quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Casamento: nem sempre sinônimo de felicidade eterna


Sempre critiquei quem casa com pouco tempo de namoro. Acredito que não dá para conhecer alguém da noite para o dia. Imagina, se vivemos discutindo com irmãos, que tiveram a mesma criação que a gente, imagina com uma pessoa que vem de outra família, outros hábitos...

Engraçado, né? Quando resolvemos nos casar, acreditamos que estamos fazendo isso porque conhecemos aquela pessoa tão bem, mas tão bem, que acreditamos saber tudo o que se passa na cabeça dela.
Mas não é assim que acontece sempre...
---
Tive uma tia-avó que foi casada por mais de 30 anos. O casamento dela com meu “tio-avô” era lindo, daqueles que a gente sente o carinho nos menores gestos, sabe? Eles estavam tão bem, que fizeram uma segunda lua-de-mel. Rodaram a Europa inteira e voltaram cheios de mini Torres Eiffel e fotos apaixonadas.

No mesmo ano, 1995, após o Natal, meu tio pediu a separação.
Eu só lembro de que, quando ia na casa da minha tia, ela ficava aos cochichos com minha mãe e chorava compulsivamente.

A história toda? Meu tio conheceu a amante logo após se casar com a minha tia. Com o tempo, montou uma casa para ela, criou o irmão dessa amante como filho e tudo. Quando ele resolveu separar da minha tia, esse rapaz que ele criou como filho, já estava terminando a faculdade.

O que mais dói, acho que não é nem ele ter deixado ela para ficar com a outra. Esses casos a gente vê aos quilos por aí. Mas ele ter esperado mais de 30 anos para fazer isso foi o requinte cruel da merda que ele fez. Se ela fosse nova, com 30 ou 40 anos, poderia ter reconstruído sua vida numa boa, poderia ter tido filhos (meu tio não podia ter filhos!), arrumado um novo amor, uma casa nova.... Mas não, o cara esperou uma vida para tomar a decisão. Covarde demais, né?
---

Será mesmo que muito tempo de namoro significa algo na maioria das vezes? Deve existir tanta gente ruim por aí e que sabe usar a máscara mui bem, capaz que passem mil anos e a gente nunca se dê conta.
Porém, se for pra investir em uma idéia, acredito que a base de um relacionamento é o conhecimento mútuo, coisa que a gente só adquire namorando muito, conversando muito e com muitos anos decorridos.

Sério, eu não entendo como funciona a paixão platônica. Todo mundo já se apaixonou platonicamente, mas ninguém é capaz de explicar como é capaz de amar alguém que só vê de relance. Como é que as pessoas podem afirmar que amam alguém que, na maioria das vezes, só conhecem de vista? Quem garante que ele não é lindo e burro ou tira catota do nariz e enfia na boca? Ou toma só um banho por dia ou mastiga com a boca aberta? Amor é convivência, não dá para amar quem não conhecemos.

Olha, apesar dos poréns, eu ainda defendo um namoro razoavelmente longo antes de optar por unir as escovas de dente. Se decidimos casar, que conheçamos as qualidades, os defeitos e claro, que não tentemos mudar quem amamos como conhecemos. E pés no chão, meninas. Casamento não é o último passo de vocês rumo à felicidade.


Para dizer que o príncipe virou um sapo, pedir simpatias para Santo Antônio ou dizer que casamento só na próxima encarnação: analia@corporativismofeminino.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Anália às 00:01

28 comentários:

Dama de Cinzas on 1 de outubro de 2009 07:40 disse...

Por isso que não estou querendo um terceiro casamento, dois já foi o suficiente pra saber o quanto eles são difíceis de manter... rs

Beijocas

Viviam on 1 de outubro de 2009 08:35 disse...

Concordo com tudo! Em gênero, número e grau!
Namoro há 3 anos e meio, um namoro com MUITA conversa e cartas na mesa. Conhecemos muito bem um ao outro, mas a cada semana/mês que passa conhecemos algo novo, algo a mais. E mesmo assim, iremos casar daqui uns anos ainda... uma por causa de ter uma vida estável financeiramente, e outra que acho que o mínimo pra casar deve ser 4 ou 5 anos de namoro. E nesse tempo, também conviver muito juntos!
Enfim...

Quanto a história do 'seu tio-avô', uma PUTA duma saanagem, hein? Ele praticamente acabou com a vida da sua tia. Deixou ela ter a ilusão de um casamento perfeito por uma vida (30 anos é mta coisa), e chegar a uma idade que não dá pra ter filhos como ela sonhou - já que ele nãso poderia. Meu, que merda isso...

Mas sei lá, algo foi errado nisso tudo. Ele foi um sacana e ela não percebeu... Sei lá.

É aquela, resumindo: confiar desconfiando sempre.

Beijos!

Vanessa disse...

Nem namorando muito tempo se tem garantia de conhecer a pessoa.
Namorei 8 anos antes de casar e com 2 anos de casamento ainda vejo que conheço muito menos do meu marido do que eu imaginava.
Levamos uma vida inteira para nos conhecermos, imagina então para conhecer outra pessoa..........

Deja disse...

Namorei 6 anos antes de casar, e não a conhecia... descobri que se ela falasse que algo é "amarelo", seria bom desconfiar.

Sobre amores à primeira vista, bem, acredito que paixão sim é possível, amor não...

E o ser humano é escroto, eu mesmo sou.

.Intense. on 1 de outubro de 2009 09:25 disse...

Assunto dificil...quase dois anos de terapia e, esse papo de traição ainda não me desce. Sério.

Casar, casar...já tive vontade. Depois do fim catastrófico de um namoro de 2anos e meio, fiquei meio pé no chão e meio pé atrás. A verdade é q a gnt nunca vai conhecer 100% outra pessoa, se não conhecemos nem mesmo a gente, mas qdo a gente vê alguém tão amado, fazer coisas tão tristes com a gente, e cai a ficha que a gente nunca imaginou...bate o medo do que a pessoa seria capaz de fazer depois de anos de convivência, depois de ter segurança sobre oq vc sente por ela...enfim. Assunto complexo.

Nem vou falar sobre seu tio e sua tia...meu primeiro pensamento não foi 'acabou com a vida dela'. Mas sim, como deve ter sido dificil ter a sensação que a vida toda foi vivida de mentiras. Dói. Até de pensar.

=/

Grazi on 1 de outubro de 2009 10:45 disse...

Eu sou contra namoros muito longos. Eu classifico muito longo, como mais de 5 anos.

Não interessa quanto tempo durar o namoro, vc nunca vai conhecer a outra pessoa completamente, sempre vai ter algo que vai te surpreender, para bem ou para mal.

Ficar esperando pra ver se o cara vai aprontar é deixar de viver uma história que pode ser bacana, mesmo que dure pouco.

Na minha opinião quem casa depois de 10 anos de namoro, perde a melhor fase do relacionamento, o encantamento inicial.
O casamento fica só com a parte ruim de tudo isso.
Namoro há 2 anos e pensamos em nos casar em breve, construir tudo juntos, acho que quando casamos já tendo tudo pronto (casa, carro, carreira profissional) a separação fica mais fácil, não há tanto envolvimento.

Quanto ao seu "tio-avô" nem vou comentar nada, tamanho asco que tenho disso tudo.

Thica on 1 de outubro de 2009 11:06 disse...

Concordo com vc que tem que conhecer bem o cara para casar. Mas contrariei isso e juntei os panos com meu namorido aos 3 meses de namoro e tem dado certo até hoje, mais de um ano. O negócio é aceitar os defeitos do outro e não ficar projetando nele uma pessoa que não é e nunca será. E ele faz o mesmo.

Deja disse...

Grazi... case-se comigo!

baixinha on 1 de outubro de 2009 12:24 disse...

concordo com você; não se conhece ninguem do dia pra noite. como não se ama. o amor vem com o tempo, quando vocÊ conhece a pessoa defeitos e qualidades, e não quer mudá-la.

edumariano on 1 de outubro de 2009 13:11 disse...

Receita pra um casamento feliz!

http://www.youtube.com/watch?v=F21oBPvyLrA

Bruxa on 1 de outubro de 2009 13:13 disse...

Concordo com você, e digo que o casamento não precisa de muito tempo de namoro, e sim muito tempo de amizade. Amigos sim dividem os sentimentos, amigos sim são sinceros, amigos sim a gente conhece bem. Não digo que nenhum namorado seja assim, mas, namorado de verdade, é aquele que é namorado e amigo.

Grazi on 1 de outubro de 2009 15:04 disse...

Deja, vc sabe que a distância que nos separa é muito grande.

Bruna disse...

Nem namorando muito tempo se tem garantia de conhecer a pessoa. [2]
Tá aí um assunto relativo demais.
Exemplo maior de que sempre vai existir as exceções eu tenho em casa. Meus pais namoraram por TRÊS MESES (!) e estão casados há 27 anos e com um carinho e uma amizade que eu nunca vi igual em outro casal e acho isso lindo. Independente do tempo de namoro, o que importa é "achar" a pessoa mais certa possível pra você. Só é dificil ter essa sorte. Tomara que seja de família :)

Lusinha on 1 de outubro de 2009 16:43 disse...

Ótimo texto!
Bjitos!

Cris Soleitão on 1 de outubro de 2009 17:29 disse...

"Não interessa quanto tempo durar o namoro, vc nunca vai conhecer a outra pessoa completamente, sempre vai ter algo que vai te surpreender, para bem ou para mal."

Concordo em gênero, nº e grau.
Indo mais além, eu acredito que só conhecemos uma pessoa de verdade quando acontece uma merda estrondosa [tipo seu "tio-avô". Mas pode ser algo não que a pessoa tenha aprontado, mas uma situação que dependa de uma decisão firme]. Aí ela mostra seu verdadeiro caráter... ou cai a máscara ou vemos que a pessoa realmente vale a pena!!!

Antes disso, não acredito em nada que alguém que acabei de conhecer me mostre em 'tempos de paz'. Em 'tempos de paz' é muito fácil fingir que está tudo bem e que se é a melhor pessoa do mundo!

Cinderela on 1 de outubro de 2009 17:45 disse...

Concordo com vc.
Não sei se foi sorte ou nao...mas minha vida com meu marido é total conto de fadas...namorei ele 7 anos antes de dizer SIM...somos casados a 1 ano mas nunca dormimos brigados e ao contrario dos casais somos francos com todas as atitudes que tomamos e posso magoar o outro..conversamos e nao apenas jogamos palavras soltas... argumento total é o que nos move e nos matem unido. Ja meu cunhado casou no primeiro ano de namoro e agora ta percebendo a cagada que fez pois as pessoas so se conhecem de verdade quando passam a conviver juntos.
bjokas

Paula on 1 de outubro de 2009 19:04 disse...

Eu passo, basicamente:
5% do meu tempo achando que homens são simplesmente desligados e não se tocam do que fazem;
10% pensando que, de fato, são burros e não sabem o que fazem;
15% achando que fazem de propósito (quase me convencendo disso);
20% acreditando que não só sabem o que fazem (vide item 3) e GOSTAM de fazer sabendo e saber as consequências do que fazem;
50% com raiva, frustrada e angustiada.

Agora, me diz, que vida é essa?
Como eu posso esperar, um dia, ser feliiiz? hahahahaha

Marcella on 1 de outubro de 2009 19:09 disse...

Nem com o tempo conhecemos realmente, eu digo 100%, alguém! O ser humano é capaz de nos surpreender sempre, seja pelo lado bom ou ruim.
Quanto a se casar rapidamente também ñ creio que seja a melhor escolha, eu namoro há quase 3 anos e estamos sobrevivendo bem agora depois da nossa primeira crise.
E outra, ñ me vejo casando e me separando em breve!rs Até pq o dia que sair da casa dos meus pais, eu ñ volto...pelo menos o que penso hj né?rs

Beijossss,CeLLa.

Dela disse...

Grazi... (U)

Cris Soleitão on 1 de outubro de 2009 19:47 disse...

Eu só peço uma coisa a quem casar e separar: NÃO taquem álbum e DVD pela janela, nem rasguem, amassem ou queimem... por favor!!! Por mais raiva que tiverem... Vocês não sabem O trabalho que dá editar e confeccionar tudo isso!

Anônimo disse...

Paixão platônica é fácil...vc gosta do invólucro, e recheia como quiser. Não importa como de fato é o outro. Por isso tb a decepção é maior qdo se passa a conhecer...
Casamento tem alguma semelhança...

Anônimo disse...

Paixão platônica é fácil...vc gosta do invólucro, e recheia como quiser. Não importa como de fato é o outro. Por isso tb a decepção é maior qdo se passa a conhecer...
Casamento tem alguma semelhança...

Crazy on 1 de outubro de 2009 22:11 disse...

Fiquei passada com essa história da sua tia! Que cara covarde!

Andréia Freire on 2 de outubro de 2009 17:20 disse...

Eu também nunca entendi essa história de "amor platônico". Só se ama conhecendo a pessoa. Isso é no máximo uma forte e irresistível atração física.

Ana Clara Lima on 6 de outubro de 2009 00:45 disse...

Mais importante que conhecer a pessoa é ter a certeza que a pessoa lhe faz bem.

Anônimo disse...

Meninas, minha participação na promo foi postada, mas ñ tá certo, acho q enviei o e-mail errado!!!!então enviei outro corretamente, será q dá p/ vcs concertarem?plisss!!!!!!

Claudia Letícia on 8 de outubro de 2009 07:54 disse...

O triste porém é que muitas pessoas parecem mudar de carater depois que se casam.
Só mostram quem são depois do casamento

Anônimo disse...

Amor platônico é apaixonar-se por uma idealização, uma imagem construída na cabeça referente a alguém. Existe sim amor platônico, e dá para amar alguém sem conhecer, o único problema é que você ama o que você construiu sobre a pessoa que não se relaciona, não o que ela realmente pode ser.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino