse...

Estou numa fase assim, mas em relação ao trabalho.
Adoro o que faço, mas lidar com pessoas é tão dificil..............
Minha vida ultimamente só tem sido feliz aos fins de semana qdo posso estar com as pessoas que amo.

Bruna on 26 de março de 2010 01:02 disse...

Incrível como este texto coincide com o que eu estou passando, da escolha pelo Direito à preferência por arqueologia e, principalmente, pelo sentimento de estar vivendo em algum lugar à parte na vida. O medo de decepcionar todo mundo e a vontade de mochilar pela África. O meu problema é que eu não consigo me motivar pra aproveitar o curso da melhor forma possível, então eu fico achando tudo uma bela porcaria. Esse período eu tou tentando dar uma chance e aproveitar melhor, mas é punk. Bom, pelo menos já tá dando pra mentir melhor quando perguntam se eu tou gostando do curso.

thalita on 26 de março de 2010 13:57 disse...

Adoro seus textos!

Anônimo disse...

Roubei uma frase, tá. Some não, vc faz falta!

May disse...

tinha muito tempo que não passava por aqui, e acho que escolhi o dia certo pra visitar o blog!
seu texto define exatamente como estou, EXATAMENTE!
adorei!
seus textos são otimos!
o blog tbm

beijos!

Anônimo disse...

começo a achar que é culpa do direito... brincadeira, claro. Faz pouco tempo me sentia assim, nada que eu fazia me agradava mais, sentia falta das paixões que me motivavam (os livros que lia um depois do outro) e para piorar não conseguia ver uma saída. Parar tudo, ir para um cursinho para mudar de curso?? Pra qual?? Deixar os amigos que fiz para começar tudo de novo, sendo eles a única motivação de ir para aulas?
É estranho, um semestre novo começou e.. passou.
Estou com uma estranha empolgação de caloura!
Não sei, o curso é o mesmo e eu sou a mesma, mas parece tudo melhor.Espero que aconteça o mesmo ctg

Paulinha disse...

Eu queria que vc voltasse a escrever, sempre me identifico com você, seja aqui seja nos seus tweets.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino