terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Coordenação motora: não trabalhamos

Tem coisas que a gente nasce sabendo. E tem coisas que, por mais que tentemos, chega uma em que o melhor é enfrentar a realidade: não fui feita pra isso.


No meu caso, eu NÃO nasci para coisas que envolvam coordenação motora. Isso inclui qualquer manifestação artística ou esportiva.

Durante toda a infância e adolescência, minhas piores matérias na escola eram educação física e artes. Educação física mais por motivos externos: eu era excluída do time das barbies-jogadoras-de-handebol. Era relegada ao gol, para me mexer o mínimo possível e fazer o mínimo de cagadas possível. Mas cagava tudo mesmo assim.
Nas artes era tenso. NUNCA soube desenhar, me cortava ao recortar algo, em colagens eu me sujava toda e deixava tudo torto e amassado... Até que eu desisti. Na educação física, ficava sentada - o professor desistiu de mim. Em artes, eu só fazia a parte teórica.

Sorte que passou a vida escolar e não precisei mais dessas coisas na minha vida. Das colagens e desenhos de artes e do handebol, quero dizer. Pois, por outro lado, pensem na minha capacidade para dançar.
PENSEM.

O triste é que adoro dançar. Mas sou descoordenada. Se eu tentar sambar [♪ adoro samba mas sou doente do pé ♪ hihihi], é provável que tropece.
Aliás, meus joelhos parecem de meninos de 10 anos. Vivem ralados por tombos que eu tomo. Ser descoordenada e desajeitada é uma desgraça. E nada feminino e delicado.
Não sei ser delicada.

Dançar a dois?
NUNCA.
Um forró, então...

Morro de inveja daquele povo que dança super bem mesmo com salto alto. Que se arrisca até a dançar um tango.
Quanto a mim, conto um segredo. Eu não sei dançar, não tenho noção de ritmo e sou descoordenada, mas adoro dançar. Então, o que eu faço? Foco nos quadris e no peitoral (meus pontos fortes, aliás: quem vai olhar pro seu pé se você tem bundão e peitão?).
Se alguém reparar no meu modo de dançar por algum tempo, a chance de que role de rir é enorme. Todos os meus amigos riem de mim, porque seja qual música for, rock/samba-rock/pagodão/funk/pop etc - eu rebolo fora do ritmo.

Mas aí eu jogo a culpa na quantidade de bebida.

Rá.

---

Para me oferecer aulas de dança grátis e dizer que YES, WE CAN (but I can't):
anamyself@corporativismofemino.com ou twíte-me.

=***

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Anamyself às 00:01

11 comentários:

Linda Carioca on 2 de fevereiro de 2010 02:32 disse...

Não consegui abrir no post de cima, para poder comentar. Vou comentar aqui mesmo, ok ?

Aposto que essa música acima é do Skylab, acertei ?

Beijos, e faz dança de salão... quem sabe vc consegue dançar ?

Thica on 2 de fevereiro de 2010 09:17 disse...

coordenação motora só se consegue treinando e sem medo do ridículo. hehe. pois é, digo isso por experiência própria!

Beijinhos.

mulherpolvo on 2 de fevereiro de 2010 09:17 disse...

Eu danço mal pra dedéu também. Meu namorado diz que danço como uma porta, imagine só.
Mas as habilidades manuais são infinitas: costura, crochê, pintura, colagens... Também fui goleira (frangueira) no handball da escola!!
A gente supera...

.Intense. on 2 de fevereiro de 2010 10:46 disse...

ahauhauhauha
eu morro de rir com seus posts.

não rola gravar pra mostrar pra gente vc dançando não?

=D

Cris Soleitão on 2 de fevereiro de 2010 11:45 disse...

Putz, meu problema eram com os pés na escola ou com qualquer bola que viesse pra cima de mim. Então futebol e vôlei estavam fora de cogitação.
Para minha desgraça, eram os esportes mais populares.
Basquete até gostava, mas nunca conseguia acertar a cesta.
No handball me dei bem... em qualquer esporte que a bola fique na minha mão e não voando sob meus pés ou sobre a minha cabeça eu tinha uma chance de ir bem.
Coincidência ou não, complô ou não... só tivemos UMA mísera aula-jogo de handball.

Quanto à dança, também adoro.
Mas infelizmente descobri que só me dou bem em danças indivuduais.
Dançar a 2? Nem pensar.
Eu não consigo ser conduzida, não sei porque.
Da última vez que tentaram me fazer dançar forró acabei sendo arrastada como uma boneca de pano pra lá e pra cá e ainda acabei com os 2 joelhos - que já são problemáticos - mais machucados ainda =/

Por isso eu AMO dança do ventre, hauahau...

Paula Basei on 3 de fevereiro de 2010 23:37 disse...

uma vez eu tive que sair de uma peça de teatro que eu tava fazendo, era um musical e eu não conseguia dançar junto com os outros. ahahahah só sirvo pra monologos.

Bel on 5 de fevereiro de 2010 22:38 disse...

E eu que sou igualzinha, mas não bebo??? Ah, nem tenho bundão e peitão, eu só tenho barrigão! huahuahuahua

Hellis Montebelo on 7 de fevereiro de 2010 03:17 disse...

Dançar até que eu consigo, agora quando é a dois...tenho a mania terrível de querer guiar o parceiro, aí fica aquela briga de foice até acertar o passo.

Bel on 7 de fevereiro de 2010 12:57 disse...

Eu nunca tentei dançar nada muito elaborado. hahahaha. Dançar a dois tudo bem, mas eu aqui ele lá, nada de dançar coladinho como forró ou valsa.

No mais, é chaqualhar o corpo conforme a música. Por esse lado danceterias são boas, a gente só balança o corpo de leve e o ritmo fica por conta do jogo de luzes, hahahaha

gisele on 7 de fevereiro de 2010 18:05 disse...

Eu também não sei dançar e , quando preciso mostrar este meu "talento", fico balançando o bumbum no ritmo da música. Dá até para enganar.

Steve's on 27 de fevereiro de 2010 20:35 disse...

Olha, uma boa dica para você Ana e para quem mais sofre do mesmo problema de não conseguir dançar, é tentar tocar algum instrumento. Violão, Teclado, Piano, Violino, etc. Sou tecladista, não entendo muito de dança mas isto me faz entender muito bem a questão do ritmo, e com certeza se eu tentasse dançar alguma coisa facilitaria. A grande maioria das músicas é 1-2-3-4, outras 1-2-3, você só precisa sentir, perceber isto, e fazer algo relacionado a música é um grande passo. Pode ajudar - E MUITO - quem for dançar. Fica aí a minha dica.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino