terça-feira, 11 de agosto de 2009

Sex shop - a única loja que intimida mulheres

Ao contrário da trajetória normal de muitas meninas, meu trabalho me levou à uma sex shop antes da curiosidade. E foi lá, ouvindo a dona me contar tudo sobre o mais recente plug-in anal a chegar ao estoque, que percebi minha total ignorância sobre apetrechos sexuais. A extensa parede que servia de mostruário de consolos me levava ao silêncio, como em uma estranha reverência a aquele totem peniano. Silêncio, em sinal de respeito ao desconhecido. A loja me intimidava, mas depois da terceira visita e de alguns textos sobre as novidades do mercado, eu me senti habitué.

Mas que diabo de habitué é essa que nunca comprou sequer um chocolatinho em forma de pênis? Não sei o que me acontece, mas toda vez que entro em uma sex shop me sinto tão clichê que saio de mãos abanando. Fugir do óbvio me parece tão difícil. Me dê um par de algemas de pelúcia, uma venda combinando e meia dúzia de géis para esquentar/esfriar, de preferência, comestíveis. Clichêzaço, mas é só o que me visualizo usando. Meu lema é me amarre, me vende e me faça mulher, ora bolas.

Acredito que, na verdade, as pessoas não saibam muito bem utilizar esse centro recreativo. Eu ainda não sei. Pelo menos, não da forma correta. Eu separo a sex shop e seu conteúdo em quatro partes: "mulher solteira procura", "casal tímido apimenta relação", "oi, não sei o que estou fazendo aqui" e "me chama de cachorro(a) que eu faço au au". Parece maluquice, mas é como se existisse um laser invisível que pudesse segmentar a loja e seus clientes.

A "mulher solteira procura" é um tipo invejável. Tirando a parte do solteira, eu gostaria de ser assim (não por horror à solteirice, mas por estar muito bem acompanhada). Ela é a mulher que sabe o que quer para seu prazer, seja individual ou coletivo. Sem mimimi, elas entram na loja procurando o vibrador com a melhor potência, o mais silencioso, o mais rápido, o prazer prolongado, o discreto, o trambolhão pra brincar em casa, o portátil para viagens... Cinta-liga? Só se for para completar a fantasia de melindrosa no Carnaval, a "mulher solteira procura" quer prazer e ponto.

O "casal tímido apimenta relação" é um clássico. Quando juntos são fofíssimos, olhando tudo e não levando mais que um dadinho de posições. Eles bisbilhotam toda a loja suando nas mãos entrelaçadas, enquanto as meninas ruborizam com os consolos gigantes. Já vi esse tipo de casal em ação, é cute, mas triste porque ela vai continuar fingindo orgasmos e ele procurando pornografia hardcore na internet. So sad.

O tipo "oi, não sei o que estou fazendo aqui" é unissex e costuma chegar em grupos. Causam o momento vergonha alheia nos donos de sex shops, já que parecem a equipe do CQC, arrasando nas piadas de duplo sentido (sarcasmo detected). Daí descambam para simulação de sexo anal com pênis de 25cm. Quando menos se espera, homens se enroscam em boás e dançam o cancan para meninas que caem na gargalhada com vaginas artificiais de espuma. Após 2 horas de gracinhas vergonhosas, o "oi, não sei o que estou fazendo aqui" vai embora com uma caneca em forma de seio no bolso. Provavelmente, o único seio que ele irá encostar até amadurecer.

Já o cliente "me chama de cachorro(a) que eu faço au au" é peça rara. Essa nomenclatura não é debochada ou busca menosprezar a classe. Esses são os tipos kinky. Kinky para os meus padrões, afinal isso não é uma lista, é minha classificação fictícia, hã. Eles curtem prendedor de mamilos, plug-ins, joguinhos, vídeos e um monte de etceteras. "Aaaah, Patsy, você está se referindo aos adeptos de SM/Bondage?" Não, nada disso. O "me chama de cachorro(a) que eu faço au au" é só BEM RESOLVIDO. Acho que experimetarei anal. Opa, não gostei? Acontece, esfrega um gelzinho aqui e tudo bem. Brincadeiras sexuais topo, mas agora não, por favor coloca o strap-on e manda ver na penatração dupla. Acho muito legal conhecer seu corpo e seus limites, e isso é exatamente o que estas pessoas fazem. Invejável, não?

A despeito desses tipos que eu formulo em minha cabeça, existem duas coisas muito particulares à sex shop: o medo e a ignorância. Situação comum é ver mulheres que recorrem à loja quando seus relacionamentos já estão afundando. A insegurança causada pelo distanciamento do parceiro cria fantasias na cabeça da mulher desolada. Em contrapartida, o que ela faz? Recorre à loja de artigos eróticos para comprar tudo aquilo que a suposta ou verdadeira amante usaria. Porque sex shop é coisa de amante, em sua cabeça. Lingerie sensual, gel, strap-on? COI-SA DE PU-TA.

Meninas, por favor, né? Pediu pra parar, parou. Se calcinha comestível salvasse relações fracassadas, não existiria divórcio nesse mundo. Sex shop não é último recurso, muito menos recanto de prostitutas.

Eu acredito que um relacionamento saudável seja construído com amor, amizade e MUITO SEXO. Sexo feito, falado, dicutido, analisado, sussurrado e VARIADO. Palmas para quem consegue ser feliz com arroz com feijão todo dia, mas, com o perdão do trocadilho mais batido da história das piadinhas sexuais, eu também gosto de fast food, caldos, comida alemã e bastante pimenta. Então, da próxima vez que eu pisar em uma sex shop, não sairei de mãos vazias, mesmo que eu compre apenas um par de algemas de pelúcia, uma venda combinando e meia dúzia de géis para esquentar/esfriar. Posso ser clichê, mas MIDIVIRTO.


Texto levemente inspirado nos papos que surgem no nosso CHAT no Orkut e nas histórias de vida da Agrilla hahaha

Besos,

Patsy

patsy@corporativismofeminino.com
http://twitter.com/patsyzombilly
http://twitter.com/Corporativetes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Patsy às 00:00

18 comentários:

Zingara on 11 de agosto de 2009 09:35 disse...

PERFEITO o post de hoje!


Já dei a sugestão de ir ao sex shop com um dos meus namorados e ele ficou muito chocado. Eu sempre me sinto a própria PUTA quando tento inovar, fato.

Ariel on 11 de agosto de 2009 09:47 disse...

aiaii
o que dizer?
adorei o texto
ja fui a sex shop algumas vezes
mas fiquei no basico
comprando gelzinho
e eu queria na verdade uma borboleta que vibrasse
faz parte
quando pisei lá mew perguntei "o que estou fazendo aqui?"
no final soh tive coragem de levar os tais geis milagrosos mesmo
rs rs

bjinhos docinhos

Belinha disse...

Não acho mesmo que Sex Shop seja coisa de puta. Já fui algumas vezes com meu namorado e não, não estavamos tentando salvar a relação, fomos lá simplesmente porque sexo não é tabu entre nós. Nós gostamos de conversar sobre sexo, e de tentar apimentar as coisas, mas respeitando os limites de cada um. E utilizando as palavras da Patsy, eu tmbm acredito que "um relacionamento saudável seja construído com amor, amizade e MUITO SEXO". Não tenham vergonha meninas de tentar novas coisas e buscar a satisfação sexual no relacionamento de vcs.

Bjoss

Bel on 11 de agosto de 2009 11:56 disse...

Patsy, nunca entrei em um sex shop, mas já entrei em loja de lingerie que vende artigos eróticos. Mas fui comprar LINGERIE, viu? hahaha.

Ótimos Post!

.Intense. on 11 de agosto de 2009 12:11 disse...

acabei de comentar no twitter, Patsy: post PERFEITO! adorei, ahuahuaha...mas fala sério, a parte do chocolate em forma de pênis não sai da minha cabeça

=/

acho que eu ia me divertir, ahuahuahuha...nunca tive encanação pra entrar em um. a primeira vez fui sozinha, procurar uma fantasia...cheguei lá, meio q travei, mas fiquei fuçando nas coisas que via. já fui acompanhar amiga travadissima, já fui dar risada, já fui procurar coisinhas diferentes...verdade verdadeira é que minha grande paixão é lingerie. adoro calcinhas diferentezinhas ^^ e, nesse caso, já tenho minhas vendedoras, que sabem meu gosto, meu tamanho, cores, etc...daí fica mais dificil ficar fazendo turismo nesses lugares. Solteira eu fico sem clima, confesso.

Mas como eu não pretendo ficar pra titia, acho que ainda posso me divertir mto nesses lugares...
=p

Anamyself on 11 de agosto de 2009 16:38 disse...

Excelente post!

Só entrei em um sex shop uma vez na vida, no Canadá, com um monte de brasileiro retardado. Total "oi não sei o que estou fazendo aqui". Riamos de tudo, das imagens nos pornôs até as fantasias mais sinistras.
Era um SHOPPING Sex shop, na real. Tinha 3 andar o lugar, enorme!

E percebi que realmente tem tara pra tudo!

Nunca mais voltei. Mas também pretendo me divertir nesses lugares um dia.

Drama Queen on 11 de agosto de 2009 17:19 disse...

Também sou clichê. Compro as mesmas coisas, Patsy. Me identifiquei total!

Tem uma coisa que tô querendo, mas cadê a coragem de ir comprar? hahaha

Julie on 12 de agosto de 2009 09:28 disse...

Oi!

A d o r o Sex Shop!
Meu trabalho de conclusão da Facul (que esta em andamento) é sobre "comportamento de consumo de compras presenciais em sex shop" sim... pq hoje em dia todo mundo olha pela internet... então acho que vale muito mais estudar quem ainda vai pessoalmente as lojas! Ah inclusive farei um grupo de discussão!
Quanto as minhas idas nas lojas, bom eu ja fui com todo mundo, so eu, casal etc... já levei quem nao tinha coragem nem mesmo de passar da porta e tive que me controlar pra não morrer rindo! Mais o mais legal mesmo, é ver a reação de quem nao esperava ser visto dentro de uma loja dessas hauha
Bom, Boas compras pra vc!
=*

Anônimo disse...

ADOREI, mesmo!
tá, o comentário é tardio, talvez ninguém nem leia, mas resolvi comentar mesmo assim.
na verdade eu não sei se eu me encaixo em algum 'tipo' imaginário sabe.. só sei que gosto de experimentar, e na verdade eu adooooro sex shops, e to doida pra sair entrando em todas as possíveis. mas eu ainda tenho 17, já tentei e não rolou, na próxima levo minha mãe junto.. comprar algo pra ela sei lá..

já falei sim com meu namorado sobre coisas que gosto e quero e ele concorda. acho ótimo, porque se não concordasse eu prefiriria ficar sozinha.
beijos

Vilvil on 12 de agosto de 2009 15:14 disse...

Tenho uma amiga que comprou uma lingerie linda, rochinha pra usar no dia do niver do love dela. Ele n gostou! Ele é na mto na dele, disse q n gosta dessas coisas! Ela chorou e deu a lingerie p outra amiga nossa. Essa usou e o namorado AMOU!kkk. As vezes num adianta a mulher se iperiquetar todinha se o carinha não curte!

Gostei do texto!
bjo

Mendigo Geek on 14 de agosto de 2009 14:43 disse...

[...] Este post está no Mendigo Geek [...]

Maga on 15 de agosto de 2009 03:48 disse...

Postar comentario em post mais antigo pode?

E' que e' o seguinte, lembrei de uma historia que aconteceu em casa...

Era epoca de Pascoa, e eu e minha irma resolvemos fazer uns chocolates em casa pra dar pra familia.

Numa loja tipo atacadao compramos 5 kg de chocolate, papel de embrulho, e forminhas.

A loja tinha forminhas em formatos sacanas. Nao resistimos e compramos.

Levamos pra casa forminhas em forma de vaginas, bundas, peitinhos, casais trepando e PIROCAS.

Muito engracado. A ideia era dar pra familia e ver se a velharada se chocava.

Depois que os chocolatinhos-piroca estavam prontos, minha mae pegou um e - santa ingenuidade - olhando pra piroquinha de ponta-cabeca falou: "ai que legal, uma cerejinha".

No final as velhas da familia nao gostaram dos chocolatinhos sacanas, e as criancas (!) acabaram comendo.

B.Rocha disse...

Amei o texto !

Débora on 30 de outubro de 2009 10:52 disse...

Sempre que posso dou uma passadinha cem uma lojinha dessas, mais como moro na capital e o transito está cada vez pior estou preferindo pedir por telefone em um site, deem uma olhadinha que é muito bom: http://www.sampaerotica.com.br

Bjinhus !!!

Anny on 27 de novembro de 2009 17:36 disse...

Adorei o texto!Então eu sou casada e adoro inovar,vou muito a sexy shop,compro de géis,brinquedos,dados,até fantasias,é maravilhoso e meu marido adora.Esses dias até ele se fantasiou de polcial p mim.Então queridas aproveitem e soltem o lado curioso e criativo que toda mulher tem,sem vergonha e medo se ser feliz e ter prazer!!!bjs

Anny on 27 de novembro de 2009 17:36 disse...

Adorei o texto!Então eu sou casada e adoro inovar,vou muito a sexy shop,compro de géis,brinquedos,dados,até fantasias,é maravilhoso e meu marido adora.Esses dias até ele se fantasiou de polcial p mim.Então queridas aproveitem e soltem o lado curioso e criativo que toda mulher tem,sem vergonha e medo se ser feliz e ter prazer!!!bjs

lu on 20 de fevereiro de 2010 02:05 disse...

olá ....hoje para mim sex shop não é mais tabu, pois desde que resolvi trabalhar com vendas de lingeries e sex shop,meu casamento se transformou ,pois aquela rotina do básico acabou e a cada transa que temos é sempre diferente , pois façõ sempre uso de algum produto que vendo para ver o resultado e passar para minhas clientes,,,,estou amando tudo isso.

Anônimo disse...

Na minha cidade ainda há um grande tabu sobre produtos eróticos. Comecei a vender esses produtos há alguns meses e o resultado tá sendo melhor q eu esperava. Faço um atendimento diferenciado onde as mulheres se sentem mais a vontade, com visitas, e tiro tds as dúvidas q elas sentem vontade de perguntar na loja e não tem coragem. Essa experiência está sendo muito boa p mim, pois estou descobrindo q o mundo do sex shop é um universo e q a cada dia surgem mais novidades p apimentar as relações. Fico feliz em saber q estou salvando muitos relacionamentos...
Viva ao sexo! Bjs!

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino