sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Mãe é Deus, ou quase.

A MOTHER'S JOURNEY

fotos premiadas, que mostram porque só mãe consegue segurar certas barras.
link oficial:
http://www.sacbee.com/static/newsroom/swf/april07/mother/


E algumas fotos abaixo:












Seguinte, eu não sei que tipo de sentimento é esse, esse amor incondicional, de estar ali, a criança morrendo e você ali segurando todas as pontas, fazendo a criança brincar um pouco, dar umas risadas. Não sei o que é passar uma noite em claro porque tem um nenê doente em casa. Mas tenho três sobrinhos e senti um pouco da felicidade que é ter bracinhos pequenos apontando pra você, "me dá um abraço!". Só uma mãe sabe como manter o filho feliz sabendo que ele vai morrer logo mais e aceitar isso. Acho que a Zin faria deste post algo melhor, já que tudo que consegui fazer após ver estas fotos foi chorar.


Os pais que me desculpem, mas a maioria dos pais ia tremer numa sitação destas. Mãe é mãe. Eu sou contra a canonização da maternidade, mas confesso que, nessas horas, acho que, quando uma mulher vira mãe, ela se torna superior ao resto da espécie humana.
=)

Continue Lendo...
Postado por Heleninha às 00:01 5 comentários

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

DESFAZENDO NÓS



Há muito tempo eu penteava o cabelo e havia um grande nó numa das maiores mechas. Eu ignorava o nó e penteava o resto do cabelo. Sabia que o nó ficaria lá. Por vezes pensei em usar a tesoura, mas prejudicaria o corte do cabelo. Preferi carregar o nó, disfarçando-o entre outras madeixas. Algumas vezes, eu tentei com pente e condicionador tirá-lo de lá, mas não deu. Ele ficou, mesmo que o espelho não me revelasse o embaraço, pois ele estava bem atrás, disfarçado. E eu sentia falta de deslizar os dedos entre os cabelos... Mas evitava me lembrar desse pequeno prazer.

Foi quando ele disse: "Posso?", olhando para o meu cabelo com atenção. Fiz sinal em afirmativo, ruborizada com sua presença, uma tênue lembrança. Ele pousou suas mãos no nó, no embaraço, na confusão. E ao balançar a cabeça outra vez, ela parecia pluma. Eu o agradeci, ele sorriu e me contou, feliz, como era fácil desmanchar certos nós.

Sei que há nós que nunca serão desfeitos, mágoas e perdões que estão resolvidos, mesmo que a resolução deles sejam o fim ou a ruína. Porém este nó, o meu nó, aquele que estava taxativamente no meu cabelo pôde facilmente ser dissolvido.

E hoje, agora, eu posso dizer francamente que não há mais ressentimentos. O passado já não precisa de cortes quando penso nele e me orgulho de ter partilhado a mesa com alguém tão honesto e virtuoso. E, claro, também me condeno por ter gastado tanto tempo cuspindo enxofre. Mas afinal eu precisei de um escudo para aceitá-lo longe, feliz com outro alguém. E posso escrever que me arrependi ou que talvez eu tenha errado. Mas não escreverei isso. O que quero escrever é: Obrigada por estar aqui de novo. Obrigada por tornar minha cabeça pluma.

Continue Lendo...
Postado por Sarita às 00:04 18 comentários

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Top 10 brinquedinhos sexuais bizarros - II

1) Compre já seu novo Hímem

Pára tudo que isso é um hímem artificial. Pra quem tem fetiche por virgindade...ou para fins menos nobres, como fingir virgindade.

Com esse brinquedinho, a vida Jade teria sido diferente, gente. Ishála

Então, pra quem tá passando por um problema parecido com o da Jade, fica a dica. Compre aqui seu Hímem artificial por módicos USD 29,90.


2) Bonecas


Mas que boneca inflável o quê! Por U$ 6.500 os japoneses podem comprar essas bonecas super realistas e que ainda pode ser customizadas a gosto do freguês. As bonecas são feitas de silicone e são a prova d'água! Mas não é só isso, elas não se importam se o parceiro dormir após a relação.


3) Consolo presidencial

Com o slogan "You love your Presidente, let him love you back" os consolos inspirados no atual presidente dos Estados Unidos devem fazer um grande sucesso, afinal, é uma oportunidade única de f*der com o presidente.
Os consolos podem ser adquiridos nessa loja virtual, por módicos U$ 34,95.


4)What?


Esse é um saco de "enclausuramento e mumificação". Juro que não entendi o objetivo disso, então pra mim, só uma palavra explica: Fetiche.
Segundo o site que o vende, esse saco de mumificação é totalmente confortável, ajustável, e pode-se passar uma noite inteira dormindo nele.
Esse brinquedo pode ser adquirido em várias estampas diferentes, por U$152,95 AQUI.


5) Vibrador ecológico

Esse fofo (?) vibrador é ecologicamente correto. Não usa pilhas, é alimentado através de energia solar. Então, fica o recado pra todos os "ecochatos": Agora há um bom motivo pra se vocês literalmente irem"se f*der".


6)Apintos

Com esses "apintos" você pode mostrar pro seu namorado quem é que comanda a partida. (huahauahauha). Bizarro, não tem outra palavra.


7) Hell o' Kitty!
Diz a lenda que a Sunrio começou a vender esse brinquedinho como sendo um massageador para os ombros, porém, em um curto período de tempo algumas pessoas resolveram usá-lo para massagear anh... áreas abaixo dos ambros. Daí por diante o mesmo apareceu em alguns vídeos pornos e logo começou a ser vendido em sex shops. É Sunrio, esse tiro saiu por baixo.....literalmente.


8) Travesseiro-colo



Claro, mais uma dos tarados da terra do sol nascente. Confortáveis (?) travesseiros que simulam o colo de uma mulher.


9) Menino de ouro

Um dos vibradores mais caros do mundo, feito em ouro 18k. Fabricado na Suíça, ele "só" custa U$15.000.

Pense bem antes de mandar alguém enfiar todo seu dinheiro no c*, agora isso já é possível.


10) Comidinha rápida

Lembram do Cup Noodle, aquele macarrão instantâneo pra satisfazer sua fome rapidamente?
Os tarados da terra do sol nascente criaram o Cup Nude, objetivo é semelhante ao do macarrão, mas é pra satisfazer OUTRO tipo de apetite.



Leia também:

Sugestões, elogios, reclamações, como estou dirigindo? bel@corporativismofeminino.com

Me segue no tuíte: www.twitter.com/bbel

Continue Lendo...
Postado por B. às 00:01 15 comentários

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Adolescência e maturidade

Meninas na adolescência se acham. FATO.

Há exceções, claro, sempre há. Mas a maioria se acha. A adolescência é o momento em que você descobre seus poderes. Há caras e caras na fila, todos mendigando uma bitoquinha sua. É o máximo, não é? É como ir em uma sorveteria e ter cem opções de sabores à sua escolha. Tá difícil escolher? Vamos no uni-du-ni-tê! Ainda assim quer mais? Claro, pra que se prender a um só se você pode ter todos?

Falo com propriedade, já tive 15 anos. Eu era escrota (com o perdão da palavra), me achava tanto, que cheguei a fazer um caderninho com o nome de todos os caras que eu já tinha dado um fora. Porque o orgulho era rejeitar, humilhar o cara. Coisa mais besta, eu sei.

Namorar caras da sua idade? Nem pensar, eles são muito pirralhos. Ficar com caras tão novinhos pra quê, se você tem um universitário lindo aos seus pés? Parece uma troca justa, você sai com um cara mais velho e faz suas amigas babarem e ele tem uma ninfetinha gostosa ao lado (e faz os amigos babarem também).
A desvantagem de namorar um cara muito mais velho, é que você pode queimar etapas essenciais na sua vida. É nessas horas que sua mãe se descabela. E com razão. Você mal aprendeu a beijar e já tem um gavião tentando te comer?

Outra coisa que sobe à cabeça de uma menina que acabou de entrar na adolescência é o seu corpo. Ontem você era mais reta que uma tábua de passar roupa, hoje está cheia de curvas, toda gostosa e com um monte de gente te admirando. Difícil é não se deslumbrar com esse mundo novo diante de você.
Sua mãe, que já é macaca velha, te alerta para o fato de que o Reinaldinho (nosso cafajeste mor de todos os exemplos citados no blog) quer saber mais do seu corpo do que do seu intelecto, mas você nem liga, afinal, deve ser inveja dela, que não tem o seu corpo sarado (ahhhh, a aborrecência!)

Quanto tempo essa fase dura? Não sei, varia muito de pessoa pra pessoa. Pra mim durou dos 15 aos 18 anos, pra outras, dura bem mais. Conheço mulher de mais de 30 anos que ainda vive como se estivesse na adolescência.

Cada fase em que ser aproveitada, afinal, é um momento único. Falar que meninas na adolescência se acham é um fato constatado, mas isso não é necessariamente ruim, nem tem porque ser mudado. O único problema é quando as meninas crescem e acham que viverão em uma eterna adolescência, aí sim, é motivo para preocupação.


Para me falar da aborrecente que você foi (ou é) é só escrever para analia@corporativismofeminino.com

Follow me: http://twitter.com/analiamaia
Continue Lendo...
Postado por Anália às 00:01 22 comentários

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Ai, meu pé!

Aconteceu semana passada. Quem me segue no twitter acompanhou o drama.

Era uma segunda-feira linda e bela e resolvi ir trabalhar mais ajeitadinha. Coloquei um vestido branco e vermelho bonitão e o sapato mais lindo e caro que eu tenho (R$ 150. Não sou /nem tenho como gastar muito). Ele é de couro, é vermelho e tem um salto do tamanho perfeito. Parece sapatinho de boneca, é do jeito que eu gosto.
Já tinha usado-o umas quatro vezes. Na primeira, o sapato esfolou meu pé, mas acreditei que seria só aquela vez. De fato: nas próximas, foi tudo lindo. Inclusive na vez em que não usei nem band aid, nem meia fininha. Só depois me toquei que naquele dia, eu não andei praticamente nada. Aí, na infeliz segunda-feira passada, resolvi usá-la e descartei acessórios de proteção. Ai.

Nessas horas, só penso no meu mundo ideal, onde as pessoas não se importarão com roupas e o chão será tão limpo que poderemos andar sempre descalços.

Mas então. Sempre que acontece algo com o meu pé - bolhas surgem sempre, mesmo com tênis bom - lembro de uma cena de "Cidade de Deus", quando os bandidos perguntam ao menino se ele prefere levar um tiro no pé ou na mão. Trágico, eu sei.

Como escrevo desde sempre, me incomoda bastante a idéia de ter uma mão inutilizada. Mas ainda teria a outra. Agora, se eu não tiver um pé, fodeu, porque tudo que eu faço é a pé, e ficar perneta nem rola. 23 anos, sem carta e nem pretensão de dirigir. Prazer.

Mas...

Moro perto do trabalho e venho andando, é coisa de 15 minutos. Tudo reto e tranquilo.
Lá pelo 6º minuto de caminhada, começou a pegar. Senti que ia dar merda. No 8ª minuto, já amaldiçoava a escolha de ter vindo de vestido e sandália - a calça jeans e a bota véia de guerra tavam bem ali, mas, não, eu tenho que inventar de vir meio social.
Lá pelo 10º minuto, as bolhas já apareciam. Mas eu não ia arregar, já tava mais perto do trabalho do que de casa. Cheguei com lágrimas nos olhos e fiquei descalça assim que sentei na minha cadeira. Olhei meu pé. Pensei em tirar foto, mas não quis estragar o almoço de ninguém. Bolhas enormes. Duas ou três por calcanhar. E uma vermelhidão latente.

O banheiro fica a quatro passos da minha mesa, mas ter que dar 2 passos com cada pé, com o sapato esfolando tudo, era um sofrimento sem fim.

As meninas (porque só tem mulher aqui no trabalho :P) sentiram pena de mim. A minha vizinha fofa me emprestou a sapatilha de pano dela. Quase tive um orgasmo de alívio ao trocar o meu pelo dela. Agradavelmente instalados, meus pés me levaram até uma lojinha do outro lado da rua, onde vendem sandálias lindas e caras (onde comprei o sapato que me fudeu, aliás.). Tentei uns sapatinhos baixinhos, a la mocassim, mas não conseguia nem colocar. Os calcanhares impediam qualquer coisa. Foi aí botei o olho nelas.

PAPETES.

Nunca tive, fingia que não gostava (coisas muito práticas TEM que ter alguma coisa de errado. O mesmo se aplica aos crocs. Estes, aliás, odeio mesmo). Mas a verdade é que sempre quis ter um par de papetes. Porque conforto: a gente vê por aqui.
Nem pensei duas vezes.
R$ 70 reais. Esse é o preço de algumas bolhas, gente.

Mas daí eu fiquei feliz. O mundo ficou mais bonito e calmo, porque meus pés estavam praticamente nus e absurdamente confortáveis. Meus sapatos de couro vermelho jaziam na minha bolsa.

Nota: era uma segunda-feira, e eu tinha prometido a mim mesma que começaria a fazer esteira. Desnecessário dizer que nem rolou, né?

O pior de tudo era saber que eu já tinha passado por isso antes, e que ainda passaria por isso muitas vezes na vida. Porque eu sou mulher, gosto de usar umas coisas mais legais às vezes e não aprendo nunca.

Só quem viveu sabe.

---

Você, que é mulher e é obrigada a ir trabalhar de salto alto fino. Você, que é mulher e anda com band aids a tira-colo, por usar sapatos desconfortáveis. Você, mulher que compra um sapato lindo e caro, mas que machuca. E ainda assim insiste em usar.
Você entende a minha dor.

Una-se a mim e me conte como dói usar calçados bonitos.

Ou você taca um foda-se gostoso e vai trabalhar de papete? De crocs? De HAVAIANAS?

Conta, conta!

anamyself@corporativismofeminino.com

Continue Lendo...
Postado por Anamyself às 00:01 37 comentários

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

CF recomenda: Os 7 Hábitos das Crianças Felizes

Maria Luíza achando que o livro é dela

Como alguns sabem, tenho uma irmãzinha de 2 anos (já falei dela AQUI). Esse foi o motivo que mais me empolgou a ler "Os 7 Hábitos das Crianças Felizes", de Sean Covey, lançado no Brasil pela Editora Nova Fronteira. Imagina... um livro que nos faz entender as crianças melhor e ainda nos ensina a lidar com suas dúvidas e ânsias?

Além de histórias com uma pequena lição de moral, o livro traz ilustrações fofíssimas, feitas sob medida para os pequeninos, que com certeza adorarão deitar com você durante uma tarde preguiçosa para deleitar-se com cada página.


Fofura: Malu toda apaixonada pelo livro

- Conhecendo os 7 Hábitos -
Os 7 Hábitos são baseados em sólidos príncipios como responsabilidade, observação, respeito, trabalho em equipe e equilíbrio, que nos guiam pelo sinuoso caminho de educar nossos pequenos e fazê-los felizes e responsáveis. Eles aprenderão a pensar positivo e até entenderão que às vezes, é necessário economizar alguns centavos para ter um brinquedo novo ou coisa parecida.

A maior lição que pude tirar de "Os 7 Hábitos das Crianças Felizes"? É necessário procurar entender os motivos que guiam as crianças. Por exemplo, se seu filho quer um cachorrinho, é importante conhecer porquê ele o quer. Será que ele está se sentindo sozinho? Em que o cachorrinho o faria mais feliz? Conhecendo as necessidades de seu filho, fica mais fácil atendê-las e entendê-las.

Meus agradecimentos a Raquel, da Agência Frog, que me enviou esse livro lindo!

Para conhecer melhor "Os 7 Hábitos das Crianças Felizes", clique AQUI e acesse o site.

Para me contar sobre seu filho ou me enviar livros legais: analia@corporativismofeminino.com
Twitter: http://twitter.com/analiamaia

Continue Lendo...
Postado por Anália às 10:01 6 comentários

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Você é substituível! *


Havia alguém que era imprescindível no seu dia-a-dia e que compartilhou com você algumas refeições por algum tempo. Houve alguém que você chamava de "amor" e julgou impossível nomear outra pessoa com o mesmo título, mas nomeou. E quando acreditou que não podia amar, amou ainda mais ou, talvez, menos. Sentimentos não se medem em réguas e não se pesam em balanças afinal.

Augusto Cury erroneamente escreveu um livro chamado "Você é insubstituível", talvez para reanimar a alma dos rejeitados, talvez para fazer o seu papel de escritor de auto-ajuda. Não importa, foi um tiro no escuro e caso tenha acertado alguém com sua bala perdida foi sua baixa auto-estima.

As pessoas são substituídas rapidamente. Ontem o “você” da redação era aquele loiro, agora um moreno, amanhã um mexicano. Só Deus sabe. O amor muda de cor, mas as fúrias são as mesmas. Os lamentos, iguais. A agonia, a dúvida, o ciúme, o mesmo ritmo.

E eu que julguei ser especial, a mulher exclusiva, agora o vejo sentar-se à mesa com a minha substituta. E ele diz como a ama e como quer que seus filhos tenham os seus olhos azuis. E nos meus lençóis agora outro protótipo, um que diz que me ama sem que eu peça para ouvir. E é tudo novo, as sensações e os nossos ânimos.

Eu troco. Tu me trocas. Estamos por aí amando amanhã e depois como se fosse a primeira vez. Estamos por aí arranjando substitutos, rasgando contratos e acenando para o "para sempre".




* Substituível aqui é empregado estritamente no relacionamento amoroso.
Continue Lendo...
Postado por Sarita às 00:04 19 comentários

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Porque continuo odiando dentista

Minhas gengivas não são minhas amigas, fato. Inflamadas e doendo, estão pedindo uma raspagem, que já marquei. No meio do caminho fiz a tal radiografia panorâmica, não sei se vocês lembram, que era pra ver se eu não tinha mais nenhuma cárie:
_ Olá Heleninha, tenho duas notícias pra você, uma boa e uma ruim, qual você prefere ouvir primeiro?
Suspirei, já triste.
_ A boa.
_ A boa, é que você não tem nenhuma cárie, e está tudo bem com seus dentes com relação à isso.
_ E a má?
_ A má é que achamos os seus dentes do siso (ciso? siso? preguiça de procurar no google, alguém responde aí nos comentários, por favor). E são quatro, e um deles está torto, enconstando em outro dente.
Eu, que sempre me orgulhei de nunca ter esses dentes, quase caio da giroflex, aflita.
_ O queeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!!????????? HUAHUAUHAHU MAS É MENTIRA, tá cadê a câmera?
Ele só me mostra os raio-x no quadro de luz:
_Veja só, estão ali, os quatro. Claro, não precisa tirar agora, mas esse que está meio torto era bom tirar.
Lembrei de uma cirurgia que fiz na boca em 2004, e tive que serrar osso, levar anestesia no céu da boca, 4 pontos, uma merda total. E osso DÓI, tomava remédio toda hora pra não sentir meu osso serrado latejando. E claro, anestesia em mim não pega, no meio da cirurgia eu:
_Fárra tud dáh tuendo. FÁRRA FÁRRA.
E lágrimas de dor.
Uma anestesia que era pra durar mais de três horas não durou nem uma hora e meia. Obrigada, metabolismo.
Espero que os dentistas vejam essa postagem de novo, e me tranquilizem, porque, sério, estou MORRENDO DE MEDO de tirar os sisos (cisos). Choro só de pensar.
Feliz ano novo hehe (eu sei que hoje é dia 15, mas ok)
Heleninha

Continue Lendo...
Postado por Heleninha às 00:01 21 comentários

domingo, 10 de janeiro de 2010

Ah, o dinheiro

E aí, leitoras e corporativetes! Antes de mais nada, feliz ano novo!
Quem usou calcinha amarela na virada para garantir um bom dinheiro esse ano levanta a mão o/

Ah, o dinheiro faz milagres. Não traz felicidade, a gente sabe bem. Mas que ajuda, ajuda. O dinheiro compra cremes para a pele, perfumes caros, roupas de marca, maquiagens finas. Compra maquiadores das estrelas e cabeleireiros de ponta.

Não sou lá a pessoa mais vaidosa do mundo. Não tenho muito dinheiro para gastar com essas coisas, infelizmente. Além disso, gosto de praticidade e não tenho paciência de ficar 3h em frente ao espelho me maquiando. Passo um corretivo nas muitas falhas no meu rosto, um lápis, um rímel e acabou. O cabelo? Passo um creme para pentear e largo. Se ficar ruim, uma trança salva.
O que é uma pena, porque a diferença que uma boa maquiagem e um bom penteado fazem é estrondosa.

Essas imagens são mais algumas daquela leva "up na auto-estima", que mostra famosas "ao natural" e "produzidas" (ou rebocadas, como dizia o título do e-mail que continha essas fotos). Se vocês já viram, desculpem aí a velharia. Mas eu nunca tinha visto essas, e achei TÃO NATURAIS que valia a pena dividir com você, que se acha um lixo do lado de uma Penélope Cruz.

Às vezes a gente se esquece que os famosos estão cobertos por quilos e quilos de maquiagem de ponta. Tira tudo e eles são apenas mais alguém na multidão. Óbvio que existem celebridades lindas mesmo ao natural, mas não são todos.

Agora chega de conversa e bora rir:


Alguém notaria a Hillary Duff sem tinta no cabelo e sem maquiagem?

Olha o nariz natural da condenada! E com maquiagem parece uma princesa.

Essa aí nem a maquiagem resolveu muito. Mas rejuvenesceu uns bons 20 anos.

Essa aí nem dá pra acreditar que se trata da mesma pessoa. A "natural" parece que está voltando de uma rave, de ressaca e com caxumba.

Ah, o que um bom bronzeado e uma maquiagem profissa não fazem!


MeO deOs! Tão... COMUM!

E eu que achava a Halle Berry diva? Não que seja feia, mas... Tenho amigas bem mais bonitas que ela em seu estado puro.

Sei que muitos acharão Cameron bonita mesmo sem makeup, mas eu nem acho. Não seria notada na rua.


Me vê um cheeseburguer com fritas, tia? Ops, Penélope Cruz?


Ah, como eu queria aprender a dar destaque aos meus olhos... Deu certo para a Eva.


Mó cara de professora de escola pública, a Beyoncé dos pobres.


Katherine? Te apresento a escova de cabelo.


MEU DEEEEEEEEEEUS! Quero esse maquiador pra mim!


Convenhamos: a J-Lo é a menor pior. Mas essa cara de que acabou de acordar tá sinistra.

---

Achou que meu veneno foi além da conta? Acha que eu fui injusta?
Xinga aê:
@anamyself ou anamyself@corporativismofeminino.com.br

---

Que em 2010 todas estejamos em eterno superávit financeiro e sejamos brindadas com sessões grátis de maquiagem e penteados nos nossos salões de beleza preferidos!

(Desejo bem fútil, não? É que todo mundo já te desejou saúde, paz e amor =).)

Bacio! =***

Continue Lendo...
Postado por Anamyself às 23:11 21 comentários

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Mais um ano começou ou O Ano começou?

Cuidado com o que você deseja...


Não faço promessas, não escrevo metas. E embora eu tenha enfiado 7 lentilhas goela abaixo na hora do CHAMPAGNE, não tive coragem de fazer pedidos. Sei que parece deprimente e beira o pessimismo, mas eu prefiro não desejar coisas. Há muito suor para transpirar em janeiro, mês de inferno astral para os aquarianos, e eu não tenho o despautério de esperar as coisas cairem no meu colo só porquê eu comi 7 lentilhas.

Então eu sigo, embora o meu xampu para CABELOS DANIFICADOS não ajude muito. Quer dizer, as pessoas que compram o xampu para CABELOS LISOS devem ser cheias de auto-estima. Na próxima vida quero usar um xampu para CABELOS MARAVILHOSOS, SEDOSOS E BRILHOSOS. Mas não é o caso, meu cabelo é seco, minha pele é oleosa e eu não posso me esbaldar na sobremesa. Então a gente segue, a trancos em barrancos. E não importa que seja janeiro ou outubro, sempre podemos achar que agora, sim, a vida vai dar certo! (Percebeu como eu consigo ser otimista?)

Comece a dieta agora ou deixe para começá-la em junho quando estiver com mais 10kgs. Organize o seu quarto e jogue as coisas supérfluas que só trazem poeira. Livre-se do que te deixa insegura, isso inclui "amigos". Evite contar seus planos, até mesmo pros amigos. Existe algo INEXPLICÁVEL que faz as coisas desandarem quando contamos um anseio, mesmo para as pessoas bem intencionadas. Tome aquele sorvete de sabor exótico só para experimentar, demoradamente. Sorria para as pessoas. E dance pelada no quarto com sua música favorita, mesmo que ela seja lenta. Diga para alguém como ela é especial e bonita.

Passei muitos dias em guarda, na porta principal, de salto 10, esperando pelo Príncipe Encantado. Pensei "Varizes a troco de nada". Mas hoje, com as pernas mais fortes, eu penso "Vou sair mais para que o meu Príncipe Encantado tenha a oportunidade de me encontrar!". Sabe? A vida não precisa ser tão séria e não precisa ser tão pré-estabelecida. Desejar pode fazer com que o ser humano se mova e lute. Mas se você DESEJA e acorda ao meio-dia não culpe as lentilhas pela sua falta de sorte!

Feliz 2010 a todas nós, mulheres de coragem! ;)


* Estou em transição. Qdo voltar respondo a todos! ;*

Continue Lendo...
Postado por Sarita às 00:07 9 comentários

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

De todas as que tive, você foi a que mais amei

Eu não sei como funciona com as pessoas que estão satisfeitas com o corpo, mas pra mim é muito complicado comprar roupas. MUITO.

É sempre assim, conto mais de 20 calças jeans no meu guarda-roupa, me pergunte quantas eu uso? Duas ou três, mas assim, INCESSANTEMENTE.

Isso porque a calça perfeita não pode estreitar o quadril, não pode afinar as coxas, não pode amassar a bunda.

A Calça perfeita não espreme seu culote pra cima, a calça perfeita definitivamente NÃO vira um saco depois de duas horas que você está a usando.

Minha atual calça perfeita tem mais de três anos de uso incessante. Ela já foi pro Paraná, pra Santa Catarina, pra Minas Gerais. Ela já dançou tango e visitou o túmulo de Evita Perón na Argentina. Ela é perfeita internacionalmente, gente.

Eu e ela, ela e eu.

Vocês tem noção de como é difícil encontrar uma calça perfeita, minhazamiga?

Minha calça perfeita veio da C&A, foi a primeira skinny que usei, antes disso eu tinha aversão a skinny. Mas quando vesti a calça perfeita, foi amor a primeira vista.

Minha calça perfeita está totalmente surrada, já tive que mandar trocar o zíper, “singir” lugares em que ela estava quase se rasgando, mas ainda assim continua ela, a minha melhor amiga , a soberana CALÇA PERFEITA!

Venho procurando outras calças perfeitas desde então, entro na C&A pelo menos uma vez por mês me perguntando quando raios chegará o dia em que vão voltar a utilizar o molde perfeito pra fabricar novas calças perfeitas. Mas nada, NADA. Ela é única, como só uma calça perfeita pode ser.

Já tive outras calças perfeitas e pelo menos duas delas ainda estão aqui, guardadas e descansando em paz, por estarem muito velhas carcomidas. Parece uma maldição ou sei lá o quê, mas é como se fosse um pecado ou um caso de bigamia possuir duas calças perfeitas. E nesse interin, compro várias calças imperfeitas que quase nunca uso, experimento milhões de calças nos shoppings da vida, mas só encontro outra calça perfeita quando a atual dona do trono está nos seus últimos suspiros.

E como já passou da hora da atual deixar a realeaza, venho aqui prestar minhas últimas homenagens.
De todas as que tive, você foi a que mais amei.


Continue Lendo...
Postado por B. às 00:01 19 comentários

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Ele não está a fim de você

Me pergunto porque algumas mulheres se rebaixam tanto por um cara. Ele não está nem aí para você? Vai ser feliz, garota! Sair com as amigas, tomar um sorvete, assistir um filme... Mas não, você insiste em pensar no dito-cujo e faz uma promessa a si mesma: ele vai ser seu.

Não importa se ele não pensa em você, se ele quer só te dar uns beijos e cair fora, mas você insiste na idéia: ele TEM que ser seu, TEM que desfilar com você de mãos dadas por aí e te ajudar a fazer inveja na Denise, aquela menina sem sal que não tira os olhos dele.

Qual o sentido de ficar com alguém que não quer ficar acorrentado a você por livre e espontânea vontade? Qual o sentido em telefonemas bêbados durante a madrugada ou saber da vida dele através dos amigos? Eu pelo menos não tenho vocação para ser que nem o Fagner em Deslizes (“É pelos outros que eu sei quem você é...” Letra na íntegra aqui)

Você pensa e fala nele 24h por dia? Já pensou que seus amigos podem estar de saco cheio de tanto você falar no Reinaldinho? Mulher tende mesmo a ficar monotemática quando está apaixonada. É um tal de contar como foi na última vez que o encontrou, de perguntar se o fato de ele estar com uma camisa cor-de-burro-quando-foge significa que ele está apaixonado por você... Não se chateie com seus amigos por eles estarem fartos de tanto você falar em Reinaldinho, REINALDINHO, R-e-i-n-a-l-d-i-n-h-o! Assim como você, é óbvio que eles também têm alegrias e problemas para compartilhar, e sim, precisarão da sua força.

Eu sei, você deve estar pensando que sou uma anta sem coração e que só falo assim porque não estou apaixonada por alguém que não me quer. Talvez, talvez. Amar e ser correspondida é tão bom, a gente começa a se questionar mesmo qual o sentido de gostar de alguém que nem tchum pra você.

A receita para esquecer o Reinaldinho? Não sei. Mas um pouco de racionalidade ajuda. Basta pensar que enquanto você sofre e implora por migalhas, ele provavelmente está pensando em outra, saindo com outra, sendo feliz com outra. Pra que continuar com essa paixãozinha que não vai te levar a lugar algum, afinal?

Para discordar de mim e dizer que amar e não ser correspondida tem lá suas vantagens ou para dizer que concorda com tudo que escrevi e assina embaixo: analia@corporativismofeminino.com

Follow me: http://twitter.com/analiamaia
Para seguir também o twitter das Corporativetes: http://twitter.com/corporativetes


Continue Lendo...
Postado por Anália às 19:53 21 comentários
 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino