terça-feira, 28 de abril de 2009

Fuck you Mickey mouse

Se tem uma coisa que eu não sou é fresca. Eu carrego peso se for necessário, eu troco lâmpadas, bato pregos, conserto do retrovisor do carro com durepóx, abro o capô do carro pra ver o nível do óleo, arranco teias de aranha com aspirador de pó, piso nas baratas, piso mesmo, sem dó nem piedade. (Inclusive já tirei uma foto macro de uma barata morta, assassinada por mim mesma, claro, as fotos e o autógrafo eu mando por e-mail, é só pedir com carinho).

2h30 da manhã de domingo e eu estou trêbada de sono, mas num chat empolgante com Agrilla, Tessa e Felipe Pipo, além da eterna janela de msn aberta com o Edu. Ouço um barulho na porta da sacada do meu quarto e ignoro, ouço outro barulho e continuo ignorando. Comento o fato no chat, ninguém me dá bola, afinal eu estou trêbada e falando besteira pelos cotovelos.

De repente olho pro chão e lá está ele: Um fucking rato saido das profundezas da mickeylândia, no chão, no lindo e limpo chão do meu quarto!! Eu não tenho medo de ratos gente, eu tenho é NOJO, ASCO, aquela criatura nojenta não deveria estar alí, e eu não faço idéia de como ela foi parar alí!

Surtei. Como assim havia um rato no meu quarto? eu moro nessa casa há longos 23 anos e nunca tive um pseudo mickey mouse invadindo o meu espaço. Família inteira dormindo, mas eu queria gritar. E gritei o quanto pude pelas janelas de MSN (malz aê, gente), publiquei no twitter, pedi ajuda pra todo mundo, só faltou mesmo ligar pro corpo de bombeiros ou acionar o FBI.

Felipe Pipo me disse umas 3 vezes: "Pega a vassoura", e eu juro, segurei ela com todas as minhas forças, mas tipo, só pegar a vassoura não deu certo.

Como assim a ABTN não tem uma norma explicando como se livrar de ratos?

Bolei um plano, já que eu Pipo só me dizia "Pega a vassoura!"

Decidi abrir a porta da sacada e cutucar os cantos onde o pseudo mickey estaria escondido pra ver se ele saia, fiz isso várias vezes e nada. Minha mãe sentiu o movimento, veio no meu quarto, e diante do meu desespero só me chamava de besta e dizia: "Faz silêncio e deixa a porta aberta que ele vai sair" - Sim, no que dependesse daquela que me pariu, eu faria uma vigília noturna, esperando uma criatura desconvidada sair do meu quarto. O fim do glamour. O FIM.

Minha mãe arrastou o micro pra cá, puxou a sapateira pra lá e nada do rato aparecer de novo. Ela tentou me convencer de que ele já havia saído, mas oi mãe, eu já tenho 23 anos, você não me engana mais.

De repente, num cutucão com a vassoura, avisto a criatura ignóbil na parede que é quase grudada na mesa do pc. Era pior do que eu imaginava, ele era um rato evoluído da mickey-x-men-lândia! escalava paredes, minha gente. O bicho começou a andar, eu subi na cama, gritei, chorei, gritei , chorei, gritei, gritei, chorei chorei. Meu pai acordou, claro (ufa, pensei que esse momento nunca fosse chegar).

Continuei gritando, chorando soluçando, e ele, com uma vassoura, correndo atrás de um rato pelo meu quarto, me mandando sair do quarto. Mas eu não ia sair, eu precisava ver cada canto em que aquela criatura pisaria pra desinfetar com cuidado no dia seguinte. E quando mais o rato corria mais meu pai me mandava sair, mais eu gritava e chorava, mais minha mãe me mandava calar a boca e me chamava de besta.

Até que finalmente o rato saiu, mas homens são homens, e meu pai havia decidido acabaria com a vida daquela criatura que ousou perturbar seu sono. Saiu pra varanda com um pedaço de pau atrás daquele ser, e a criatura ENTROU NOVAMENTE NO QUARTO. O bicho começou a andar , eu subi na cama, gritei, chorei, gritei , chorei, gritei, gritei, chorei chorei. ². Enfim, gritei e chorei com ênfase x20, principalmente na parte em que a criatura andou em minha direção.

Ai o rato saiu novamente, meu pai saiu novamente com um único objetivo: eliminá-lo. Dessa vez com sucesso na empreitada.

São 5h32 da manhã e não consigo pregar os olhos, imagino o cadáver de mickey-x-men-mouse que está estatelado na minha varanda, imagino toda rota que ele fez no meu quarto enquanto eu só conseguia gritar e chorar, imagino o trabalho de desinfecção que terei que fazer quando acordar (se é que vou conseguir dormir), e penso que não tenho os equipamentos necessários pra essa tarefa, pois me recuso a fazer isso com qualquer coisa menos segura que uma roupa de Storm Trooper.

Mickey Mouse, fuck you, SEU VERME LAZARENTO DESGRAÇADO. QUEIME NO MÁRMORE DO INFERNO.

Depois quando dizem que Disney é coisa do capeta, tem gente que ainda não acredita. Uma instituição séria não faz um rato se passar por bom moço, não mesmo.

----------
Adendo: Escrevi esse post logo depois do episódio, e o que eu não sabia é que o "day after" seria muito pior, pois nas tentativas de limpar o quarto, eu sentia tanto nojo, mas tanto nojo, que só conseguia chorar descontroladamente. Chorei umas 3 horas seguidas. Se lágrimas tivessem algum poder desinfectante, ó, eu teria sido salva por mim mesma. Surtei completamene, perdi o controle. Não vou narrar detalhadamente aqui porque passei a tarde inteira chorando e recebendo apoio das amigas no orkut, msn e afins. Então os detalhes do day after estão aqui, quem quiser sofrer comigo é só entrar e ler.

Enfim, acabou o fim de semana mais loser da minha vida. Troco meu mundo por uma bandinha de lexotan.

---------
NOTA: Imagem que ilustra o post retirada daqui!
---------

Pra me enviar sua vestimenta de Storm Trooper, me dizer palavras de esperança e fé ou apenas me fornecer um bom afago: bel@corporativismofeminino.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Postado por B. às 09:20

0 comentários:

 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino