quinta-feira, 30 de abril de 2009

"How you doin'?"


Eu já falei antes aqui sobre minha amizade com o Bruno (não desmotivadamente chamado de Joey por mim), para quem não lembra, ta aqui.


Dia desses (mentira, tem mó tempo, uns 3 meses), estava eu, linda e maravilhosa, naquele estágio de pré-sono, onde os pensamentos se confundem com sonhos, e então escuto um barulho lá embaixo. Olhei para minha cachorrinha e ela estava dormindo na cama dela, ignorei. O barulho aumenta, despertei. Barulho novamente. Friozinho na barriga, será que meus fantasmas (não perguntem, assunto para o próximo post) tinham voltado?


Resolvo ir conferir, levanto, calço minhas pantufas rosa e desço a escada. A luz da cozinha está acesa, vou devagar, procuro algo para me defender e não acho, vou assim mesmo.


Chego à cozinha e sou surpreendida:


- Oi, DQ, te acordei? Desculpa.

- Bruno, sabe quantas horas são???

- Eu sei, eu não queria te acordar por isso.

- Sim, mas o que você quer na minha cozinha no meio da madrugada?

- Poutz, DQ, vim atrás de um remédio, to mijando pelo cu.


*Olho pra cima e pergunto para Deus porque euuuu!*


Tá, qual o problema né? Se eu deixei com que ele tivesse minha chave, eu que o ature, certo? Nããão! Eu deixei uma cópia da minha chave com ele para emergências (e não me venham dizer que a dor de barriga dele é emergência!), já que é pra ele que ligo nesses casos, mas ele não entende isso.


Não raras vezes cheguei em casa e o encontrei, no início eu me assustava, pensava “alguém morreu, ele veio aqui me dar uma má notícia, ó céus” (isso sim seria emergência), mas não, ele só estava com fome/não tinha nada pra fazer na casa dele/achou minha TV melhor para assistir tal coisa.


O problema é que não dá mais pra ser assim. Meus namorados sempre souberam que o Bruno estava incluído no pacote, era tipo “Namore a DQ e ganhe o amigo empata-foda de brinde”, só que agora meu namorado (aquele que até noivei) voltou e mora comigo *pausa para suspiros*, então nem pega bem o Brunilds entrar e sair na hora que bem quer. Perguntem se ele entende isso! Nããão, ele não entende!


Tentei de mil formas fazer com que ele aceitasse que minha casa não pode mais ser tratada como república, porque agora não é só minha privacidade que ele vai invadir, é a do meu namorado também, e isso não vai ser nada legal. Enfim, só faltei desenhar. Mas parece que agora, mais do que nunca, ele faz questão de aparecer.


Vejam bem: Se estou com a porta do quarto fechada, som alto e acompanhada, deduz-se que ... ? Não, ele não deduz nada, ele bate na porta e grita “tá fazendo o que, Drama Queen?”. Como assim to fazendo o que? Eu que deveria perguntar o que ele faz sábado à noite na minha casa, e se a porta estivesse aberta? Melhor nem pensar.


E se eu digo ao telefone “hoje não posso sair com você porque quero ficar em casa assistindo filme agarradinha com meu namorado” deduz-se que eu quero ficar SÓ com meu namorado, certo? Nããão. Ele aparece senta do nosso lado e diz “e aí, a gente vai ver o que?”


A situação é daí pra pior. Ele tem sérios problemas com limites. E quando eu acho que consegui fazer com que ele pelo menos comece a entender que os limites são necessários, o que acontece? Meu namorado estraga tudo:


Ontem, ele veio almoçar aqui (pra variar) e continuou aqui quando eu saí para trabalhar. Meu namorado não veio almoçar em casa ontem, logo pensei “xii, ele vai amar chegar em casa e dar de cara com o Bruno largado no sofá, vai dar merda”. Chego em casa quase 19h, imaginando a briga que teria com meu namorado por causa do comportamento infantil do Bruno, e tcha-ran: dou de cara com os dois (que por sinal nunca se entenderam) sentados no tapete jogando vídeo game e gritando com a TV feito crianças.


Respiro fundo porque é o que me resta a fazer, desisto de “educar” o Brunilds. Eu hein, se eu quisesse filho faria um, vou é trocar a fechadura!


Olha, eu juro, e vocês são testemunhas, que quando o Bruno arranjar uma namorada da qual ele realmente goste e resolver levá-la para morar com ele, EU que vou usar minha chave extra, a casa dele vai ser o único lugar no mundo. E tenho dito.


***


Se você tiver alguma outra solução, pelamordedeus me diiizzz:

dramaqueen@corporativismofeminino.com


Se você tiver um amigo empata-foda também, compartilhe suas frustrações conosco:

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=64194269


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por Yasmin às 00:01

0 comentários:

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino