domingo, 9 de agosto de 2009

Papai e o sentido da vida (porque plagiar Irvin D. Yalon é super in!)


Assim como a Heleninha, eu sempre quis fazer um post sobre meu pai, e creio que não tem momento melhor que o dia dos pais.

Aliás, vocês comemoram esse dia de alguma forma? Eu não costumo ligar muito para datas - para o bom filho, todos os dias são dias dos pais - mas essas datas relacionadas à família, considero válidas, porque, de alguma forma, resgata aquela vibe família que perdemos no dia-a-dia. Então, tirar pelo menos um dia do ano para comprar um presente e demonstrar como ele é importante, é lindo sim.

Bom, meu pai é só a pessoa mais importante no mundo pra mim. E eu poderia acabar o texto aqui e já teria dito o principal. Ele é o responsável por quem eu me tornei, e eu sou muito grata por isso.

Como toda filha caçula que se preze, fui acostumada desde bebê a dormir no meio de paps e mamis, e quando se separaram, fiquei com ele, e a cama passou a ser nossa. E assim foi até meus 10 anos de idade, quando comecei a usar meu quarto. Acostumei ir dormir com ele, escovar os dentes com ele, tomar café com ele, ser levada à escola por ele, ser mimada por ele.

Fui muito mimada, confesso. Nunca levei uma surra, nem um tapinha, nada. Minhas irmãs mais velhas morriam de ciúme porque ele não escondia que eu era a preferida.

Mesmo morando longe, minha mãe estava sempre presente, e quando uma de nós precisava levar bronca, era ela que fazia o “serviço”. Fácil assim, meu pai ligava pra ela e ela aparecia pra colocar tudo nos eixos. Quando minha mãe morreu, meu pai perdeu o chão. Ele não sabia como nos corrigir.. por sorte minhas irmãs já eram adultas, mas eu ainda era uma pré-adolescente. Foi complicado crescer, ele nunca foi do tipo que bate altos papos, que atualiza sobre sexo, que espanta pretendentes, mas ele estava sempre lá quando eu precisava. E isso bastou.

Ele tem uma característica um tanto peculiar: acha que dinheiro é o jeito mais fácil de comprar afeto. Me dava dinheiro quando eu tinha 5 anos de idade e nem entendia para que servia. O fato é que essa é a forma dele de demonstrar que gosta, QUE SE IMPORTA e que está cuidando. Agora que já estou crescidinha, reclamar que não vou, né?! Hahaha

Ele nunca me deixou faltar nadinha, nem para minhas irmãs, fez questão de que estudássemos em boas escolas, que fizéssemos bons cursos, que tivéssemos tudo que precisássemos. E fez algo que vou ser eternamente grata: incentivou a leitura. E eu faço Direito por influência dele. A princípio eu não queria, mas acabei cedendo. Por vezes, quando pequena, ele me chamava de futura juíza, bem, tô no caminho.

Ele também me colocou para trabalhar cedo. Comecei a trabalhar com ele com 14 anos, e fiquei por muito tempo, até que meus problemas de saúde falaram mais alto. E então, sem pestanejar, ele me substituiu e pediu que eu me dedicasse à minha saúde e aos meus estudos. Trabalhar cedo me fez aprender muito, mesmo que a contragosto no início, mas hoje eu vejo o quanto me fez bem. Graças a ele.

Todas as decisões que tomo, ele apóia. É protetor, mas acredita que tenho potencial e que vou fazer a coisa certa. Às vezes, ele mexe os pauzinhos para que eu mude de opinião sobre determinada coisa, manipula os fatos mesmo, ele acha que nem desconfio. Uma vez, ele falou para um colega de profissão me oferecer um emprego em seu escritório com um salário muito bom; papis fez isso sabendo que eu não aceitaria, mas com a intenção de que eu acreditasse que o serviço que eu fazia no escritório dele valia o que eu ganhava ou até mais, e não que eu estava ganhando mais que os outros por ser filha do dono. Funcionou... até eu descobrir, né. hahaha

Ele não aceita estar errado, vira a noite numa discussão, mas não dá o braço a torcer. Ele adora colocar apelido nos outros. Ele é sem noção com dinheiro (compraria a Lua se fosse oferecida por um bom vendedor haha). Ele no supermercado = festa (ele acha que precisa de tudo). Ele é a pessoa mais orgulhosa que conheço, mas também a mais humilde. Ele e tecnologia não se entendem. Ele me dá presentes escondido para minha irmã não ficar com ciúmes. Ele sempre ganha nos jogos de tabuleiro. Ele me dá remédio para diarréia junto com uma barra de chocolate (lol). Ele me ensinou a dirigir, tipo assim, sob MUITA PRESSÃO, me ensinou baliza com ele servindo de referência e gritando “se você não conseguir estacionar direito, vai me atropelar” ¬¬. Ele é insistente e comilão, então se ele oferece comida, melhor aceitar logo, caso contrário, ele passará as próximas duas horas insistindo. Ele me acorda nos sábados antes do meio-dia só para me falar que comprou biscoito (sendo que ele sempre compra e traz pra minha casa, portanto, eu sempre já sei). Ele acha que meu chocolate preferido ainda é o mesmo de quando eu tinha 7 anos e que tudo que é cor-de-rosa combina comigo. Ele quase me matou de medo de perdê-lo quando foi operado. Ele abre minhas correspondências. Ele é impaciente. Ele chega aqui em casa e, quando vê o carro na garagem, pergunta pra empregada por que eu não fui para a escola (eu já estou terminando a faculdade). Ele tem o coração mole, mas faz de tudo pra disfarçar.

Ele tem mil defeitos, mas eu não mudaria nadinha.
Ele é o melhor pai do mundo.




***

Para envio de lenços de papel ou reclamações sobre o elevado grau de pieguice: dramaqueen@corporativismofeminino.com

Visite o tópico sobre dia dos pais, na nossa comunidade no orkut,
clicando aqui.
Imagem via gettyimages.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Yasmin às 00:01

14 comentários:

Leka disse...

Adooorei, vc descreveu meu pai completamente, principalmente na parte do 'então se ele oferece comida, melhor aceitar logo, caso contrário, ele passará as próximas duas horas insistindo.'
hauhauhauhauha

A Madrasta Má on 9 de agosto de 2009 11:22 disse...

Quanto a não aceitar estar errado, acho que eles fazem um curso extensivo hahahaha!
Bjinhos da Madrasta!

Zíngaraaa disse...

me ensinou baliza com ele servindo de referência e gritando “se você não conseguir estacionar direito, vai me atropelar”

MORRI DE TANTO RIR e quase chorei com esse post.

LINDO demais como você o descreveu, uma linda homenagem!

Lica disse...

MORRI DE TANTO RIR e quase chorei com esse post.[2]

Que lindo, DQ! Na maioria das partes descreveu meu pai!

Drama Queen on 9 de agosto de 2009 12:31 disse...

O almoço de comemoração de dia dos pais foi ontem.. mas hoje imprimi o texto e fui lá entregar pra ele.
Tão bonitinho ele com vergonha de se emocionar na minha frente.

Bel on 9 de agosto de 2009 16:18 disse...

Também morri com a parte da baliza, hahahahaha

Eduardo Araújo on 9 de agosto de 2009 16:34 disse...

Puxa...teu pai confia em vc!!! Isso é ótimo....pais geralmente demoram pra perceber que o filho cresceu....

=D

Camila Miranda on 10 de agosto de 2009 10:58 disse...

O meu me trata como se eu fosse criança e ainda apresenta esta jovem de 1,80 (hehehe, puxei a ele, que tem 1,90) como a minha "filhinha"...

Ai que lindo, viva os nossos papitos!!

E o meu é 90% parecido com o da DQ, hahahaha!! Acho que uns 95%... rs rs rs

Bjos meninas!!!

eufalonalata on 10 de agosto de 2009 12:18 disse...

Se eu disser que me emocionei, vc acredita?

Que coisa linda é seu pai, menina.

Eu tbm sou caçula e fui supeeeeeeer mimada pelo meu velho, ms ele se separou da minha mãe e algumas coisas mudaram.

Um exemplo é que eu com 25 anos, ele pensa q eu sou uma garotinha, mas acho super fofo, só qiue ele sempre erra nos presentes, sempre!

Hitsuki *~ on 10 de agosto de 2009 23:01 disse...

Chorei admito...
pai é pai! e eu tbm ri quanto a historia da Baliza, pais companheiros fazem nossa vida muito melhor né?

Bruna disse...

Lindo.

Thais on 11 de agosto de 2009 12:04 disse...

você descreveu meu pai

Anamyself on 11 de agosto de 2009 16:52 disse...

Que lindo!
=)

E respondendo a pergunta sobre comemoração dessas datas... Minha família não celebra nada disso. Não ligamos para natal, não ligamos para dia das mães, dos pais...

Mas a gente é bem próximo. Vejo amigas minhas que não param em casa e um sentimento bom se apodera de mim quando penso que conheço muito bem meus pais.

Ine Furtado on 13 de agosto de 2009 22:04 disse...

chorei.

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino