sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A gente paga com a língua


Até meus 21 anos, eu nunca soube como seria ter um irmão ou uma irmã – tudo bem, eu tenho exatamente um irmão e uma irmã por parte de pai – mas isso nunca influenciou em nada na minha criação, já que nunca tive muito contato com ambos.

Em agosto de 2006, a notícia: mamãe ficou grávida. Ah, que delícia! Foi um tal de fazer enxoval, de planejar coisinhas fofinhas para a decoração do quarto do nenê, de festejar a descoberta do sexo – uma menina, vou poder colocar lacinhos no cabelo dela! – enfim, muita felicidade para a casa toda.

Maria Luíza – nome inspirado na música Luíza, de Tom Jobim – veio ao mundo prematuramente e, passado o susto, teve e tem muita saúde até hoje.

Bom, eu enrolei enrolei enrolei e não cheguei ao X da questão: CARALHO, COMO UMA CRIANÇA DÁ TRABALHO!!!!! Esqueça as coisas fofinhas, esqueça o pensamento de que gastos com fraldas são seus maiores problemas, ESQUEÇA TUDO que você acha que sabe sobre crianças. Incrível como esses serezinhos de menos de 3 anos podem ter a capacidade de te persuadir – capacidade maior ainda em uma casa que a piveta tem apenas 2 anos e é a única criança do lar.

Não quer tomar banho? É só chorar. Não quer comer, choro mais + beicinho. Quer aquele brinquedo caro e o papai disse não? Choro + beicinho + cara do gato de botas do Shrek. Assim é muito fácil, né? Próxima vez que eu quiser um sapato novo na Arezzo, vou fazer beicinho e chorar.
Sem contar quando descobrem que detestamos determinada coisa que eles fazem. É batata, pode ter certeza que a mesma atitude será repetida 729 vezes elevadas ao cubo. E quando aprendem a falar palavrões? Será que se lavarmos a boquinha suja com sabão eles param?

Minha mãe sempre falava de uma prima minha, que era mal educada, que era desobediente, que ninguém a suportava e tcham ram ram: agora temos uma criaturinha 300x pior em casa. A gente paga com a língua mesmo, não tem jeito.

Não me atirem pedras, não estou com ciúmes. Amo aquela pirralha – se duvidar, sou uma das que contribuem para a mimação dela – mas agradeço do fundo do meu coração à minha mãe por ter engravidado novamente e ter me dado a chance de enxergar o quanto essas miniaturazinhas dão trabalho. Sempre pensei em ter filhos quando tivesse estabilidade financeira. O pensamento continua o mesmo, porém, com mais uma ressalva: estabilidade financeira + idade superior a 33 anos. Sério, ainda preciso realizar muita coisa antes de agüentar birras, beicinhos e choros mais irritantes do que buzinas de automotores.

Ficadica: Nunca fale da falta de educação do filho alheio, o seu pode nascer igual ou pior!

Para me dizer que quer ter um time de futebol, que não suporta crianças ou que o seu filho é bem educado: analia@corporativismofeminino.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Anália às 00:01

15 comentários:

Zíngara disse...

Quando o Lucas tinha essa idade eu chorava TODO DIA. É, todo dia. Muito complicado mesmo, eu vivia exausta - Nâo que hoje ele dê folga...

Eu entendo cada coisa relatada e sinto TODO O EUFEMISMO DO TEXTO. hahahahahahah Os bastidores com uma criança não é nada fácil, algumas parecem o próprio CHUCK!

joana on 7 de agosto de 2009 03:15 disse...

Não sei se rio ou se choro! Dominique dá um trabalho desgraçado e sim, sabe manipular TODO MUNDO! hehehe Às vezes, ela usa de choro. Às vezes, é só fazer aquela carinha de anjo e pedir com jeitinho (como é que eles sabem dessas coisas assim tão cedo?).

Enfim, concordo muito que ter filho cansa qualquer um!

Beijinhos,

maiza on 7 de agosto de 2009 10:20 disse...

nunca vi menininha mais fofa *-*

Anália on 7 de agosto de 2009 10:41 disse...

Linda, né? Morro de babar auhuauhuauuhuauha

Essa foto foi no dia dos 2 aninhos dela!

Bombshell Sisters on 7 de agosto de 2009 10:57 disse...

Linda sua irmã.
Eu sofro para não mimar o meu filho, Ulisses de 2 anos e 5 meses.
Eu sempre achei que se resolvia tudo com onversa, mas quando a gente tem filho, 'as vezes tem que ser general mesmo *rs.

Aliás, ótimo blog.

Dani

Camila Alves on 7 de agosto de 2009 11:28 disse...

Que lidinha.
Porque quando têm carinha de anjo assim são sempre piores?
Nunca vi alguém fazer mais chantagem emocional do que esses serezinhos.

Fernanda on 7 de agosto de 2009 11:50 disse...

FATO: criança dá trabalho.

Olha, não é fácil. Lá em casa, duas irmãs ficaram grávidas praticamente simultaneamente (as duas sem planejar, haha, que ironia).

JURO que mudei minha concepção de maternidade depois que meus dois sobrinhos nasceram. E olha, que eles não têm nem 1 ano ainda.

ai ai.

beijo

Anamyself on 7 de agosto de 2009 11:51 disse...

Eu sou filha única, meu pai pegou uma caxumba e ficou estéril quando eu tinha 1 ano.
Nunca senti falta de irmãos. Mas deve ser interessante já depois dos 20 ter uma irmãzinha.

Se bem que eu não tenho a menor paciência pra criança. Dizem que eu era um INFERNO. Minha mãe enlouquecia.

Jajá a Maria Luíza (minha prima chama Luísa tb por causa dessa música maravilhosa!) cresce e vai ser incrível acompanhar as descobertas que a vida proporciona, e participar da educação dela. Imagine quando ela tiver uns 12 anos, você poder dar a ela os livros que você mais gosta, os cds preferidos...

Anônimo disse...

Meus sobrinhos, quando pequenos, eram lindissimos, com a mesma carinha da sua irmã, angelical. mas pra conseguir qualquer coisa, um deles chegava a gritar e se debater no chão. Então minha irmã adotou uma tatica infalivel - testa ai e dps me diz se funciona - deixava ele se debater sozinho, passar vergonha em publico sozinho e continuava andando. Ele ficava com medo dela deixar ele, engolia o choro e ia atras com a cabecinha baixa. Ela nunca foi de bater, porq se desse uma palmada depois ia chorar escondida de tanto remorso. Eu que vi minha irmã ser mãe entendo perfeitamente esse texto todo! E tb foi por isso que decidi ser mae dps dos 30.

brigada por me cobrir houje =)

bjuxx

heleninha

Drama Queen on 7 de agosto de 2009 11:58 disse...

Tipo, se quiser me dar a Malu, eu aceito fácil fácil. - dik

Ivana disse...

Precisava comentar: Que criança linda! SE eu tiver filho(s), certamente vai ser daqui a muitos, muitos anos.

Patsy on 7 de agosto de 2009 16:46 disse...

Eu sou filha única e hui mimada. Quando ouço as histórias da infâmcia, não consigo entender como ela consegue rir, EU ERA O CÃO.

E falar mal de filho alheio é assim mesmo, volta 3X pior! hahaha Filhos eu quero, sim, mas não agora. Eu ainda bato o pá no chão e faço beicinho, não dá para competir =]

=* lindona

*Bee* on 7 de agosto de 2009 19:40 disse...

Meu cachorro de 4 meses dá MUITO trabalho. Acho que, dito isso, nem preciso me manifestar a respeito de "pequenos humanos", risos.

Dani on 7 de agosto de 2009 21:17 disse...

rs rs rs rs

Você tem toda razão...
Acho que o fato de ter tido filhos cedo me deixou um tanto imune aos choros e beicinhos. Sou uma mãe muito chata justamente porque não gosto de crianças chatas e mau educadas.

Com todo o cansaço, nada melhor e mais gostoso que acordar com beijinhos deles.

beijo rouge

Dani

Inaví on 8 de agosto de 2009 11:04 disse...

Isso mesmo, a gente mima um monte pq são umas gracinhas.
Eu tenho o dobro da idade da minha irmã + nova, a raspa do taxo como dizem, mimamos um monte a fofinha que agora que é uma adolescente da da muito trabalho e nos deixa de cabelos em pé.
Ta é gostoso mimar e tal, mas se nós pudessemos voltar atras fariamos tudo diferente, por amor mesmo.
Agora tenho um sobrinho lindo, ele é tudo, esta com 1 aninho, meu irmão e cunhada não querem mimar a criança, dão carinho e tal, mas nda de mimar em exagero, eu sofro como isso, mas sei que vai ser melhor pra vida dele.
Meu irmão disse que a maior prova de amor é quando eles dizem não mesmo sofrendo.
Eu ainda não tenho filhos, mas minha irmão e meu sobrinho eu cuido como se fossem.

Bjo

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino