sábado, 28 de fevereiro de 2009

Verão e dignidade - ou a falta dela!

imagem: eupodiatamatando.com

Costumo dizer que perdemos a dignidade no Verão. Tudo bem, admito que moro em uma cidade que o clima nunca é frio e é Verão o ano todo, mas falo do que vem com a referida estação: a moda, o calor, o suor, a lotação, etc!

Pra começar, perdemos toda a elegância das cores do inverno. Troca-se o roxo, preto, verde musgo e cinza por pink, verde limão, amarelo ouro e laranja. Cadê as blusas de gola alta? Por que tantos homens sem camisa na rua?

Ignorando o bom senso, certas garotas esquecem que a escova tem prazo de validade e passam uma semana sem lavar o cabelo, tudo por um liso bonito e sedoso. Filha, com 3 litros de óleo na cabeça, você vai chamar a atenção mesmo, MAS PRA RIREM DA SUA CARA, OTÁRIA!

E a praia lotada? Você precisa de um quadrado de areia com a medida de 2x2m no máximo, mas cadê? Cadê seus míseros metros quadrados? Tão ali, ocupados por uma mulher que mais parece um croquete, de tanto bronzeador e areia por cima, ou pior, estão ocupados por 3 pirralhos que brincam de fazer castelinho e insistem em sujar as pessoas ao redor.
Nada contra os vendedores ambulantes, mas é bom que saibam que quando eu disser que não quero o óculos rosa da Barbie, é porque não quero mesmo, não adianta ficar parado na minha frente fazendo cara de Gato de Botas do Shrek, eu não vou ficar com óculos de plástico que custam R$ 20, humpzzzz!

Voltando ao assunto moda, todo mundo resolve usar biquíni e saída de banho para ir aos lugares mais variados. Restaurantes, shoppings e boates se enchem de pessoas que saíram da praia e nem se deram ao trabalho de ir em casa se trocar. É isso aí, cheirinho de peixe ever!

Aí chega o momento que você se desespera e pensa: “CADÊ A MERDA DO INVERNO QUE NÃO CHEGA LOGO? EU QUERO USAR CASAQUINHOS, BOTAS, MEIA CALÇA POR BAIXO DA SAIA DE COURO (aquela que está criando mofo de tanto tempo que você não usa, amhyga!) E TUDO QUE TENHO DIREITO! EU QUERO FONDUE, CHOCOLATE QUENTE E FILME DEBAIXO DO COBERTOR!”

É, você não está sozinha. Bem-vinda ao clube!
Talvez você more em uma cidade que tenha uma época fria. Menos mal, já que eu tenho que viajar pra serra pra usar minhas roupas quentinhas com algum glamour!


Para doações de temporadas em Campos do Jordão, convites para comer um fondue, elogios, xingamentos e depósitos na conta bancária: analia@corporativismofeminino.com -

Continue Lendo...
Postado por Anália às 00:01 2 comentários

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Sobre Engenheiras e Mães que Berram

Mudando um pouco o foco, senão vão achar que eu só sei falar de homem (é disso que o povo gosta, eu que sei),hoje estou aqui pra falar de outro assunto, que, invariavelmente também é sobre mim (lógico, e eu vou falar DE QUEM?).

Este ano faço 26, e engoli o gosto amargo da derrota de não ter ouvido minha mãe quando eu tinha apenas 18 anos. Ainda paira no ar o "eu te avisei" característico. Sou formada num curso onde infelizmente minhas chances de emprego na minha atual cidade variam de vendedora de shopping, VM (vitrinista, vai), e gerente de loja. É, eu não consegui ser a estilista que tanto quis, mãe, se um dia você aprender a ligar o computador a primeira coisa que eu espero que você leia é este texto. VOCÊ TINHA RAZÃO E EU SOU UMA IDIOTA por não ter lhe dado ouvidos.

Após quase 3 anos dando murro em ponta de faca, cedi. Resolvi fazer minha segunda faculdade, onde, na minha classe as pessoas fedem a leite, o frescor da juventude que não trabalha e tem tempo de ficar o dia todo no orkut, no msn, fazendo trabalhos enquanto monta um novo fotolog e tudo mais. Sinto uma ponta de inveja e saudades da oportunidade que deixei para trás, quando deveria ter ouvido os berros da minha mãe que eu deveria ser engenheira, ou arquiteta. Pois bem mãe, aqui estou realizando o que você sempre quis, eu vou ser engenheira, porra!

E confesso...que estou amando demais o curso. Ainda não tenho certeza se nasci para isso, mas tenho certeza que, no momento, Engenharia de Produção e tudo que a envolve me atrai muito, e, meu coração dispara quando ouço as palavras "montadora de automóveis" e "plataforma de petróleo". Às vezes penso que, finalmente encontrei o que sempre busquei, realização pessoal e profissional, num curso de exatas, que por muito tempo foi meu ponto fraco.

E eu já tenho 25 anos... vou me formar com 30 anos!

Confesso que o medo bate todos os dias, vou me formar tarde, quando já deveria ter uma boa estrutura financeira. Aliás, eu já deveria estar no mercado de trabalho, e estou aqui, AINDA buscando o que realmente quero da vida, agarrando com todas as forças o que parece ser finalmente o certo, muitas vezes com lágrimas nos olhos, de ser a garota mais velha - porém relativamente popular - da classe.

Não sei como as outras crianças (pessoas com 17 anos são crianças pra mim ok?) me enxergam, mas eu no lugar delas me enxergaria como uma pessoa indecisa, estranha, ou como uma tiazona mesmo. Lembro bem do rostinho da garota da minha frente, quando comentei que tinha deixado as luzes do carro acesas e precisaria descer para apagar. Os olhinhos brilharam "você dirige!", e então eu me lembrei que ela é nascida em 1991, enquanto eu me recordo com clareza das Copas de 1990 e 1994.

Fica o recado: OUÇAM, mas ouçam MESMO, seus pais. Muitas vezes eles berram pra se fazer ouvidos e nós filhos ingratos os enchemos de úlceras fazendo apenas o que nós queremos. Passei anos fazendo tudo ao contrário do minha mãe disse, e olha, parece praga, só quebrei minha cara. Minha resolução de 2009 foi prestar atenção do que a senhora de 1,55m, branca que nem sabão de côco e voz grave tem a me dizer. Às vezes é difícil não fazer o contrário do que ela diz, mas estou tentando, e, por enquanto tem dado muito certo. Mama, eu ainda desejo ser o seu orgulhinho.

manda um e-mail, vai!
heleninha@corporativismofeminino.com

agora com Orkut...
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=11331418238189250417

beijos me liga!

Heleninha.

Continue Lendo...
Postado por Heleninha às 00:01 0 comentários

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O que ELES fazem na cama para preferirmos chocolate?

Dias atrás, um telejornal anunciou dentre suas chamadas sensacionalistas que as brasileiras preferem chocolate a uma noite tórrida de sexo. Já para a machaiada, sexo vem em primeiro lugar. E daí vem a pergunta: Por que ELES acham sexo tão irresistível e NÓS, mulheres, nem tanto? Será por que ELES não têm interesse em chocolate ou por que NÓS, mulheres, sabemos dar prazer?

O fato é que para ajudá-los nesta empreitada e acabar com essa estatística vergonhosa, decidi fazer uma lista de coisas que são detestáveis na hora do sexo. Claro que algumas destas atitudes são unânimes entre as mulheres, outras nem tanto!

1. Não estamos fazendo um filme pornô!

Acredito que alguns homens, por terem visto muito filme pornô, acham que meter sem trégua é mostrar quão viril são. Nesses filmes, o homem fica ali colocando e tirando por horas a fio (e tome edição no rabo) e os bobalhões acham fantástico, querem fazer igual. E quem se fode (literalmente)? Nós! Mulheres que não se valem de edição de imagem. Temos que ficar aguentando o entre-e-sai desconcertante por horas.

Meninos, não vou estipular um tempo, usem o bom senso! Mas, lembre-se: Você não está com uma câmera no rabo, ninguém está filmando sua performance. Faça com que o sexo seja bom para nós, mulheres, que preferimos chocolate a ter que amanhecer ardida no dia seguinte. Agilidade, ótimo, rapidez, penetração selvagem, legal, mas fodeção exaustiva? Prefiro assistir a um romance!

2. Galvão, NÃO filma eu!

É, amiga da Rede Globo, o sujeito narra toda a trepada. Coisas como "Vou enfiar agora a minha vara no seu buraco" e a célebre pergunta "Tá sentindo?". Isso me faz, no mínimo, rir e, neste momento, a vontade de ter um pênis é incrível, tudo para meter na boca do rapaz e fazê-lo cessar com a narração maledeta.

Queridos, falem, sim! Claro, falem! Mas não seja um Galvão Bueno.

3. Cheio de Cri-cri-cri

Sério, se eu escolhi dormir com um macho não é por nada não: é porque odeio os fricotes de mulher. Homem que sente nojo por tudo e manda você lavar a boca depois de um boquete merece que a mulher responda numa pesquisa de rua "Sim, prefiro chocolate a ter que dormir com aquele sacripanta".

Garotos, garotos...

4. Eu me amo, eu me amo...

Acha seu pau maravilhoso? Então faz uma cirurgia para retirar alguns ossos, assim você alcança seu pênis e se chupa. Sério, há homens que se sentem tão magnânimos que pedem para serem endeusados na cama e ficam naquela "Olha meu pau". "Gostou disso?". "Eu te comi gostoso!". "Meu pau é enorme!".

Vai, querido, se chupa!

5. Higiene, oi?

Vamos abocanhar seu kct, tudo bem? Mas esteja devidamente limpo. Pau mijado, suado, vencido TEM que ser descartado. Isso é o mínimo, não sei por que ainda tenho que escrever sobre algo tão óbvio.

6. Sexo oral é ótimo, mas...

Já notaram a gama de macho que não quer fazer oral na mulher? Ou como a maioria, sem noção, empurra a sua cabeça a ponto de fazer com que você tenha espasmos de vômitos? É tão comum, a culpa ainda é do filme pornô que mostra as mulheres quase desmaiando com o empurrão da sua cabeça de encontro a seu pau (quase engolindo o sujeito ali mesmo, com pernas e tudo mais).

E se fazemos sexo oral queremos sexo oral na mesma intensidade e dedicação.

7. Não insista

Homem acha que quando estivermos inebriadas de tesão vamos topar sexo anal. Mesmo que a mulher tenha deixado MUITO CLARO que não é bacana, não tá a fim e coisa e tal. Eles tentam. Gente, sexo anal é legal para algumas, para grande maioria não. Então, se ficou acordado que "não, não curto", façam outra coisa na cama!

8. The Flash

Vamos lá. Pensem que somos a álcool, precisamos esquentar direitinho até a coisa turbinar. Portanto, capriche nas preliminares. Não, não quero que você ponha 2 metros de língua no meu ouvido e me chame de puta. Não é exatamente isso. Só quero sentir suas mãos, algumas palavras indecentes, ditas nas horas corretas.

9. Seguindo o Kama Sutra

Posições espetaculares só servem para ser vistas, como não estamos sendo filmados (é, vocês esquecem deste detalhe, não estamos num filme pornô), não há necessidade para malabarismos que são mais desgastantes que, de fato, excitantes.

Rapazes, as posições que agradam nem sempre exige que se ponha o pé na cabeça.

10. Classe

É, ótimo, eu sei que você é machão e não vai pôr aquela lingerie maravilhosa. Isso eu faço de graça, por isso você prefere sexo a chocolate. Mas vamos fazer uma coisa bonita? Que tal tirar as meias?


No final, meu bem, sexo é bom senso. É entender o outro, é uma dança. Às vezes pode ser selvagem, lento, romântico, intenso, mas faz parte de um bailar! A "coisa" vai sendo guiada aos poucos, uma cuspida no pau pode parecer vulgar num momento mais romântico, mas ambos DEVEM sacar o momento de tais atitudes. Afinal sexo envolve essa cumplicidade, esse ritmo!

E para brindar esse post frígido, eu ofereço chocolate a todas as mulheres!



Continue Lendo...
Postado por CF às 00:09

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Cera depilatória de bla bla bla

TESTEI E REPROVEI:

Dia desses eu estava fuçando lá nas Americanas (adoro, porque aceita visa-vale!), e me deparei com essa caixinha de veet aqui do lado. É uma folha com cera pra tirar o bigódon, que vem prontinha no tamanho certo, você esquenta um pouco esfregando entre as mãos, gruda do bigódon e puxa!
Financeiramente, nem compensava muito, mas pensei que seria uma boa idéia pra quando se está com pressa, né? Decidir comprar pra experimentar.
E já que fiz a merda de comprar essa porcaria, quero avisar aqui: não presta. Essa cera gruda mais na pele do que nos pêlos, dói pácaralho quando você puxa, e metade dos pêlos ficam lá. Depois de usá-la, limpei a pele com tudo que vocês possam imaginar mas ainda fica aquele grude da cera, até óleo mineiral eu passei mas nada do grude sair, a pele ficou um lixo. 1000 vezes não recomendo!


ACHEI DESNECESSÁRIO:


E pra não falarem que estou ganhando cachê da concorrência, vamos falar da concorrente também.
Olhando melhor as ceras e tal tal tal (já falei que adoro novidades?). Encontrei umas folhas pra depilação artistíca, formato de coração, estrela e tudo mais, pfffffffffffffffff, nem vou comentar isso não. Mas de repente me deparo com a incrível cera Depi Roll com Glitter (?). Fiquei olhando a embalagem e tentando entender: Por que caraleos alguém usaria uma cera com Glitter?
Tá, linha teen, mas porra, quem precisa de glitter pra se depilar, provavelmente não tem idade pra se depilar. Ou será que o glitter é pra espantar aqueles pêlos muito machos que não querem sair de jeito nenhum?

A próxima vez que eu for fazer exame de fezes vou ver se encontro uma latinha pra exame com glitter, pra ver se glamouriza o ato.


ACHEI BIZARRO:

Para coroar meu tour pela gondola de ceras, não me pergunte porquê, mas comecei a ler o rótulo da tal cera com glitter, juro pela Cláudia Ohana mortinha que estava escrito algo assim na embalagem: "Certifique-se de que os pêlos não tem mais que 5cm, caso ultrapassa esse tamanho, apare com uma tesoura primeiramente". Tipo que eu quase comprei só pra poder tirar uma foto desse rótulo. Meu, QUEM DEIXA PÊLOS COM 5 CM ALÉM DA CLÁUDIA OHANA? COMO ASSIM, REGINA?

É isso. Durmam com esse barulho.

---------------------------------------------------------------------------------
Pra me dizer onde vende latinha de exame de fezes com glitter ou me contar que seus pêlos pubianos tem mais de 5cm, escreva para: bel@corporativismofeminino.com

Continue Lendo...
Postado por B. às 00:20 2 comentários

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Desventuras de um bloco carnavalesco


Esse carnaval está exigindo demais de mim. Eu não sou uma pessoa do samba, mas sou da farra e da cerveja. Logo, o Carnaval prometia ser um feriado recheado de momentos totalmente excelentes. Mas aí veio o drama e minha vida se transformou em "Sex and the City - O Filme", sendo Patsy uma Carrie desolada, abandonada no altar, com o coração esmigalhado e nenhuma perspectiva de futuro.

Mas meus amigos se esforçaram para me animar me levando para a praia e tentando me embebedar. Luv' ya, guys. Deu certo na medida do possível, mas chegou a folia, a Aurora estava tentando ser sincera em todas as esquinas e eu me forcei a sorrir. Afinal, não custa nada dar uma chance ao Carnaval.

Logo no primeiro dia eu me arrependi dessa frase.

Para começar, eu não tinha uma fantasia. De fato, eu não tinha sequer um adereço para chamar de meu. E tentei comprar um boá vermelho gigantesco e glamuroso em um camelô próximo. Estabeleci um limite, apenas R$15,00, mas tendo fé que R$10,00 seria o preço. Ledo engano, pois, depois de uma cena patética correndo atrás de um ambulante fugindo do Choque de Ordem do Edurado Paes - eu não elegi esse cara! - pelas ruas, descobri que o preço do adereço era, pasmem, R$25,00! VINTE E CINCO REAIS!

Desolada, comprei um chapéu vermelho purpurinado, enfiei um colar havaiano no pescoço e segui para um bloco perto de casa. Bebi horrores, dancei como nunca, lavei a alma, até que um amigo gringo de uma amiga me encoxou no meio da muvuca do bloco! ENCOXOU. O abraço virou uma pegada na cintura e, enquanto alguém cantava as tristezas da Aurora não ser sincera, o gringo me encoxou de jeito. Me desfiz do aprochego e puxei um papo, mas, não sei como, o nome da pessoa que partiu meu coração em um milhão de caquinhos esfarelados surgiu no assunto e ele me perguntou: "É seu namorado?". Disse sim. Aí, disse não. Aí chorei e saí pra comprar cerveja. Patética é meu nome do meio.

Lembrei de um dos meus primeiros carnavais bebendo, quando um desconhecido apertou minha bunda e saiu correndo e eu só consegui chorar! Gente, foi a mesma sensação. Me senti roubada, desarmada, ofendida, lesada de todas as formas possíveis. Não só pela encoxada, mas pela recordação do ex. Okey, ele não tinha como saber, mas eu nunca disse que era racional, então coloco a culpa no gringo.

Atenção meninos, fica a dica, encoxada não é legal! Passar a mão não é legal! Bruxinha Beiçola do meu coração, seu último post traduziu minha vida! Essa libertação do Carnaval é muito absurda! Olha, eu já pulei três vezes do palco do Circo Voador, em um show de skacore - é, existe - usando uma mini saia carinhosamente apelidada de cinto por minha melhor amiga e NADA ME ACONTECEU. Foram três moshes, três oportunidades de passar a mão em qualquer parte do meu corpinho (que na época era mais jeitosinho do que hoje em dia, mas isso é papo pra outro dia), mas a massa de marmanjos foi super agradável com a menina bêbada da primeira fila. Depois aparece gente pra dizer que "roqueiro" (odeeeio essa expressão) é tudo maluco, drogado e porra louca. Desculpe aê, mas só passei por situações desagradáveis com pitboys na minha vida.

Eu faço sempre esse discurso e aparecem várias meninas para concordar comigo. Levantam a bandeira do respeito à mulher e queimam sutiãs em praça pública. Aí eu lembro que um conhecido me disse que pegou uma menina da forma mais absurda possível, ontem mesmo. Ela estava comendo um salsichão e colocando molho de alho como se não houvesse amanhã. Então, antes que a menina desse a primeira mordida, ele virou para ela e disse: "Me dá um beijo antes do bafo?". E A MENINA DEU!! Olha, não é moralismo e anti-carnavalismo não, mas a gente deve se valorizar mais! Bate no peito para dizer que merece respeito? Então se respeite primeiro. Porque são essas meninas, que pegam o primeiro que faz a pior piada do mundo, que provocam esses assédios horrorosos. E eu, que não saio por aí vestida de enfermeira piranha pelo Carnaval, recebo encoxadas de gente esquisita.

Fico passada com essas histórias de pegações de Carnaval na base "do que vier tá valendo!". Eu conheço casos de lindos e respeitosos amores de carnaval que rendem. Minha melhor amiga conheceu seu namorado nesta época. Já haviam se cruzado, conversado bastante e bebido horrores antes da coisa ficar carnal. Até que no Carnaval ela descobriu seu pierrô apaixonado. Eles estão há um ano juntos e felizes. Aliás, têm uma interação invejável, e tudo isso brotou no Carnaval. Com respeito e muito carinho.

Eu repito, não sou uma louca moralista, mas clima de micareta NÃO DÁ. Eu não compro essa idéia. Hoje é o último dia de folia e esse texto é meio retardatário, né? Mas fica a lição para o ano que vem. Cuidem-se, vivam a vida, mas se valorizem, gente. Eu estou na merda, mas estou curtindo o melhor Carnaval da minha vida com dignidade. Estou pulando, bebendo e cantando na companhia de grandes amigos. É o melhor que posso fazer para curar as dores do coração. E, admito, estou bem. Mas se passar a mão na minha bunda ou tentar esfregar seu pênis em mim, seu feriadão vai acabar no pronto-socorro. E, eu juro, uma reconstituição de órgão genital deve ser uma operação cara e dolorosa.

Para me enviar letras de marchinha e samba-enredo ou me perguntar como consigo encarar blocos de Carnaval + cervejas no buteco até às 2 da manhã + porrada nos playboys babacas, envie um e-mail para patsy@corporativismofeminino.com

Besos, besos e boa ressaca!

Continue Lendo...
Postado por Patsy às 01:00 0 comentários

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Aos foliões

Hoje é segunda-feira de carnaval, o que significa que pelo menos metade do país está colhendo os resquícios de um fim de semana inteiro de farra. Claro que existem os sortudos, que tem mais dois dias de árdua batalha pela frente, então achei válido um post com um pouco de utilidade ébria pública.

Vamos lá!

10 dicas contra a ressaca



Antes
1. Comidas leves ou uma colher de azeite antes de começar a beber podem ajudar a diminuir a absorção do álcool pelo estômago
2. Fique de olho no bíceps do barman mas também em como ele prepara a caipirinha. Alguns comerciantes usam destilados caseiros, que podem estar contaminados por metanol, disfarçados em garrafas de marcas conhecidas. Cuidado com a higiene também. O mesmo vale para o gelo da bebida. Fuja deles!

Durante
3. Não tente matar a sede com cerveja. Alterne com bastante água ou sucos. Não ficar de estômago vazio enquanto bebe também é uma boa. Vale comer petiscos leves e sem exagero.
4. Escolha bem: vinhos brancos e licores claros são mais seguros do que vinhos tintos e licores escuros, que estão cheios de congêneres (outras substâncias da bebida além do álcool, que podem causar dor de cabeça)
Depois
5. Água é a melhor solução: ajuda a hidratar o corpo e eliminar o álcool do sangue. Não caia naquela história do "nada como outra bebida para curar a ressaca"
6. Banho frio ativa a circulação sanguínea e melhora a sensação de corpo "quebrado" (mas esse eu não encaro, confesso)
7. Para a dor de cabeça, evite analgésicos à base de ácido acetilsalicílico (como a aspirina). A mucosa do estômago já está bastante irritada. Os que contêm paracetamol (Tylenol) ou dipirona (Novalgina) são menos prejudiciais.
8. O café, uma das soluções caseiras mais adotadas, ajuda a contrair os vasos sanguíneos, mas em altas doses causa gastrite.
9. O corpo já está bastante desidratado. Fique em repouso e não pratique exercícios físicos.
10. Essa é para a ressaca moral: se passou dos limites, dormiu com o Brad Pitt etílico e acordou com o Tiririca, DELETE e não conte para ninguém. Se algum conhecido presenciou, negue, inclusive sob tortura e até a morte. E relembre algum podre dessa pessoa para lhe calar a boca.

Minhas dicas só alcançam até aqui. Nada posso contra o sapinho, o boa noite cinderela, puladas de cerca e amores imprudentes de carnaval. Pessoal, manerem hein!

Dignidady no carnaval, acho válido.



Continue Lendo...
Postado por Mel às 07:00 0 comentários

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Carnaval


Pois é, domingo de carnaval e muita gente deve estar de ressaca. Muita gente está bebendo todas desde a sexta – feira.
Acho “lindo” quando certas pessoas se escondem atrás da bebida e do famoso hábito “no carnaval pode”. Escondem-se para fazer tudo o que gostariam de fazer durante o ano, mas, a obrigação social de ser bonzinho, reprime.

A palavra “carnaval” parece ter um sentido quase mágico em algumas pessoas, como se elas voltassem ao passado e tivessem um comportamento “tribal”.

Quer coisa mais arrogante do que cantada de carnaval? Você simplesmente não pode negar, “porque é carnaval”.

“Relaxa gata, é carnaval”.

“Pois é, chama a sua mãe então”.

Já me aborreci demais por conta disso. As pessoas acham que podem tudo, até beliscão na bunda eu já tomei... e olha que eu estava apenas passando pela rua que dá acesso onde eu, de fato, moro. (rua transversal à principal rua do bairro, que, por sua vez, fecha para carnaval de rua).

Carnaval assim não é para mim, não acredito que você pode fazer o que quiser e bem entender no período de quatro dias. Isso é Bizarro.

Eu adoro fantasias, acho festa à fantasia muito legal mesmo e sempre me pego namorando a idéia de organizar uma no carnaval. Mas, aí eu lembro que metade dos meus amigos passou o ano inteiro pagando um pedaço de pano, chamado Abadá, pagaram mais 50 reais para “customizar” o tal pedaço de pano e está Brasil afora, pulando nos trios da vida. É, tem gente que curte muvuca... eu não.

Tem coisa mais chata que desfile de escola de samba? Será que é por isso que me chamam de “carioca doida”? Ah sim, por ser carioca, tenho obrigação de gostar de ver um monte de pena pintada, sobre algum tema nada interessante e, ainda, precisar da ajuda dos locutores da rede bobo para entender o contexto.

E as celebridades carnavalescas? Essas sim! Viveram o ano inteiro em função de míseros quatro dias que, na semana seguinte, já foram esquecidos.

Não me chamem para acampar na Ilha Grande (aqui no Rio mesmo), porque eu gosto de cama e chuveiro com água quente.

Meu sonho é passar o carnaval em Bonito-MS.

Sim, a bruxa é fresca! E com muito orgulho!


Carnaval não é a minha praia, sorry!

Beijos e bom carnaval para quem curte.

B.Beiçola

**********************************************************************************


Para contribuir com a minha viagem à Bonito, organizar uma festa à fantasia, ou, apenas dar um olá, escreva para bruxinha@corporativismofeminino.com

Continue Lendo...
Postado por B.Beiçola às 08:00 2 comentários

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Creuza indica bugingangas para o cabelo


Algumas coisas baratinhas (e outras nem tanto) podem dar um TCHAM no seu cabelo.

Não deu tempo de passar no salão? Basta fazer um coque desalinhado e adorná-lo com tic-tacs! Ou usar um belo laço. Tá usando uma roupa mais discreta? Então ponha uma tiara extravagante para compor o visual. Solte a imaginação. Selecionamos algumas dicas. Mas você pode comprar um laço pronto, por exemplo, e colar numa tiara fininha e discreta. Ou comprar uma tiara larga e envolvê-la com um tecido (como mostrado na tiara 4 de bolinhas da imagem abaixo). Botões grandes para roupa podem dar um quê especial ao seu tic-tac. A dica é o uso da cola de artesanato, encontrada em papelarias, para que você possa customizar as bugingangas de cabelo.

A tiara abaixo custa mais de R$500,00, mas você pode fazê-la sozinha. Basta comprar um MEGA adereço de sua preferência e uma tiara fina/lisa e mãos à obra. Veja que a moça usa o cabelo preso e desalinhado, no entanto conseguiu estar pronta para uma festa!



Assim como você pode comprar "pentinhos", tic-tacs, grampos bem baratos e decorá-los com florzinhas, como estes que são importados e custam a bagatela de U$ 100,00 cada.
Veja o efeito dessas coisinhas que parecem de nada vistas sem estar nosso cabelo:


Mas se você não quiser meter a mão na massa e comprar tudo feito, afinal você PODE e tem dinheiro, recomendo a Acessorize:



Continue Lendo...
Postado por CF às 18:24 0 comentários

Promoção PRORROGADA

A pedido das leitoras, prorrogamos a promoção "O Diabo veste prada, renner, C&a...". Então ainda dá tempo de você enviar sua frase e concorrer ao livro "O Diabo Veste Prada" da escritora Lauren Weisberger!

Complete a frase: "Para ser elegante não é necessário vestir prada..." e envie para promocao@corporativismofeminino.com com o endereço do seu perfil OU deixe a sua frase aqui mesmo, nos comentários com o endereço do seu perfil (para que possamos identificá-lo).

ATENÇÃO: O participante deverá estar acompanhando o blog ou fazer parte da nossa comunidade no orkut: aqui!

Sinopse do livro: Andrea Sachs sai da faculdade e consegue um emprego cobiçado pela maioria das garotas: será assistente da poderosa editora Miranda Priestly, da revista Runaway. Mas a mulher é um verdadeiro demônio. Além de fazer toda a sociedade nova-iorquina temê-la por seu poder e erguer ou destruir uma carreira, transformar a vida de seus subordinados em um verdadeiro inferno, exigindo as tarefas mais absurdas 24 horas por dia.

Continue Lendo...
Postado por CF às 12:16 0 comentários

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Porque apertei o copo entre os dedos.

Abalos sísmicos.


Foi assim que meu coração ficou, e foi assim que decidi levantar e ir embora. Vocês lindos leitores podem me bater na cara, se quiserem. Heleninha é uma idiota, merece ser apedrejada em público. F-A-T-O.

Sim eu dei a trecentésima oitava chance pro garoto do teatro de fantoches (vejam o post), eu tenho coração, sou um amor, e como diria meu professor, pessoas boas tendem a ser tontas.

Oras, estávamos conversando, e abalei sua hombridade chamando o de bichinha bulímica comedora de frango à parmegiana (nunca disse que eu era gente boa), já que o intimei para vir na minha casa - vir na minha casa, sabem? Comigo sozinha nela!!!!! - e ele disse que não ia, e foi descongelar o tal frango, à meia-noite, porque estava com fome, e depois de comê-lo revelou que estava se sentindo um lixo humano. Mais uma noite assistindo TNT sozinha. Azar, azar.

Pois bem, disse que ele era uma bichinha bulímica, mas gente, eu juro que eu disse isso rindo muito. Juro pela mãe de todas as bonecas infláveis. Juro por Pamela Anderson.

Eis, que, ele olha para mim muito sério. Achei que ele ia tomar uma atitude, me pegar pelo braço e me dar umas palmadas "você vai ver quem é a bicha bulímica, minha piscininha", seria emocionante (L), selvagem, orgasmos múltiplos!

Mas isso só aconteceu no Fabuloso Mundo do Silicone da Heleninha. No mundo real ele suspirou de leve, e disse - espero de verdade que vocês leitores estejam todos sentados:

_ Não ia me foder no trabalho, chegando atrasado, por causa de uma metidinha.

Foi então que, apertei o copo entre os dedos, meus olhos se encheram de lágrimas que segurei até doer a garganta. Não ia dar o gosto de desabar ali, sou fraca mas tenho dignidade, beijos. Pensei uns 3 ou 4 segundos: jogar o copo? Não jogar o copo? Não joguei. Bati o copo na mesa, quando minha vontade era arremessá-lo e abrir uma xana com cacos de vidro no meio da testa do infeliz (vamo ri, gente), peguei minha bolsa, levantei e saí.

Não queriam me deixar sair sem a comanda, fiquei do lado de fora, esperando o infeliz pagar a minha conta, pra poder ir pra casa de TÁXI. Eu nem mesmo tinha vontade de me sentar no carro dele, embora ele tenha dito que me deixaria em casa, quando eu estava travando minha garganta pela segunda vez, do lado de fora do bar.

Anta paralítica que sou, fui com ele para casa (PEDRA, PEDRA, PEDRA NI MIM, VAMO RI BRASIU). Ele tentou justificar o injustíficável, dizendo qualquer coisa que agora nem me lembro mais o que foi. Disse para ele ficar quieto, estava com nojo dele, estava com nojo de mim. Terminou me chamando de infantil que não sabe brincar. Saí do carro e disse que não tinha mais nada para falar com ele. Nunca mais.

Nojo de mim. Juro. Cheguei em casa e tomei outro banho. Pode parecer coisa de Drama Queen, mas a sensação foi a de um estupro, de uma violação, mesmo que tenha sido com a minha moral e não com o meu corpo. Chorei uma meia-hora, era preciso pôr todo o veneno pra fora.

Logo mais esse ocorrido fará uma semana, e, felizmente estou desencanada, aliviada, feliz por não ter tido um relacionamento sério com uma pessoa dessas. O que ele disse mesmo que para ele tenha sido brincadeira, para mim foi de uma violência sem tamanho. Não, me desculpem, eu não sei brincar, eu levo tudo a sério. Já tive relacionamentos casuais e 90% deles envolveu respeito, foi tranquilo, gostei muito. Mas agora percebo também que, relacionamentos assim envolvem riscos que minha sorte não tinha permitido me deixar ver. Hoje vejo que o respeito entre nós jamais existiu e que eu deveria ter parado no terceiro encontro. Mas não, insisti. Hoje já sei que tipo de atitude tomar, tudo é aprendizado!

Tudo bem. Eu me arranho, mas eu carrego band-aid na bolsa.

e um tema mais ameno pra próxima sexta, EU JURO.

Para uma passagem só de ida para o Fabuloso Mundo do Silicone ou para a Macholândia:
heleninha@corporativismofeminino.com
(vamo lá Brasiu, minha caixa de e-mail tá fazendo eco eco eco)

agora tb com ORKUT:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=11331418238189250417
pode add e pode mandar buddypoke.

Para você, que me ama,
Heleninha.

Continue Lendo...
Postado por Heleninha às 00:01 0 comentários

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Céus, tô grávida !?!

Vamos abrir espaço para um relato da nossa amiga Mula Neurótica hoje:


Quando a Anália fez esse post sobre aborto, eu coloquei minha posição favorável. Apesar de ser a favor, na ocasião, eu sinceramente não tinha uma opinião formada sobre se eu seria capaz de abortar ou não, até porque, sempre fui xiita com essa história de sexo desprotegido, sempre achei uns absurdos adolescentes de 15 anos engravidando, e mesmo nunca tendo me colocado nessa situação, já era a favor da legalização.

Mas já diria Josef Climber: A vida é uma caixinha de surpresas, e belo dia, eu me vi em uma situação que me fez pensar nisso.

Não era pra ter sido um sexo desprotegido, mas eu não tomava anticoncepcional, e a impressão que tive foi que o dito cujo tirou a camisinha antes terminar o serviço – eu só percebi isso depois.

O dito disse que não gozou dentro, mas sabemos, que ainda assim há uma probabilidade de engravidar. Minha ficha caiu 24 horas depois, quando saí desesperada atrás de uma pílula do dia seguinte durante a madrugada. Tomei a PDS, e fiquei tranqüila por uns dias.
A próxima menstruação após PDS adiantou muito, veio 5 dias depois de tomar a pílula, um fluxo bem menor e bem diferente do normal, sem as cólicas que normalmente sinto.

Não me preocupei, pois isso é normal depois de tomar uma bomba de hormônios. Pensei, daí recomeça meu ciclo, e daqui no máximo 26 dias devo menstruar novamente (Meu ciclo é sempre adiantado).

Passado os tais dias, nada na monstra aparecer. Comecei a pesquisar e vi que tem casos de mulheres que mesmo grávidas ainda menstruam por uns meses. Entrei em pânico completo. Minha menstruação não só estava atrasada, como não dava nenhum sinal de que estava por vir (inchaço, seios doloridos, NADA, nenhum sinal da monstra chegando).

Nas inúmeras pesquisas que fiz, li que é normal o ciclo menstrual ficar desregulado após tomar a PDS devido a alta quantidade de hormônios contida nela, fazendo com que as próximas menstruações adiantem ou atrasem. Mas não adiantava ler nada disso, eu estava grávida, só a menstruação me tiraria desse pânico.

Não pensei duas vezes em comprar um teste de farmácia, fiz o teste e deu negativo. Isso me deixou tranqüila por...umas duas horas, haha.

A única coisa que consegui pensar foi em ter saído de todas essas estatísticas.

* Céus, faço parte dos 10% que engravidam mesmo quando não tem gozo dentro, dos 10% que toma pílula do dia seguinte e mesmo assim engravidam, do 1% de mulheres que menstruam mesmo estando grávidas, e do 1% de mulheres que tem falso-negativo no teste de gravidez. Cara, se for menina vai se chamar Vitória!

Lendo tudo isso hoje, me parece um absurdo ter me preocupado com gravidez mesmo com todas essas condições estatísticas. Mas na ocasião, não me parecia nada absurdo. Fui completamente dominada pelo medo.

No fim, essa história toda me fez pensar muito sobre toda essa situação de gravidez indesejada, imaginei minha vida desestrutura de todas as formas possíveis. Caiu-me a ficha que por mais que tenha cuidado, às vezes acontece, e a gravidez pode chegar como uma bomba na vida de qualquer uma. (Claro, esses casos são minoria, na maioria das vezes o que vemos é imprudência mesmo).

E com tudo isso, cheguei à conclusão, que mesmo sendo a favor, EU não faria um aborto nas condições existentes hoje no Brasil.
Não pela ética, pela consciência ou pela vida do feto (ok, me chamem de insensível) . Mas afinal, com toda essa quebra de estatísticas que teriam acontecido se eu realmente estivesse grávida, provavelmente eu também fugiria das estatísticas dos abortos bem sucedidos, morreria de hemorragia ou algo do tipo.

Mas sim, se fosse legalizado, se instituições confiáveis realizassem esse tipo de procedimento, eu o faria.

E não, eu não estava grávida. E digo com propriedade, nunca mais quero saber de sexo sem anticoncepcional. Não quero um filho. Não quero ficar a mercê de uma camisinha estourada. Quero me poupar da remota possibilidade de passar por isso novamente. É uma situação que não desejo pra ninguém.

Usem camisinha, tomem anticoncepcionais e se possível coloquem um DIU simultaneamente. (tá, exagerei).


* algumas dessas estatísticas foram chutadas


Ass. Mula Neurótica

Continue Lendo...
Postado por CF às 11:43 4 comentários

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Com uma pequena ajuda...


Ter amigos é uma coisa que supera as barreiras da individualidade. Ter amigos é uma das poucas coisas que me sustenta. Eu admito estar passando por um momento trevas na minha vida, daqueles que te fazem pensar "porra, o que eu faço agora, para onde vou?". Ficar sem rumo nunca é divertido, mas experimenta mascarar a realidade com alguma dose de álcool e carinho dos amigos mais próximos e tcharam!

Você vai se sentir melhor.

Não irá resolver seus problemas, mas vai acomodar seu coraçãozinho.

Você vai se sentir melhor.

Esse é o único consolo que você pode esperar. Algumas dores e desilusões só passam com muito tempo de maturação, mas elas podem ser amenizadas. E quando eu falo do álcool aparece gente que discorda, porque acha que o retorno à realidade pós álcool é pior do que a queda que te levou a surtar. Meus amores, isso só acontece para quem para de beber, fica a dica. Não estou tentando ser a alcoólatra louca que estimula as pessoas a chafurdarem nas drogas lícitas, mas elas ajudam, viu? Fiz até uma tabelinha para vocês:

Álcool------------Tipo de dor
cerveja-----------dor fraca - você fica bobo alegre contando seus problemas pra estranhos.
vodca ------------dor forte - para pessoas introspectivas, como eu.
drinks------------cortar o dedo no papel - se está sofrendo, procure uma bebida de verdade.
uísque------------dor mutilante - o melhor de todos, catalizador de emoções.

Durante duas semanas eu não existi, mas sobrevivi no mundo - já antecipando o que viria a acontecer na noite de ontem - com a ajuda incondicional dos melhores amigos que existem. Eles ignoraram temporariamente meu desejo de parar de fumar e acenderam meus cigarros, ignoraram as minhas lágrimas e derramaram vodca em minha garganta. Não falaram nada, não debateram o assunto fatídico, não me perguntaram como eu estava me sentindo. E isso não é uma coisa ruim, veja bem, eles sabem como eu sou. Tudo bem, como retribuição eu vomitei o banheiro da minha melhor amiga e só avisei pelo blog, coisa de bêbado. Mas, mesmo assim, eles respeitaram meu tempo e eu acabei me abrindo. Adoro gente que entende meu timming.

Hoje eu vou precisar deles de novo e mais do que nunca.
E vou seguir cantarolando pelas ruas:

What would you think if I sang out of tune?
Would you stand up and walk out on me?

Lend me your ears and I'll sing you a song,
And I'll try not to sing out of key.
Oh, I get by with a little help from my friends,
Mm, I get high with a little help from my friends,

Mm, Gonna try with a little help from my friends.

What do I do when my love is away? (does it worry you to be alone?)
How do I feel by the end of the day?
(are you sad because you're on your own?)
No, I get by with a little help from my friends,

Mm, I get high with a little help from my friends,
Mm, Gonna try with a little help from my friends

E eu vou pedir desculpas a vocês por estar toda xoxa, mas não tem como não ficar. Tive, de última hora, que abandonar o post que faria hoje e travar uma batalha com um pc louco para deixar só um recadinho pra vocês: amigos são, mesmo, a família que você escolheu, então, escolha bem e cuide com carinho.

Para me consolar virtualmente, mande um e-mail para patsy@corporativismofeminino.com

Besos, besos
Patsy


Continue Lendo...
Postado por Patsy às 11:45 0 comentários

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Sobre homossexualidade ou, simplesmente, HONESTIDADE

A homossexualidade vem sendo encarada com muita desenvoltura. Embora as mulheres sejam as que mais "saem do armário", os homens têm se mostrado dispostos a não viverem um casamento de fachada para agradar Papai e Mamãe.

Todo mundo diz que não tem preconceito, mas e quando seu filho é homossexual? E quando você descobre que sua melhor amiga gosta de meninas? Ou quando você se interessa por um gay? Como encara, como os encara?

Sempre estive na presença de homossexuais masculinos. Além de serem criaturas divertidíssimas, conseguimos encontrar a sensibilidade neles, o que os torna grandes companheiros. Há uma personalidade usual para a maioria deles, ao menos, identifiquei isso pela minha vivência: São fiéis e defendem a causa de seus amigos com unhas e dentes. Mas, caso você aja de maneira vil, ele, certamente, não hesitará em trucidá-la! Acho que todos são bem intensos. Mas, vejam, estou rotulando, não é mesmo? Estou atribuindo valores e personalidades às pessoas que sentem desejo por alguém do seu mesmo sexo.

Antes que eu me desprenda em rótulos, ideais cristãos e outras vertentes, quero levar o texto a seguir...

E se seu filho for homossexual? Geralmente as pessoas dizem que não querem que seus filhos sejam homossexuais para que não sofram, não sejam rejeitados e toda a parafernália de justificativas que puderem. O intuito é apenas não ser apontado "Ó, ele é homofóbico!". E ainda se ouve coisas, como "Ah, mas daí ele não poderá me dar netinhos". Todo mundo acha bonito, entende e página virada. Não que eu não compartilhe da ideia com todas essas frases de "vamos sair pela tangente" empregadas por pais e mães, MAS merecíamos um pouco mais de honestidade...

Convivo com uma mãe de um adolescente que encontrou fotografias pornôs de homem com homem nos seus cadernos escolares. De início, se envergonhou diante das provas e silenciou. Finalmente, numa discussão cotidiana despejou e o humilhou na frente dos outros, cuspindo o ódio por entender que seu filho era, sim, homossexual. Perguntas, como "Quer dizer que você quer dar a bunda?" foram proferidas.

A intenção era inibi-lo para práticas homossexuais, mas, por fim, decidiu que iria afastá-lo para que, possivelmente, ele se tornasse um adulto enrustido e revoltado com seu desejo. Pensou na igreja, "Ora, lá eles dirão que é contra as regras de Jesus esta prática. Depois veio o psicólogo "... Mas lá eles dirão para que faça o que sente vontade, vão encorajá-lo à prática. Isso não!".

Investigando as duas vertentes, ela decidiu a igreja. A mesma que tem uma longa história de homossexualidade no seu currículo.

Uma mãe inconformada por querer os seus netos deve fazer o que estiver ao seu alcance. Porém o que me intriga é: Não dizem que as mães querem que seus filhos sejam felizes?

Sei que nada é tão simplório assim.

E quando você descobre que sua melhor amiga é homossexual? Você para de se trocar na frente dela? Acha que um abraço é um pretexto para roçar nos seus seios ou coisa do tipo? Fico sempre intrigada quando as pessoas acham que ao adentrarem numa boate GLS vão ser rasgadas, alisadas e amarrotadas por gente do mesmo sexo. Acho tão incrível, tão absurdo, tão engraçado. Às vezes, sinto vontade de dizer "Meu bem, e você nem é tão gostoso assim!". Há uma mistificação cretina relacionada a isso.

Sempre curti boates GLS, pela música, pela vibe, por tudo! E quando estamos solteiras não tem lugar melhor. Nunca tive nenhum desconforto com mulheres numa festa assim, já com homens hetero, confesso, eles conseguem ser muito mais desagradáveis e inconvenientes numa balada quando você diz que NÃO VAI ROLAR!

Portanto, heteros, parem de se superestimar numa festa GLS!

Não quero adentrar no mérito de que escolhemos nossa opção sexual ou se já nascemos com o desejo pelo que vemos no espelho (ou não). Não me cabe, não sou especialista e estou longe de querer ser a palmatória do mundo. Tenho tantos rótulos impregnados na minha própria pele que seria chacota dizer qualquer coisa inquisidora.

Só peço que sejamos mais honestos.

Continue Lendo...
Postado por Sarita às 10:06 0 comentários

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

É tudo culpa do álcool!




É sempre culpa do álcool, juro. Mas vem cá, tirando os sortudos que realmente NÃO GOSTAM de uma boa breja/vodka/ocaralhoa4, quem nunca pagou um mico por culpa de umas doses a mais?

No meu caso, vários micos por causa de várias doses a mais. Visualizem:

Episódio 1

Festinha particular, absolut vai absolut vem, e começa papo:

Amiga da DQ - Menina, parece até silicone.
DQ - Mas ó quem fala!
Amiga da DQ - Mas o seu é muito maior!!!
DQ - HÃ?? Nunca! O seu é beeeem maior!!!
Amiga da DQ - Você é louca? O seu ganha disparado.

*meia hora disso depois*

Amiga da DQ - Vamos tirar prova então.
DQ - Vamos.

*As duas levantam tropeçando*

Amiga da DQ - Fulano (namorado dela), vem cá tirar uma dúvida nossa.
DQ - Nananinanão, tem que ser alguém imparcial, nem o seu namorado nem o meu.
Amiga da DQ - Então chamamos o Sicrano.
DQ - Pode ser.

*5 minutos depois em um quarto: DQ e Amiga da DQ de blusas levantadas*

Amiga da DQ - E aí, Sicrano?
DQ - Anda, diz logo, o suspense está me matando!
Sicrano - Bem, olhando assim...

*Namorado da DQ abre a porta*

Namorado da DQ - MAS QUE PORRA TA ACONTECENDO AQUI???

____

Episódio 2

Aniversário de um amigo, todo mundo comportado comendo uma porção de sei lá qual peixe frito, e eis meu papo interessantíssimo com o cara do lado:

DQ - Mas poxa vida, ele tem olho! *digo indignada segurando um pedaço do pobre bichinho frito*
Cara do lado - É, ele tem olho.. *coçando a cabeça*
DQ - Mas assim, porque essa maldade com o coitado? Ele é um ser vivo, quer dizer, era né, tinha até olho.
Cara do lado - Você é vegetariana?
DQ - Não, mas devia ser. Aliás, todo mundo deveria.
Cara do lado - Pois é. *bocejando*
DQ - Ninguém vai comer isso mais não!

*Levanto, pego a bandeja da mesa e corro*

DQ abraçada com a bandeja de peixes fritos - Vocês estão a salvo agora, bichinhos.

*Um amigo vai atrás*

Amigo da DQ – Drama Queen, devolve a bandeja, o pessoal está te olhando torto.
DQ - NÃO VOU DEVOLVER NADA! BANDO DE ASSASSINOS! *gritando para o pessoal na mesa*
Amigo da DQ - É o ciclo da vida, cadeia alimentar, essas coisas...
DQ - Mas eles têm olho, OLHO! *chorando*
Amigo da DQ - Lógico que eles têm olho, queria que eles nadassem em braile?!

*DQ ri, chora, ri, chora, chora, chora, ri, ri, chora...*

______

Episódio 3

... pensando bem, melhor não contar o episódio 3. Estou ficando com vergonha só de lembrar, isso porque desse eu lembro, tem os que narram pra mim depois e eu digo que nunca aconteceu, nego até morte.

O pior nem é isso, o pior é a ressaca moral. No dia seguinte (ou na festeenha seguinte), as pessoas fazem questão de te torturar com piadinhas. No final de semana passado, por exemplo, eu tive que aturar de pelo menos 15 pessoas: “Você quer a glicose agora ou é melhor tomar no hospital mesmo?”, tudo por conta de um coma alcoólico sofrido na semana anterior. Bobagem, sabe? :P

Por isso, crianças, não bebam. Eu parei de beber. Tá certo que é a 6ª vez só esse ano, mas um dia eu chego lá! E aí, meus amores, nada de ressaca moral.

Bom, se dessa vez eu não conseguir, continuo colocando a culpa no álcool.


***

Para rir da minha cara, contar suas histórias de bebum ou chamar pra tomar um chopp: dramaqueen@corporativismofeminino.com



Continue Lendo...
Postado por Yasmin às 00:01 0 comentários

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Um Ode ao Sílvio Santos

Grande Sílvio, freqüentador assíduo do nosso blog, autor das melhores marchinhas de carnaval e presença marcante da minha infância!

Quem nunca quis brincar de “Boa Noite, Cinderela”, antes de essa expressão tornar-se perigo de assalto e estupro?
Quem nunca quis brincar de atirar a bola para o alto e pegar o maior número de brinquedos possíveis?
Quem nunca quis trocar uma bicicleta por um “milhão” (que era uma espiga de milho gigante)

Vocês não se lembram disso? Ah, é porque então vocês não são da época da titia bruxa aqui.
A comunidade “SBT Formou o meu caráter” é a melhor do Orkut. Sim, graças ao tio Sílvio, Chaves e Chapolim ainda são líderes de audiência.

O cara é tão bom, que era camelô no Rio de Janeiro, vendia pente no centro da cidade e, hoje em dia, é dono de uma emissora... Tá certo, meio capenga, mas melhor do que ser camelô.
Ele já foi candidato à presidência da República, vocês lembram disso? Se ele não tivesse retirado a candidatura, certeza que teria sido eleito!

Graças ao “Sil”, eu pude assistir a trilogia Maria Mercedes, Marimar e Maria do Bairro. Se não fosse o Silvio, como eu teria visto as maldades de Maria Joaquina contra o pobre Cirilo?
Como viver sem o SBT? Como não ver o Topa Tudo Por Dinheiro sem rolar de rir com as pegadinhas e não sentir vontade de cantar e girar em ritmo de festa?

E a Casa dos Artistas, minha gente? Vai dizer que vocês não assistiram? DU-VI-DO.


Tenho certeza que muita gente vai se identificar com esse texto.

Beijos e uma excelente semana, em ritmo de festa!
B.Beiçola

“Ritmo de festa que balança o coraçao
Festa divertida,colorida de emoçao
Dia de alegria,então sorria e vem pra cá
A festa continua a casa é sua pode entrar
hey,hey,hey,hey,hey
hey,hey,hey,hey, hey
Ritmo,é ritmo de festa
Ritmo,é ritmo de festa
Ritmo,é ritmo de festa”


E para fechar, um dos melhore vídeos de TODOS os tempos:

http://www.youtube.com/watch?v=7Nkvvo4RvGw


$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Para contratos com o SBT, novelas mexicanas e remake de “Carrossel”, entre em contato por: bruxinha@corporativismofeminino.com




Continue Lendo...
Postado por B.Beiçola às 11:32 0 comentários

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Entrando na faca


Eu nunca entendi a paixão das mulheres pelo silicone.

Não me atirem pedras, mas acho horrível melões saltitando do decote. Sem contar as dores na coluna, a busca por um sutiã que não fique desconfortável, as tentativas frustradas de usar uma blusa comportada, mas tudo parecer ter a intenção de ficar sexy...
Antes que as/os atiradores de pedra de plantão digam que é inveja, afirmo que posso falar com propriedade sobre o assunto, já que tenho um airbag de fábrica, minha numeração para a parte de cima da lingerie é 48.

Ja passei por tantas situações constrangedoras por causa disso, ahhhhhhh se passei. Certa vez, no banheiro da faculdade, uma moça disse: "Isso é silicone? São lindos? Aliás, você é linda!" Só faltou pedir pra apalpar e me pedir para ir pra cama com ela. C-O-N-S-T-R-A-N-G-E-D-O-R!
Sem contar quando eu precisava de um bíquini baratinho para levar em uma viagem e tive que desembolsar R$ 200 em um bíquini da Água de Coco, pois o sutiã foi o único que coube em mim.

Depois de anos de merditação, resolvi procurar um cirurgião plástico. Sim, resolvi fazer a cirurgia de redução de mama. Contraditório, eu sei, mas não nasci para estar na moda. Pretendo ficar com a numeração 44. Claro que são só pretensões, quem vai dizer o que é ideal para mim é meu médico, tudo isso de acordo com meu peso e altura.

Pesquisei em alguns sites e meu médico também confirmou: a cirurgia é relativamente descomplicada. A anestesia pode ser geral ou peridural e a cirurgia tem duração de até 5h. Quanto à cicatrização, a mesma parece fácil também, já que é indolor e com o tempo a cicatriz fica quase imperceptível.

Sou totalmente a favor de mudanças que tragam o bem estar que tanto almejamos. Procure a sua! Pode ser um esporte que você queira fazer faz tempo, uma tintura nova no cabelo ou até... uma cirurgia! Mas que fique bem lembrado que entrar na faca só é uma possibilidade plausível se você não tem outras alternativas!

Como vocês podem perceber, só postei o ANTES. O DEPOIS virá em julho, provavelmente.


- Para elogios, xingamentos e depósitos na conta bancária: analia@corporativismofeminino.com -

Continue Lendo...
Postado por Anália às 00:01 0 comentários

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Personal Jesus



Não, esse post não tem nada a ver com nada. É que eu estou ouvindo Personal Jesus e achei que daria um bom nome. Este post é sobre minhas peripécias de carro. Quando fiz 18 anos, meu sonho era dirigir, ir pra "balada" dirigindo, voltar louca de bêbada pra casa e tudo mais. Fiz 18 anos e não fui fazer auto-escola. Meu pai dizia que eu não tinha capacidade (brigada pai, formador de cárater, beijos). Fiz 19,20,21...e fui deixando pra lá, pra lá.

No fim, não era ruim, todo mundo que eu conhecia tinha carro, era carregada para lá e para cá e simplesmente esqueci que devia dirigir. Aos 22 resolvi ser gente e fazer auto-escola. Reprovei 3 vezes no exame de vista, quase desisto. Mas o pior ainda estaria por vir. Quando comecei a fazer aulas práticas, minha vida desandou. Perdi um namorado que amei muito (e desde então meu coração tá fechado para balanço), tive anorexia nervosa, minha sobrancelha caiu, minha vida profissional estava um lixo, a minha vida se resumia a pensar se eu me jogava da sacada - não, muito baixo - me enforcava no lustre, ou tomava comprimidos para dormir "para sempre".

Lógico, Heleninha aqui é uma pessoa anormal. Juro por Deus, a minha idéia não era dormir para sempre, uns 3 dias estava bom, eu sempre fui cagona pra morrer, sempre peço pra PELOAMORDEJESUSCRISTINHO, morrer dormindo e bem velhinha, de preferência. A monga achou que podia dormir "para sempre por 3 dias" tomando remédio para infecção urinária. Era a única coisa que eu tinha à mão. Resultado: fiquei pilhada a noite toda, ansiosa para dormir "pacaralho". Ganhei uma lavagem estomacal de brinde e um cartão de uma psicóloga.

É, eu não estava pronta para dirigir ou para fazer qualquer coisa. Fiquei proibida de tomar remédios de comprimidos, passei quase um ano tomando só gotas e olhe lá, sempre na frente de alguém.

Pois bem, este ano eu faço *hmm cof cof cof, 26 anos. Tenho carro há um ano, e não conseguia ir até a panificadora com ele. Só de sair pelo portão me dava vontade de vomitar. Suava, tremia, pânico de fazer cagada. A verdade é que reprovei 5X no exame prático. Às vezes pensava que meu pai tinha razão, que eu não era apta mesmo. Só que estavam todos errados. Segunda-feira passada comecei um novo emprego, e me vi obrigada a dirigir.

E, hoje, sexta feira, fazem 10 dias que estou dirigindo. Loucamente. Pela cidade toda. Estacionando e manobrando, fazendo RAMPA, gente vocês tem noção do que é o carro não morrer na rampa? É um sonho realizado, no mínimo. Eu sei, é um sonho bobo, no fim das contas todo mundo acaba tirando carta um dia. Só que pra mim, dirigir tem um sabor especial... de vitória!


*para cartão Ipiranga, me chamar de barbeira e dizer que eu não sei fazer baliza em público:
heleninha@corporativismofeminino.com.br


*Inflável sim, e com orkut também!
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=11331418238189250417

beijos e até a próxima sexta;

Heleninha.

Continue Lendo...
Postado por Heleninha às 00:01 0 comentários

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

É o fim... DELE!

TÉRMINO DE NAMORO e como se não bastasse a gastrite, a pergunta das tias "Cadê o namorado?" e as investidas cretinas de homens na balada, ele...

ARRANJOU OUTRA EM MENOS DE 1 MÊS. Ok, sei que a auto-estima fica abaladíssima, você se pergunta onde errou e o que há de errado com você. E eu respondo tranquilamente com ''NADA''. O erro, possivelmente, é dele que SAIU de um relacionamento há menos de um mês e já se meteu noutro. Cretinice das boas. Não caia NA MESMA, não entre num relacionamento DE CABEÇA sem saber a PROFUNDIDADE do que você sente (metáfora de bebum detected). Cuide de você. Aproveite a solterice, reúna as amigas, faça viagens e DECIDA o que sentir. Você não sabe, mas tem um mundo para ganhar.

Os menos otimistas pensarão que A OUTRA existia ainda quando eles estavam juntos. E toda a felicidade que compartilharam é desmerecida num passe de mágica, toda história é enterrada, tida como ERRO, DERROTA e FRACASSO. E daí você rememora alguns felizes momentos com náusea, achando que todos os atos foram fingimento!

Todos temos o direito de sofrer como quisermos, portanto SE você enxerga todo seu antigo relacionamento como perda de tempo porque dele não brotaram filhos rechonchudos ou um casamento transbordante... Acho que estamos com a síndrome da Princesa Encantada! Afinal, há um junção de relacionamentos que farão você estar pronta para um casamento, para a felicidade ou para outro instrumento de vida feliz ao lado do homem da sua vida.

Logo, o que você sentia passa de raiva para desejo de vingança. E desprezo? Desprezo só vem quando você o esquece de vez. O que significa que você se perfumou de nova fragrância e faz pouco caso do que ele pensa a respeito de você. Do contrário, fará coisas para provar para ele que o esqueceu!

E além de ter que conviver com isso, ele...

EXIBE A NOVA NAMORADA. Não, não é nada fácil. Provavelmente o seu ex fará questão de ostentar a nova namorada em lugares não só físico, mas também virtual, como Orkut, Fotolog e afins com o intuito de lhe provocar. Não caia na pilha, evite exibir o álbum do moço a cada 5 segundos.

Mostrar descompostura beijando qualquer UM para provar que também pode (que tem quem queira)... Não é nada inteligente, porque AFINAL você está preocupada com VOCÊ e não com um cretino-débil-mental.

Só que além disso tudo, ele..

LIGA PARA VOCÊ. Sim, é uma tática masculina: Manter a mulher em stand by para comer quando a noite estiver fria. Você será sempre a segunda opção. Ele pergunta como foi seu dia, elogia a sua voz (insira aqui algum elogio supérfluo), fala mal da moça que ele está "pegando". Você fica iludida, presa, achando que MAIS DIA MENOS DIA ele descobrirá que você é a MULHER DA VIDA DELE. Ok, se ele não descobriu ATÉ HOJE não vai descobrir mais. Mude de número, afogue o celular na privada, qualquer coisa.

Porém ele...

MOSTRA QUE MUDOU. Ele quer voltar. Muitas vezes quando é o cara que leva o pé na bunda SEMPRE quer voltar, coisa de macho, não sei. Então, os antigos vícios são abolidos, ele parece ser arrumar mais e, estranhamente, arranjou grana para fazer viagens incríveis. Você percebe então que despertava o pior do sujeito. Não caia, assim que você voltar para o rapazote, ele voltará a ser a criatura lamentável que você namorou.

Então, ele...

FICA AMIGO DE SEUS AMIGOS, geralmente com o intuito de queimar seu filme ou se aproximar. Não entre em pânico, não se mostre irritada. Esta é a pilha que ele QUER pôr no seu rabo. Não deixe de procurar seus amigos por conta dessa persona non grata que, por sinal, costumava falar MUITO MAL deles quando vocês namoravam.

Veja, aí acima listei coisas que ELE escolheu fazer e não atos que VOCÊ praticou. Então, pense comigo: Quem dá as cartas? Exatamente, então imprima a porra desse papel e limpe a bunda.

Continue Lendo...
Postado por Sarita às 01:00 1 comentários

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Eu googleio, você googleia, nós googleamos...

(home page do uol de maio de 1998)

*fugindo do tema mulherzinha, desculpaê!

Minha vida virtual começou em 1998, o plano de Internet discada que eu finalmente consegui fazer com que meus pais contratassem era fornecido pelo uol, custava algo em torno de R$ 12,00, e me dava direito a incríveis 4 horas mensais de acesso à Internet.

Era praticamente o milagre da multiplicação se virar o mês inteiro com 4 horas de Internet – ainda mais considerando a lentidão de uma Internet discada em um modem 14kbps.

Naquela época não existiam as redes sociais, o mais parecido que tínhamos eram os fóruns, que prevalecem até hoje. Mas a coisa felizmente foi evoluindo: Internet Grátis (saudoso IG e seu fofo cachorrinho!), Bate-papo, ICQ, MSN, blogs, fotoblog, o famigerado Google e por fim, as redes sociais.

Passei muito tempo tendo minha vida como um livro aberto na Internet. Assinava em fóruns com meu nome completo, mantinha meu nome completo nos meus blogs, entre outras informações, como idade, e-mail, MSN. Ok, nunca fui tão ingênua de colocar endereço e telefone, mas não precisou disso pra que certa vez me sentisse com a privacidade invadida.

Um sujeito que eu conheci virtualmente não-lembro-como (provavelmente em algum fórum que eu participava) simplesmente levantou a TODA FICHA DA MINHA VIDA pela Internet. Ele começou pesquisando pelo login de e-mail, e isso levou até meus blogs, CADA UM ELES, ELE ACHOU, confesso, que alguns, não sei como ele achou, nem eu lembrava que existiam! Com infomações conseguidas assim, foi possível que ele identificasse onde eu estudava, trabalhava, entre outras informações.

E em uma conversa de MSN, de repente o sujeito começou a dizer coisas sobre mim, coisas que nunca tinha dito a ele antes. Ele não fez qualquer ameaça, mas não tem como não se sentir ameaçada depois de perceber que alguém deu ao trabalho de vasculhar toda sua vida.

Foi aí que minha ficha caiu: Eu sou uma anta virtual! Se esse cara for do mal, ele tem poder pra foder comigo bonito – ele pode ir na porta da minha faculdade me seqüestrar, se quiser. Ele pode ligar onde trabalho e falar coisas sobre mim, ele pode me chantagear. "Puta que o pariu, eu to fodida né? Ele vai vender meus órgãos! Vou acordar em uma banheira de qualquer pocilga com 8 cubos de gelo no lugar do rim esquerdo!"

E o pior! Eu pouco sabia sobre ele, não adiantava googlear o login de e-mail dele, eu nada encontrava! Felizmente não era alguém com más intenções e não usou nada contra mim, mas isso serviu pra que eu largasse de ser uma toupeira virtual.

Desde então, tenho trabalhado pra me tornar uma pessoa um pouco mais anônima, o MSN que eu usava na época tinha meu sobrenome e já estava altamente googleável, parei de usar imediatamente, não uso mais meu nome completo em cadastro nenhum, meu orkut não revela nada mais do que futilidades sobre mim, e procuro não postar nos meus blogs informações como local de trabalho, faculdade etc.

E o outro lado da moeda? Eu também googleio. Eu googleio nome de conhecidos, procuro no orkut, e confesso, quando eu tinha que fazer seleção de funcionários na empresa, eu googleava o nome de cada candidato antes de chamar pra entrevista, além de procurar no orkut e analisar friamente cada perfil.

Esse post é mais um alerta, pra pensar no quanto a virtualidade pode nos deixar vulneráveis, felizmente eu percebi isso antes de perder um rim, mas poderia ter sido diferente.

Então, tenha cuidado, o próximo googleado pode ser você.

Continue Lendo...
Postado por B. às 00:09 0 comentários

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Top 10 Comédias Românticas

topNão tem jeito. Quando vou à locadora, dificilmente resisto à uma comédia romântica - e olha que há muitos gêneros que gosto mais do que esse. Nesse fim de semana, por exemplo, junto com Clube da Luta, não resisti e peguei P.S Eu Te Amo. Porque assistir filmes inteligentes é o máximo, mas quem não se derrete com um bom romance, leve e divertido? Ops! Quem disse mesmo que comédias românticas não podem ser inteligentes também?
Pra quem gosta de enlatados americanos (ou de outras nacionalidades, enfim) com uma boa dose de bom humor, criei esse Top 10 com algumas dicas de boas comédias românticas de 2009, pra locar naquele domingo sem graça e chuvoso que parece não ter salvação. Com vocês, as minhas 10 comédias românticas preferidas de todos os tempos! :)


10-) Letra e Música

Hugh Grant interpreta um cantor que fez sucesso nos anos 80, e que deve criar uma música a pedido de uma cantora que atualmente faz sucesso. Ele vê nisso a oportunidade de finalmente voltar aos palcos, o problema é que ele não cria uma música há anos! Drew Barrymore, a florista recém contratada para regar suas plantas, e invisível até então, irá ajudá-lo nessa tarefa. A música de abertura vai fazer você morrer de vontade de sair cantando: “Pop! Goes my heart...!” – além de fazer você rir, é claro. Uma comédia romântica bem mulherzinha, mas ainda assim, adorável.


9-) Hitch - Conselheiro Amoroso

Will Smith encarna um consultor amoroso bem sucedido, que ajuda homens com problemas de relacionamento a conquistarem as mulheres que desejadas. Até que, num dia desses, ele encontra a garota (Eva Mendes) que parece ser ideal, até quando ele não sabe que ela é jornalista e pode expor seu trabalho, que é secreto. Will Smith se prova um ator multifacetado, e seu carisma na tela surpreende. Um filme divertido, apesar dos coadjuvantes sem graça.


8-) O Amor Não Tira Férias

O que acontece quando Jude Law, Kate Winslet, Cameron Diaz e Jack Black estrelam o mesmo filme? O espectador fica preso ao filme, simplesmente. A idéia de mulheres diferentes (uma, jornalista traumatizada por um romance fracassado, outra, profissional bem sucedida na área de cinema, que aparenta ser durona) que trocam de casa para fugir do amor, amarra a trama e o desenrolar de dois romances diferentes dá certo. O filme se perde um pouco na duração longa, mas mesmo assim vale a pena. Com diálogos inteligentes e fotografia bonita. E a trilha sonora, bacanérrima, tem até Frou Frou. Vale a locação.


7-) Quatro Casamentos e Um Funeral

Clássica comédia romântica, obrigatória para quem curte o gênero. De 1994, se mantém como um ótimo romance moderna. Também com Hugh Grant, traz dois protagonistas adversos à casamentos, que descobrem uma solução original após muitas idas e vindas no relacionamento. Um filme premiado (recebeu duas indicações ao Oscar e ganhou um Globo de Ouro) e muito, muito engraçado.


6-) De Repente é Amor

Ok. Não há quem resista aos encantos de Ashton Kutcher, mesmo que seu papel seja bobo, como em comédias sem sal como “O Pai da Noiva”. Mas nesse filme, com sacadas geniais e cenas divertidíssimas, Ashton e Amanda Peet convencem. O filme parte do pressuposto já conhecido, um encontro inesperado entre os protagonistas – uma fotógrafa e um garotão, que acabam seguindo seus rumos e se reencontrando alguns anos depois. A cena da serenata de Ashton vale o filme todo, só pelas risadas. Outra trilha sonora bacanérrima: Butch Walker, Eagle Eye Cherry e até mesmo The Cure integram o set list do filme.


5-) Um lugar chamado Nothing Hill

Com a estonteante Julia Roberts, que por si só deixa qualquer filme mais interessante. Ela, uma estrela de cinema que se apaixona pelo dono de uma livraria, interpretado por Hugh Grant, o papa das comédias românticas. A trama, que de início pode parecer um pouco clichê, nos desarma com o script rico em bom humor e com a química do casal. O final surpreende.


4-) Como Se Fosse a Primeira Vez

Drew Barrymore interpreta Lucy, uma garota que, à noite, esquece o que viveu durante o dia, devido um acidente. A lesão cerebral é permanente. O bacanérrimo Adam Sandler vive um veterinário que precisa conquistar Lucy de alguma forma, apesar do seu problema. O tipo de filme que faz você pensar o que está fazendo com aquele ogro que esquece de ligar quando você está doente. Assista com o namorado: o bom humor do filme é irresistível!


3-) Harry & Sally: feitos um para o outro

Antigo, porém inesquecível. É considerado um dos precursores do gênero. A história é simples, e aí reside seu encanto. Dois adolescentes se detestam, se reencontram algum tempo depois e se tornam grandes amigos. Os diálogos inteligentes tornam o filme leve e interessante. O final você sabe desde o começo, e mesmo assim, é impossível não assistir o filme todo com um sorriso no rosto. Há motivo melhor pra assistir?


2-) Tudo Acontece em Elizabethtown

Um executivo (Orlando Bloom) conhece uma aeromoça (Kirsten Dunst) divertida na viagem que o levará ao funeral de seu pai. O roteiro é original, o script, livre de clichês escancarados, e os diálogos, inteligentes. O limite entre o trágico e o cômico é quase imperceptível, e este é um dos grandes trunfos do filme: combinar na dose certa bom humor e romance, com uma pitada de realismo. Uma comédia romântica definitivamente cinco estrelas, além de dona de uma das melhores trilhas sonoras dos filmes do gênero.


1-) Noivo Neurótico, Noiva Nervosa

Woody Allen! Precisa dizer mais alguma coisa? Ok, este é de 77, mas isso não tira em nada sua graça. O filme aborda o relacionamento de uma jovem cantora e um humorista judeu. Um filme bonito e inteligente, absolutamente uma das obras primas de Woody. Com Diane Keaton, vencedor de nada menos que 4 Oscars. Parada obrigatória para quem gosta de cinema, e, sim, não preciso dizer mais nada.


Essas são algumas boas comédias românticas para 2009, espero que gostem!

*** Para presentes (como dvd's), convites para ir ao cinema ou esculhambação pelo meu gosto cultural, mande um e-mail para penelope@corporativismofeminino.com


Continue Lendo...
Postado por C. K. às 00:17 21 comentários
 

Corporativismo Feminino Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez Edited by Blog Feminino